Carlos Drummond de Andrade - o avesso das coisas (aforismos)

Carlos Drummond de Andrade - foto: (...)


"Assim como os antigos moralistas escreviam máximas, deu-me vontade de escrever o que se poderia chamar de mínimas, ou seja, alguma coisa que, ajustada às limitações do meu engenho, traduzidas um tipo de experiência vivida, que não chega a alcançar a sabedoria mas que, de qualquer modo, é resultado de viver.

Andei reunindo pedacinhos de papel em que estas anotações vadias foram feitas e ofereço-as ao leitor, sem que pretenda convencê-lo do que penso nem convidá-lo a repensar suas idéias. São palavras que, de modo canhestro, aspiram e enveredar pelo avesso das coisas, admitindo-se que elas tenham um avesso, nem sempre perceptível mas às vezes curioso ou surpreendente."

 Carlos Drummond de Andrade, em "O avesso das Coisas". São Paulo: Editora Record, 2007.

AFORISMOS


Administração
A administração, organismo autoritário,
é feita de papel, isto é, de figuração de coisas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Adultério
No adultério há pelo menos três pessoas que se enganam.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Água
Tudo é simples diante de um copo d’água.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Alegria
Não é obrigatório ter motivo para estar alegre;
o melhor é dispensá-lo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Alma
Prisioneira do corpo, a alma vive em guerra com o carcereiro.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amanhecer
O amanhecer é uma festa para convidados que estão dormindo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ambição
Pouco importa o objeto da ambição;
ela vale por si, independente do alvo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ambição
A ambição torna os homens audazes;
a audácia sem ambição é privilégio de poucos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amizade
Certas amizades comprometem a ideia de amizade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amizade
O Amigo que se torna inimigo fica incompreensível;
o inimigo que se torna amigo é um cofre aberto.
Um amigo íntimo – de si mesmo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amizade
Como as plantas, a amizade não deve
ser muito nem pouco regada.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amizade
A amizade é um meio de nos isolarmos
da humanidade cultivando algumas pessoas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
O amor ensina igualmente a ferir e ser ferido.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
Amar sem inquietação é amar sem amor.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
Entre as diversas formas de mendicância,
a mais humilhante é a dor amor implorado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
A amada morta, que traiu, com o tempo torna-se puríssima.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
Entre um e outro amor,
é aconselhável um pouco de respiração.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
Comer sem fome, amar sem desejo,
é tudo a mesma coisa.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
Amar pela segunda vez o que foi nosso é
tão surpreendente que constitui outra primeira vez.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
Não é difícil ser amado por duas pessoas; difícil é amar as duas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
Há vários motivos para não amar uma pessoa,
e um só para amá-la; este prevalece.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor
Não amamos ainda bastante se não chegamos a
esquecer até as qualidades do objeto amado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Amor-próprio
Ao contrário do amor,
o amor-próprio não acaba nunca.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Analfabetismo
A alfabetização é a primeira coluna da estrutura social;
o analfabetismo pode ser a segunda.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Anedota
Não se inventou ainda a anedota triste,
para ocasiões fúnebres.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Animal
O animal não aprende nossas virtudes,
se as tivermos, porém adquire nossos vícios.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Animal
O animal costuma compreender mais e melhor
a nossa linguagem do que nós a deles.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Animal
O animal de circo faz prodígios que o domador,
se fosse animal, seria incapaz de executar.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Anjo
É mais fácil conceber um anjo sob aspecto de pessoa que se pareça
com ele do que como anjo propriamente dito.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Anonimato
O anonimato combina o prazer da vilania
com a virtude da discrição.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Aprendizagem
O tempo consumido em aprender coisas que
não interessam priva-nos de descobrir as interessantes.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Arquitetura
A arquitetura diverte-se projetando construções
para esconder os homens uns dos outros.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Arquivo
O arquivo supre a falta de memória,
lembrando o que desejávamos esquecer.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Arrependimento
Até a cor do arrependimento desbota com o tempo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Artista
O artista não sabe que o mundo existe fora da arte;
por isso atreve-se a criar.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Árvore
Tentamos proteger a árvore,
esquecidos de que é ela que nos protege.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ator
O ator é metade gente metade personagem,
não se distinguindo bem as metades.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Autógrafo
Pedir autógrafo a autor lisonjeia sua vaidade
sem melhorar a qualidade da obra.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Automóvel
Veículo que desperta o desejo de ir a
alguma parte já superlotada por veículos idênticos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Aventura
A aventura não está nos fatos exteriores,
mas na capacidade de figura-los e vivencia-los.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Aviação
O homem vangloria-se de ter imitado o voo
das aves com uma complicação técnica que elas dispensam.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Banco
O cofre do banco contém apenas dinheiro;
frustra-se quem pensar que lá encontrará riqueza.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Banqueiro
O banqueiro ignora que tem dinheiro suficiente
para fechar o banco e começar vida nova.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Beijo
A boca beijada não guarda marca de êxtase;
ele fica na boca de quem a beijou.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Beleza
A beleza dispensa outras qualidades,
que aguardam tempo para se fazerem notar.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Beleza
A beleza feminina é passageira,
mas seus admiradores também são.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carlos Drummond de Andrade - foto: (...)
