Lopito Feijóo - o poeta andarilho

Lopito Feijóo - foto: J. Carlos | DW
J.A.S. Lopito Feijóo K. (João André da Silva Feijó) poeta, ensaísta e critico literário, nasceu em Lombe, província de Malanje, em 29 de Setembro de 1963
Mudou-se para Maquela do Zombo, onde viveu a infância, indo depois para Luanda, onde viveu no Bairro do Cazenga, a partir da sua adolescência.
Licenciado em Direito pela Universidade Agostinho Neto, em Luanda, o autor despertou para a poesia aos 22 anos de idade. Na verdade, já em 1985, publicou o seu primeiro livro de poemas Entre o Écran e o Esperma, que, fruto de grande aceitação por parte dos meios literários, recebeu uma "Menção Honrosa" no concurso de literatura "Camarada Presidente", promovido pelo INALD (Instituto Nacional do Livro e do Disco).
Foi membro da direção da Brigada Jovem de Literatura até 1984. Integrou posteriormente o trabalho coletivo do grupo "Ohandanji", que, a partir daquele ano, começou a publicar os seus textos na página cultural de O Jornal de Angola e na gazeta Lavra e Oficina (da União dos Escritores Angolanos) e que, posteriormente, como forma de ultrapassar as dificuldades provocadas pela ausência de alternativas, recorreu a edições policopiadas. Exemplo destas edições é a coleção "Katetebula/Semi-breve" na qual Lopito Feijóo publicou, s/data, no primeiro número, um texto poético intitulado "Me ditando".
Nome importante da geração de 80, a chamada "Geração das Incertezas", Lopito Feijóo assume a ruptura com os cânones semânticos e estéticos tradicionais, propondo uma estética assente numa linguagem dissonantemente metafórica e no experimentalismo visual. Com um estilo simultaneamente satírico e irreverente, a sua poiesis, caracterizada por um profundo teor lírico, é fruto de um sujeito poético revoltado e colérico que assume a melancolia como forma de exprimir a sua frustração e o seu desencanto face à realidade social e política de Angola. Esta cólera, metaforicamente simbolizada por uma descarga biliar produzida por um mal-estar hepático, é o resultado do descontentamento que lhe provocam as permanentes situações de guerra e opressão - "o veneno sorumbático" - que ameaçam, desde há muito, a sua Pátria e que, em permanente vigília, procura combater: "O veneno sorumbático inspira vigília (...)". 
Como a grande parte da produção poética da geração sua contemporânea, a poesia de Feijóo recorre à metaforização do mar, enquanto lugar de meditação do "eu lírico", para exprimir o seu "olhar noturno" e insatisfeito sobre uma realidade social e política corrupta que contraria os ideais de justiça e igualdade defendidos e conquistados por gerações anteriores.
Perpassada por um claro ceticismo face aos tempos presente e futuro, a sua obra apresenta, porém, alguns momentos que nos remetem para a constatação da necessidade de repor a capacidade de sonhar e de desejar.
Em colaboração com Luís Kamdjimbo, publicou o ensaio Geração da revolução, novos poetas angolanos em volta, s/d, na qual dá voz a novos poetas, entre os quais Ana Paula Tavares, José Luís Mendonça e João Maimona.
Lopito Feijóo - foto: Arquivo do autor
No ano de 1988, organizou, a antologia No Caminho Doloroso das Coisas. Antologia de Jovens Poetas Angolanos, primeira antologia editada depois da independência de Angola, reunindo os textos da jovem geração dos anos 80. 
Membro da União de Escritores Angolanos (UEA), escreveu os seguintes livros: Entre o Écran e o Esperma (1985), Menção Honrosa no concurso de Literatura "Camarada Presidente"; Me Ditando (s/d); Doutrina (1987), edição da UEA; Rosa Cor de Rosa (1987); Corpo a Corpo (1987); Cartas de Amor (1990); Meditando. Textos de Reflexão Geral sobre Literatura(1994).
Reconhecido e prestigiado poeta e ensaísta, a sua obra figura em revistas e jornais nacionais e estrangeiros, nomeadamente brasileiros, portugueses, galegos, norte-americanos, etc.
De acordo com o professor e crítico literário  Pires Laranjeira, «[…] deitando mão a diversíssimas fórmulas arquitextuais (soneto, ode, haiku, dístico, epigrama, prosoema), usando o parêntese ou o “enjambement” com o recurso e referências a alusões tão multímodas […], subvertendo-as ou cultuando-as, Lopito Feijóo traz à cena do discurso um descomplexado ensejo de confrontar códigos e linguagens, por um processo requintado de (re)construção significante que é herdeiro directo e dilecto não só do modernismo e tradição vanguardista, mas […] do romantismo rebelde, apaixonado, revolucionário».
:: Fonte: Editora Essencial - com correções realizadas pelos editores deste site(acessado em 2.4.2016).