Beleza
Os adjetivos tentam qualificar a beleza,
que dispensa adjetivos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Beleza
A beleza é a mais deslumbrante contestação da vida real.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Bem
Há boas ações que se praticam porque
não foi possível deixar de praticá-las.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Bíblia
Se há dois testamentos, o antigo e o novo, conviria instituir
um terceiro, para acabar com as contradições entre eles.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Boi
O boi se sentiria feliz se provasse bife de homem.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Bondade
Todo mundo é bom quando não usa a cabeça.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Brasil
O Brasil é um país novo que se imagina velho,
e um país velho que se supõe novo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Bruxa
Quem não acredita em bruxas talvez
já se tenha tornado uma delas sem percebê-lo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Cadáver
Procuramos no cadáver o traço que nos diferencia dele.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Café
O café excita o espírito, desde que este seja capaz de excitação.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Calúnia
O caluniador lança uma hipótese de trabalho
que às vezes é aproveitada.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Caminho
O caminho é mais importante do que a caminhada.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Campeão
Há campeões de tudo, inclusive de perda de campeonatos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Candidato
A confiança no candidato deve ser temperada
com a desconfiança no eleito.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.
Cão
Rendo homenagem ao cão; ele late melhor do que eu.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Cão
O cão é um assalariado que dispensa pagamento.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Cão
O fato do cão ser fiel ao homem não quer dizer
que ele aprove as ações do dono.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Caridade
A caridade seria perfeita se não causasse
satisfação em quem a pratica.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carnaval
O carnaval socializa o folião,
que depois volta ao individualismo descontente.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carro de boi
Prefiro o carro de boi ao automóvel; é mais musical.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carta
Até mesmo as cartas extensas não dizem
metade do que deixou de ser escrito.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carta
Ninguém repara que, ao escrever carta,
está fazendo jornalismo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Casa
A casa deve ser complemento e negação da rua.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Casamento
Há homens e mulheres que fazem do casamento
uma oportunidade de adultério.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Casamento
Os namorados nada sabem casamento e,
casados, esquecem o namoro.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Casamento
O casamento indissolúvel é dissolvido pelo divórcio,
pela morte e pelo tédio.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Casamento
A natureza recusa os casamentos duradouros,
exigidos pelos costume.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Castigo
A volúpia de castigar no induz a lamentar
o bom comportamento dos outros.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Cemitério
Nossos mortos estão sepultados em nós,
mas preferimos visita-los no cemitério.
A paz do campo-santo é garantida
pela incapacidade de os mortos a perturbarem.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Chuva
A chuva desmancha prazeres e cria outros,
de solidão e intimidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Chuva
A chuva é igualmente responsável
por gripes e poemas lacrimejantes.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Cidade
É mais fácil promover a decadência de uma cidade
do que a sua conservação.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Cinema
De tanto frequentarem cinema, as pessoas
acabam acreditando mais na tela do que na vida que levam.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Circo
Vou ao circo para me sentir em casa com o mundo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Citação
Citar com abundância corresponde a malbaratar fortuna alheia.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ciúme
O ciúme, filho do amor, torna-se parricida.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Civilização
Uma civilização que, para sobreviver,
depende de petróleo, não merece esse nome.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Clima
Culpamos o clima pelos defeitos de nossa natureza.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Cofre
O cofre tanto pode guardar joias como verdades envergonhadas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Colégio
Os colégios orgulham-se dos homens ilustres
que estudaram neles e que resistiram à massificação escolar.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Comida
A comida costuma faltar ou sobrar por
motivos alheios ao apetite.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Computador
Cada nova geração de computadores desmoraliza
as antecedentes e seus criadores.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Confissão
Ao pecarem por excesso,
as confissões sinceras deixam de merecer crédito.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Confissão
Confissão não prova arrependimento;
às vezes é celebração.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Conhecimento
Mantemos reserva para com o desconhecido,
esquecendo que não nos conhecemos a nós mesmos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Conselho
Pedimos conselho para nos certificarmos de que
devemos agir em sentido contrário.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Constituição
A Constituição deve ser tão extensa que preveja todas as
eventualidades, e tão resumida que permite ser consultada sem
perda de tempo; portanto, a Constituição é impossível.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Conversar
Conversar é arte tão delicada que os próprios
especialistas costumam esquecer-se dela.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Coração
O bom coração não sente que o é; se sentisse perderia a qualidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Corpo
Corpo, essa obra de arte que se vai degradando com o tempo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Corpo
Cada parte do coro tem sua linguagem,
mas só captamos a mistura dessas linguagens.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Credor
O credor é um nosso segundo eu,
que ambiciona assumir a tutela do primeiro.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Credulidade
É necessário acreditar em alguma coisa,
não importa qual.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Crime
O excesso de crimes gerou o excesso de perdão.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Crueldade
Condenamos a crueldade alheia sem indagar se,
em situação idêntica, não faríamos a mesma coisa.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Cultura
São tantos órgãos a defender a cultura que
ela acaba esmagada pela massa de defensores.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Dança
O bailarino sonha em abolir a lei da gravidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Democracia
Democracia é a forma de governo em que
o povo imagina estar no poder.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Descoberta
Bater à porta errada costuma resultar em descoberta.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Desejo
A vida é alimentada pelo desejo,
que finalmente a corrói.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Desenvolvimento
As nações desenvolvidas e as subdesenvolvidas
não entram em acordo sobre o que seja desenvolvimento.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Desespero
O desespero é apenas uma tentativa de recusar a limitação humana.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Deus
O futuro pertence a Deus,
que não se preocupa com essa propriedade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Deus
Os que falam em nome de Deus não exibem procuração
nem são desautorizados por ele.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Deus
Deus é neutro diante de exercícios rivais
que invocam o seu patrocínio.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Dia
Há dias com 24 horas, e outros, os piores, com 24 mil.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Diabo
É cada vez mais difícil vender a alma ao Diabo,
por excesso de oferta.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Diálogo
Quem não sabe conversar consigo mesmo
não saberá conversar com os outros.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carlos Drummond de Andrade - foto: (...)
Diálogo
Dialogar é dizer o que pensamos e suportar o que os outros pensam.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Diploma
O diploma revela anos de aplicação
mas silencia quanto ao rendimento deles.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.
Direito
De natureza abstrata, o direito, quando nosso ou
o supomos nosso, torna-se concreto e até apalpável.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Direitos do homem
Todo homem tem direito ao desemprego,
à fome, à doença e à morte.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Direitos do homem
Os direitos do homem são muitos,
e raro o direito de gozar deles.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ditadura
O ditador não precisa atrasar o relógio;
ele mesmo atrasa a História.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ditadura
Se os ditadores não tivessem algo de fascinante,
ninguém pensaria em imitá-los.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Divertimento
Tudo vira divertimos se o virarmos pelo avesso.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Dívida
O maior interesse em pagar dívidas consiste
em habilitar-se a contrair outras.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Doença
O organismo comporta inúmeras possibilidades
de doença para uma única de saúde.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Doente
Chamar o doente de paciente é muito exagerado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Domingo
O tédio e a diversão múltipla dos domingo amam entrelaçar-se.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Dor
Os homens igualam-se na dor e diversificam-se na alegria.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Dor
A dor nova, diferente das já apresentadas,
prova que o aprendizado é infinito.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Dor
A dor moral pode ser ilusão que dói como se fosse verdadeira.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Dúvida
Cultivamos nossas dúvidas como rosas
do jardim que não possuímos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Educação
A educação assemelha-se ao jogo;
aposta no escuro.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Educação
A educação faz-se com dose maior ou menor de mentiras vitais,
responsáveis pela continuação da vida social.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Egoísmo
Somos irmãos do próximo,
mas primeira somos irmãos de nós mesmos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Elegância
A elegância verdadeira vê na moda o seu principal inimigo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Eleição
Se a maioria do eleitor é fraca, a do eleito o é mais ainda.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Eleição
Uma eleição é feita para corrigir o erro da eleição anterior,
mesmo que o agrave.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Engano
Enganamos aos outros,
porém não tanto quanto a nós mesmo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ensino
O ensino jamais faz um gênio, mas faz especialistas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Enterro
No enterro, concilia-se o pesar pela morte
com a satisfação de estar vivo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.