Lopito Feijóo - foto: (...)
OBRAS DE LOPITO FEIJÓO (J.A.S. LOPITO FEIJÓO K.)
Poesia
:: Entre o écran e o esperma. 1985.
:: Doutrina. Luanda: UEA,1987, 33p.
:: Me ditando. Luanda: ,. 
:: Rosa cor de rosa. 1987.
:: Cartas de amor. Luanda: UEA, 1990, 47p.; Pontevedra: Fundação Europeia Viqueira Braga; Instituto Internacional da Lusofonia, 1990; reedição 1ª ed., Vila Nova de Cerveira: Nóssomos, 2013. 
:: O brilho do bronze: haikais. [prefácio Lourenço José; edição Mateus Volódia]. 1ª ed., Luanda: Kilombelombe, 2005.
:: Marcas da guerra, percepção intima e outros fonemas doutrináriosVila Nova de Cerveira: Nóssomos, 2011.
:: Lex e cal doutrinaVila Nova de Cerveira: Nóssomos, 2011.  
:: Desejos de Aminata - poesia erótica.[apresentação António Panguila; ilustrações Luandino Vieira]. Vila Nova de Cerveira: Nóssomos, 2014.
:: Coração telúrico | Coure tellurico. Edição bilingue. Brasil: CreateSpace Independent Publishing Platform, 2015, 98p.

50 anos do autor
Lopito Feijóo - foto: Arquivo do autor
:: Andarilho e doutrinário - Luanda 50 anos ... poemas. (reúne notas, recensões críticas, ensaios e opiniões dos mais distintos professores universitários sobre a obra do autor e celebra os 50 anos de Lopito Feijó).. [apresentação  Amélia da Lomba]. Luanda: Triangularte, 2013.

CD - poesia
:: Na idade de cristo. 1997.
:: Auto gráfia. [Poesia e declmação Lopito Feijó; com composição e arranjos musicais Giyora Arbiser e Brawly Waye]. Luanda: Triangularte Editora, 2013.

Ensaio e critica literária 
:: O suspiro da alma no mundo da palavra. [Lopito Feijó, Abylin Ibraimo e David Mestre].  Coleção Cadernos Lavra & oficina. Luanda: União dos Escritores Angolanos, 1987, 22p.
:: Meditando  - textos sobre Literatura. Luanda: Maboque, 1994, 143p
:: Geração da revolução. [autores Lopito Feijó Luís Kandjimbo]. 1993.

Antologia (organização)
:: No caminho doloroso das coisas — antologia de jovens poetas angolanos. [organização, seleção e notas Lopito Feijó (J. A. S. Lopito Feijóo K)]. Luanda: UEA 1988, 148p.
:: Poesia angolana de amor dos anos 80: breve antologia. Luanda: Cadernos do Povo, 1995, 59p.

Antologia (participação)
:: Antologia literária de língua portuguesa | Sextas Jornadas Universitárias Lusófonas. [organização e prefácio Pires Laranjeira]. Coimbra: A Mar Arte, 1996.
:: Matrilíngua. [organização Salvato Trigo]. Vol. II. Viana do Castelo: Câmara Municipal de Viana do Castelo, 1997. 
Lopito Feijóo - foto: Arquivo do autor
:: Antologia da nova poesia angolana: 1985-2000. Coleção Escritores dos Países de Língua Portuguesa. 24. [seleção e prefácio Francisco Soares]. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2001. 
:: Todos os sonhos: antologia da poesia moderna angolana. [organização Adriano Botelho de Vasconcelos]. Luanda: União dos Escritores Angolanos, 2005. 
:: Entre a lua, o caos e o silêncio: a flor – antologia de poesia angolana. [organização Irene Guerra Marques e Carlos Ferreira]. Luanda: Mayamba Editora, 2011.
:: A arquelogia da palavra e a anatomia da língua - antologia poética. [coordenação Amosse Mucavele]. Maputo: Revista Literatas - revista literária de literatura moçambicana e lusófona; Ciedima, Sar, 2013. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).

Alguns ensaios e artigos publicados em revistas e jornais
FEIJÓ, Lopito (J. A. S. Lopito Feijóo K). De entre o écran e o esperma os textos in memoriam de Rosalina Pombal., in: Jornal de Angola - Luanda, 3 Fev. 1985, p. 9.
________ .  11 poemas em Novembro ou a prova do declínio...? sobre M. Rui. in: Jornal de Angola - Luanda, 17 Fev. 1985, p. 9.
________ .  O modo e o termo a moda e o tempo. in: Estudos portugueses e africanos. n. 10, 1987, p 7.
________ .  A disposição cultural do jovem escritor. Revolução. São Tomé  - nº 508, Set. 1987, p. 5.
________ .  Newmala foi buscar ferro a Kapwirimbwe. in: Estudos portugueses e africanos.n. 12 1988, p 29.
________ . A poesia, acto de fé e caridade. in: Jornal de Angola - Luanda, 12 Fev. 1989, p. 11.
________ . A actualidade literária e a geração post-independência: reflexões sobre Angola e Moçambique. in: Estudos Portugueses e Africanos. - nº 14, Jul.-Dez. 1989, p. 81-84.
________ . Na rota de Bangui. in: Lavra & oficina - II série, n. 2, 1998, p 12.

Lopito Feijóo - foto: Ampe Rogério | RA
BREVE ANTOLOGIA POÉTICA DE LOPITO FEIJÓO (J.A.S. LOPITO FEIJÓO K.)

A nona brisa
No espaço sepultado pela ventura
a Nona Brisa escorre intimamente
... qual menina(s) do(s) meu(s) olhos(s)...
sacudindo as pétalas do aroma temporal em

escala profética ao fruir súbito
das fricções encarnadas num ser qual quer nas
hostes dos demónios pernilongos!

A Nona Brisa ilimitada pela dimensão erótica
do corpo veloz traz no rosto
a extensão do sangue e o exercício do pudor

memorial
de carne espessa ou sombra encantatória
miserável determinista no circuito dos anjos
amantes testamentários da violência mitológica!
- Lopito Feijóo, em "Todos os sonhos: antologia da poesia moderna angolana". [organização Adriano Botelho de Vasconcelos]. Luanda: União dos Escritores Angolanos, 2005 - p. 511.

§

Breve temporada na rua onze
– em pleno sonho –
Leve tumor leva meu coração
o tempo repele magnificente a
superstição. O momento é claro e cheio de graça
graças ao acaso achado na rua onze
não vejo mais prostitutas enlameadas
junto à porta de ninguém. Só os dons forçados
da fraternidade infernal nos coagula o querer
ascético, melancólico, embalado e esmaltado enfim!
É uma rua terrível, oculta e de pistas voluptuosas
sedutora é uma belíssima revolução.
– Ah ... pudesse eu nela, contigo habitar
curtir despercebido minha humilde boémia.
Não sei já se é lacónica ternura ou reflexo de bárbara civilização
sei só que não, não é intercesSão Barata!
- Lopito Feijóo, em "Cartas de Amor". Luanda: UEA, 1990.

§

Contigo
nasceu um menino, Crescerá talvez
certamente crescerá.
Do leite do teu seio
o pequenino
doce sentimento. Histórico
brando minha senhora
humilde proletário
a infância dura firme
pois o menininho

no seu ninho cres/SERÁ!
- Lopito Feijóo, em "Cartas de Amor". Vila Nova de Cerveira: Nóssomos, 2013. 