Erro
É preferível variar de erros a insistir no erro.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Escola
A escola ideal seria aquela em que a criança entrasse
num túnel e saísse com diploma de nível superior.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Escravidão
Escravizamo-nos a uma pessoa ou a uma ideia
para fugir à escravidão a nós mesmos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Espelho
Espelho, acusador ou cúmplice.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Esperanto
As numerosas línguas do mundo, brigando,
convertem-se em esperanto, sem alcançarem a paz.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Esquecimento
O esquecimento procura fabricar uma
rede confortável para a insônia.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Esqueleto
É o esqueleto, e não o corpo, que detém a essência da beleza.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Estrela
Para as estrelas, nós é que estamos atrasados milhões de anos-luz.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Estupidez
A evolução das espécies não justifica certas
modalidades de estupidez, desconhecidas nos irracionais.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Existência
Procura-se um fim para a existência,
cujo começo se ignora.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Experiência
Não me falem de experiência enquanto ainda
pretendo errar um pouco.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Explicação
A necessidade de explicar nossos atos à
autoridade policial chega a torna-los inexplicáveis.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Exposição
Na exposição de arte se fala de tudo,
menos de arte.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Exposição
A exposição costuma revelar mais as limitações
do artista do que a variedade do seu repertório.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Fábula
A vida ensina que a moral das fábulas é imoral.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Falência
O comerciante falido abre espaço para o competidor
fazer melhores negócios.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Falsidade
Contrariando Voltaire, o feio não ama o feio – e isto é trágico.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Fealdade
Há documentos oficiais que não podem ser falsificados
porque são a própria falsidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Felicidade
Carlos Drummond de Andrade - foto: (...)
Não há felicidade que resista à continuação de tempos felizes.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Felicidade
Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Felicidade
Há uma época na vida, infância ou velhice,
em que a felicidade está na caixa de bombons.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Felicidade
A beleza simples da vida é imperceptível
nos momentos de felicidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Felicidade
A felicidade tem um limite, a loucura.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Filho
Os filhos educam pessimamente os pais.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Filosofia
Nem a filosofia consegue explicar o mundo,
nem este consegue suprimir a filosofia.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Flor
A flor não nasceu para decorar nossa casa,
embora o morador pense o contrário.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Flor
A colher a flor, tenho a sensação de amputar um sexo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Folclore
Sem folclore, as nações seriam profundamente tristes.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Formiga
O maior inimigo do homem não é o elefante,
mas pode ser a formiga.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Franqueza
Somos francos com os outros na medida em que não dependemos
deles nem lhes damos importância.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Futebol
A partida de futebol é mais disputada por torcedores
do que por atletas no campo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Fuzilamento
O fuzilamento dá ensejo a que vários atiradores
cometam o mesmo crime com a consciência limpa.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Geografia
A aula de geografia devia ser dada em viagem permanente.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Geração
Uma geração literária procura devorar a anterior
antes que a próxima a devore.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Glória
A glória é um alimento que se dá a quem já não pode saboreá-lo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Governo
Os governos seriam perfeitos se durassem apenas o dia da posse.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Governo
Nada há a esperar de um governo que reflita
os defeitos e vícios dos governados.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Governo
Até do mau governo podem resultar coisas boas, por equívocos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Governo
O mau governo jamais será o pior de todos,
e isto conforta o cidadão.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Governo
Resignamo-nos ao mau tempo, que é periódico,
mas não nos acostumamos com os maus governos,
que também são.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Guerra
Admitir que há guerras justas é o mesmo
que admitir a existência de injustiças justas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Guerra
Um país sem guerras na sua história é um país
de homens sem imaginação.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Guerra
Os fabricantes de armamentos são adeptos da paz,
que lhes oferece tranquilidade para preparar a guerra.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Guerra
A guerra é o estado natural do homem,
e a paz são as férias.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Guimarães Rosa
O autor gera a linguagem
e é consumido por ela.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Harmonia
A ideia de harmonia é chocante
em um mundo de seres desarmônicos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

História
Há episódios comprovados na História
em que a gente não consegue acreditar.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

História
Se refletirmos que a História apenas registra um mínimo
de acontecimentos, seremos inclinados a não leva-la a sério.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Homem
Nada do que é humano me é alheio,
mas nem tudo me apraz.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Homem
O homem faz tudo para ser superior a si mesmo;
é uma atenuante.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Homem