§

Contra-curva
Fonte
aglutinadora
do por
vir por
acaso avistada

sóbra e 
resistente curva
contra-curava

baixada de algum
nevoeiro de turva
visibilidade

toda a háil
idade morre
pela boca
que o anzol vislumbra
- Lopito, em "Lex e cal doutrina". Vila Nova de Cerveira: Nóssomos, 2011.  

§
Lopito Feijóo - foto: (...)

Da pedra e sal
Sonhando sóbrio
subo ao alto
da altivez

sério 
sorvo o sumo
que somei

semeando o sentido
nem tido
nem perdido só

licíto sol
dado sem
sílaba tónica

somente samaritano
servente servindo só
rindo volta e meia
de soslaio.
- Lopito, em "Lex e cal doutrina". Vila Nova de Cerveira: Nóssomos, 2011.  

§

De noite
Incendeia-me o olhar
amor -
uma estrela espreitando-nos
a vida por dentro
intimamente sólidos
de arbusto em arbusto
memórias
infinita (s) mente (s) viva (s)
afirmação sublime
desejo monumental
coração, vital, coração.
- Lopito Feijóo, em "Desejos de Aminata". Lisboa: Nóssomos Editora, 2014.

§

Meditando
- engoli dum espinheiro um grande raminho -
&
da tese concebida ao prefácio por escrever
teço toc toc enquanto toco levemente o provir
d'outra gestão

daí a cor do sangue escasso caro irmão protestante
que tão bem partes os passeios que passeio
assim que passo passo a passo me ditando!
- Lopito Feijóo, em "Antologia da nova poesia angolana: 1985-2000. [seleção e prefácio Francisco Soares]. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2001, p. 214.

§

Minha vezinha
Andorinha louca não quero que me faltes
voa voa, voa sublime em busca da poesia

traga-a pro meu ninho
à beira do caminho aonde ainda ando

 Andorinha minha voa, vai e vem
agraciar quem te roga em nome do cheiro

 deitar de todo peito a graça nominal
abrandar a malvadez do outro

 gato chinês. Andorinha boa
beija-me a boca que te ofereço, madura.

 Pobre e sã
tua boca que trago comigo, pouca…

 alma do outro mundo que vivemos
avezinha, minha boa louca. Minha vizinha!
- Lopito Feijóo, em antologia "Matrilíngua". [organização Salvato Trigo]. Vol. II. Viana do Castelo: Câmara Municipal de Viana do Castelo, 1997, p. 105.

§

Onda bronzeada
Negra quase encaracolada
semblante misterioso
pescoço naturalmente cheiroso
um único braço
com mão de mil dedos

peito com dois seios
e três mamilos em cada qual
abdómen boquiaberto
com sereno botão no umbigo

circundante malandra cintura circunstante
dois pares de pernas completas
o resto logo se vê…
eis a mulher da minha vida!
- Lopito Feijóo, em "Desejos de Aminata". Vila Nova de Cerveira: Nóssomos, 2014.


FORTUNA CRÍTICA DE LOPITO FEIJÓO (J.A.S. LOPITO FEIJÓO K.)
Lopito Feijóo - foto: Arquivo do autor
ANGOP. Poesia angolana em Paris. in: Rede Angola, 21.6.2014. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
BENTO, Domingos. Lopito Feijóo (entrevista).. in: Rede Angola, 27.10.2015. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
CARLOS, João. Nós Nos Livros: “Desejos de Aminata” de Lopito Feijóo. in: Radio afrolis, 20 março 2015. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
CORI, Isaquiel. "Desejos de Aminata", livro de Lopito Feijó A intimidade conjugal como objecto da poesia. in: Jornal Cultura, 13 de outubro de 2014. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
CORI, Isaquiel. Entrevista a Lopito Feijó Um poeta que se pretende doutrinário. in: Jornal Cultura, 3 de agosto de 2014. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
LOPITO Feijó lança “Desejos de Aminata”. in: O Pais, 20 de fevereiro de 2015. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
LOPITO Feijóo. escultura musicais 6 (poesia). in: revista Zunai, vol. 2, nº 4, dezembro de 2015. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
LOPITO Feijó grava poemas em disco. in:: Jornal de Angola, 7 de agosto de 2013. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
MARIA, Pombal. Doutrina de J. A. Lopito Feijoó K. um pilar estético da nova poesia angolana. in: O País, 19 de junho de 2015. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
MATA, Inocência. Pelos trilhos da literatura africana em língua portuguesa. coleção Cadernos do povo: Ensaio. Irmandades da Fala da Galiza e Portugal, 1992, 96p.
NASCIMENTO, Alexandre do; PEREIRA, Amauri M.; OLIVEIRA, Luiz Fernandes de; SILVA, Selma M. da.(org's). Histórias, culturas e territórios negros na educação: reflexões docentes para uma reeducação das relações étnico-raciais. Rio de Janeiro: E-Papers; Faperj, 2008.
PADILHA, Laura Cavalcante; RIBEIRO, Margarida Calafate. Lendo Angola. Porto: Edições Afrontamento, 2008, 199p.
PEREIRA, Teresinka. A poesia de Lopito Feijó. in: Jornal de Angola - Luanda, Suplemento, 18 Abr. 1993, p. 2.
QUIVE, Eduardo. Poeta até no parlamento - entrevista. in: Revista Literatas - revista literária de literatura moçambicana e lusófona, 12 de maio de 2012. Disponível no link. (acessado em 2.4.2016).
SECCO, Carmen Lucia Tindó Ribeiro. A poesia angolana pós-independência: tendências e impasses. in: Impactum | Veredas 7 (porto Alegre, 2006) p.83-99. Disponível no link e link. (acessado em 2.4.2016).