Não me julguem pelos meus pensamentos secretos;
até a mim eles assustam.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Homem
Somos capazes de boas ou más ações,
conforme a hora e o fígado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Homem
Sinto muito a falta de mim quando tenho de fazer a vontade alheia.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Homem
Assim como há homens singulares, há outros plurais.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Homem
Os homens distinguem-se pelo que fazem;
as mulheres, pelo que levam o homem a fazer.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Homem
O homem engana a si mesmo muito melhor do que aos outros.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Homem
Não conseguimos enxergar dentro de nós e
temos a presunção de ver o que se passa externamente.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Honra
A honra não é definível, mas determina atitudes
e consequências que todo mundo julga.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Humildade
Somos humildes na esperança de um dia sermos poderosos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Humorismo
O humorismo é a aptidão para
despertar nos outros a alegria que não sentimos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ideia
O dinheiro emprestado é restituível,
mas não devolvemos as ideias tomadas de empréstimo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Identidade
Prova-se a identidade mediante cartão,
número e foto que nada provam do eu interior.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ignorância
A santa ignorância é a diabólica sabedoria.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ignorância
Os males causados pela ignorância deviam ser
partilhados igualmente entre ignorantes e sábios.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Igreja
A Igreja muda com o tempo e com os homens,
e considera-se imutável.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ilusão
Sentimos mais a perda de uma ilusão do que a do relógio.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Imaginação
A imaginação é a fortaleza da liberdade
para quem vive no cárcere.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Imperfeição
Geralmente a imperfeição vive satisfeita consigo mesma.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Imposto
O imposto tem este nome porque, de outro modo,
ninguém pagaria.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Independência
A frase completa do Imperador deveria ser:
“Independência econômica ou morte.”
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Infância
Ao brincar com a criança, o adulto está brincando consigo mesmo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Infância
A criança imita o adulto, e este a criança.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Inferno
Circunstâncias infernais da vida habilitam
a compreender a ideia do Inferno.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Inferno
Se houver sociedade no Inferno,
é difícil concebê-la diferente da nossa.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Inferno
O inferno existe na medida em que somos capazes de figurá-lo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ingratidão
A ingratidão é o imposto cobrado à generosidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Inimigo
Nosso inimigo é, em geral,
a projeção do nosso lado negativo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Inimigo
Quando não sabemos quem é o inimigo,
imaginamos um qualquer e o hostilizamos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Inocência
A inocência é a forma celestial da ignorância.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Inteligência
A inteligência transforma o erro em verdade,
e ilude-se a si mesma.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Inveja
Não há invejosos; há admiradores vesgos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Inveja
Há quem se inveje a si próprio, em momento de exaltação.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Invenção
O inventor acaba vítima de sua invenção,
que se torna mais importante do que ele.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Jardim
Jardineiro: torturador aceito e remunerado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Jogo
O jogo tenta corrigir a injustiça social,
dando dinheiro a quem não tem.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Jornal
Pelas notícias de ontem, publicadas hoje,
devemos temer o jornal de amanhã.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Judas
Judas impressionou de tal modo que acabou
inspirando uma legião de imitadores.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Juiz
A imparcialidade do juiz é uma virtude
que desejaríamos se voltasse para o nosso lado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Juiz
O bom juiz não precisaria julgar; sua autoridade
seria bastante para conciliar os litigantes.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Justiça
A Justiça é tão falível que ela própria se encarrega de reformar suas
sentenças, nem sempre para melhor.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ladrão
Se a ocasião faz o ladrão, daí por diante ele a dispensa.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Lazer
O lazer comporta o máximo de prazer e de privação,
conforme o indivíduo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Lei
O excesso de leis feitas para o bem do povo acaba por sufoca-lo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Lei
A quase totalidade das leis,
como sucede aos espermatozoides, não é aproveitável.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Lei
A lei é necessária ao homem
para que ele tenha algo a desobedecer.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Leis
Se os legisladores concebessem um código que
resolvesse todas as questões, já não haveria lugar para as leis.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Leis
Invoca-se a lei de Deus para remediar o que
a lei humana deixou de prever, ou para infringi-la.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Leis
Usos e costumes, por seres concretos,
constituem lei mais forte do que a lei.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Leis
O respeito aos mortos não deve abranger
o respeito à lei que eles fizeram e que a vida sepultou.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Leis
Todos são iguais perante a lei, mas alguns são superiores a ela.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carlos Drummond de Andrade
- foto: (...)