Lopito Feijóo e José Luandino Vieira - foto: (...)

Memória
[a Lopito Feijó]

baloiçando em escombros de teu itinerário
saberás que os gados constroem estradas.
e quando a mão deslizar pela margem
das cicatrizes que se afundam na noite
saberás que a tua mão viaja para
a península dos dias sem escombros
e saberás que no berço da noite jaz a luz
drogada e ouvida pela cruz sobre quem viajaste
- João Maimona, em "No útero da noite". Colecção Letras Angolanas - Poesia 3. Luanda: Nzila, 2001, p.56.




Lopito Feijóo - foto: Arquivo do autor
ESCRITORES AFRICANOS NESTE SITE
:: Alda Espírito Santo (São Tomé e Príncipe)
:: Amélia Dalomba (Angola)
:: Amílcar Cabral (Guiné-Bissau)

:: Ana Paula Tavares (Angola)
:: António Agostinho Neto (Angola)
:: António Mendes Cardoso (Angola) 
:: Fernando Costa Andrade (Angola) 
:: Fernando Leite Couto (Moçambique)
:: João Maimona (Angola) 
:: José Craveirinha (Moçambique)
:: José Eduardo Agualusa (Angola)

:: José Luandino Vieira (Angola)
:: Lopito Feijóo - J.A.S. Lopito Feijóo K. (Angola):: Mia Couto /+ fortuna crítica / +  Poemas (Moçambique)
:: Noémia de Sousa (Moçambique)
:: Ondjaki (Angola)
:: Orlanda Amarílis (Cabo Verde)
:: Paulina Chiziane (Moçambique)
:: Pepetela (Angola)

:: Raúl Alves Calane da Silva (Moçambique)

:: Ruy Duarte de Carvalho (Angola)  




Lopito Feijóo - foto: Arquivo do autor
OUTRAS FONTES E REFERÊNCIAS DE PESQUISA
:: Portal de Angola


© Direitos reservados ao autor

© Pesquisa, seleção e organização: Elfi Kürten Fenske

=== === ===

Trabalhos sobre o autor:
Caso, você tenha algum trabalho não citado e queira que ele seja incluído - exemplo: livro, tese, dissertação, ensaio, artigo - envie os dados para o nosso "e-mail de contato", para que possamos incluir as referências do seu trabalho nesta pagina. 

Como citar:
FENSKE, Elfi Kürten (pesquisa, seleção e organização). Lopito Feijóo - o poeta andarilho. Templo Cultural Delfos, abril/2016. Disponível no link. (acessado em .../.../...).
____

** Página atualizada em 2.4.2016.



Licença de uso: O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, poderá ser reproduzido desde que citada a fonte, excetuando os casos especificados em contrário. 
Direitos Reservados © 2016 Templo Cultural Delfos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos a visita. Deixe seu comentário!