Leitura
Leitura é fonte inesgotável de prazer,
mas a maioria não tem sede ou não sabe como dessedentar-se.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Leitura
É bom ler, é ótimo ter lido.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Liberal
O liberal não sabe que. chegando ao poder, deixa de sê-lo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Liberdade
Liberdade de pensamento exige uma coisa rara: pensamento.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Liberdade
A liberdade é defendida com bons discursos
e atacada com metralhadoras.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Língua
O purista procura cercear a língua toda vez que
ela tem um acesso de vitalidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Língua
A língua portuguesa deveria dispensar
seus defensores pedantes e defender-se por si mesma.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Linguagem
Falta ao vício de linguagem o saber do vício autêntico.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Literatura
A literatura fazia-se com manifestos;
hoje faz-se sem literatura.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Literatura
O jornalzinho escolar deveria ser conservado
para escarmento do futuro escritor.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Literatura
A lauda em branco resume o infinito de textos
que jamais serão escritos por incapacidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Literatura
Tudo que escrevemos não vale o que deixamos de escrever.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Literatura
O problema é que escrevemos para alguém,
e esse alguém é diferente de nós.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Livro
Nos livros tudo se aprende,
inclusive a inutilidade de escrevê-los.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Livros
Nos livros os autores mortos falam e discutem entre si.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Livros
Livros contradizem livros e homens que os escrevem.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Livros
Se todos os livros fossem indispensáveis,
não haveria tempo e espaço para os leitores.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Loucura
A loucura é diagnosticada pelos sãos,
que não se submetem a diagnóstico.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Loucura
Num mundo em que a loucura se vai tornando compulsória,
nem por isto se concedem privilégios aos loucos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Loucura
Há um limite em que a razão deixa de ser razão,
e a loucura ainda é razoável.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Lua
Ainda se ama a Lua à maneira dos gigolôs.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Lucidez
Somos lúcidos na medida em que
perdemos a riqueza de imaginação.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Lucro
O lucro é o prejuízo de alguém que espera lucrar amanhã.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Luta
Só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Luz
Precisamos de luz para os atos cotidianos,
mas a dispensamos em circunstâncias especiais.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Macaco
Há no macaco uma inteligência não aproveitada
que faz falta a muita gente.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Maledicência
Falar mal de alguém é comprovar-lhe a existência;
elogiar, nem sempre.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Manhã
A aurora revela o mundo a cada manhã,
mas a revelação é logo abafada.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Máquina
Cansada de servir ao homem, a máquina enferruja e morre.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mar
Não é propriamente o mar que é imenso,
mas a nossa insignificância diante dele.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mar
Como não sei nadar, o mar para mim não tem o menor sentido.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mártir
Ao contrário do humilhado, o mártir se envaidece do martírio.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Masturbação
A masturbação é uma forma econômica de praticar sexo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Medo
O medo une mais os homens do que a coragem.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Memória
Quem é desmemoriado, ou nada tem para contar,
escreve as memórias dos outros.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carlos Drummond de Andrade - foto: (...)
Mendigo
O mendigo consciente da sua dignidade despreza o esmoler,
apreciando a esmola.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mentira
A mentira atinge tão alto grau de verossimilhança
que às vezes é preferível não mentir.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.
Mentira
O avesso da mentira nem sempre é a verdade,
mas outra mentira.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mentira
A todo momento estamos pregando mentiras a nós mesmo,
e acreditando nelas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mentira
Acreditar em nossa própria mentira é o primeiro passo
para o estabelecimento de uma nova verdade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mestre
Se o mestre não segue suas lições,
por que haveremos de segui-lo?
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Milagre
O milagre existe na medida em que acreditamos nele,
não porém na medida em que deles necessitamos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Militar
Se a ordem militar fosse perfeita,
não haveria necessidade de forças armadas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

 Ministro
O bom ministro se envergonha de pertencer ao mau governo,
mas continua nele.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Moda
A moda é passageira, como as pessoas, mas ressuscita, e elas não.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Morte
Desde quem mundo é mundo, ninguém se convenceu
ainda que morrer é obrigatório.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Morte
Surpreendemo-nos com a morte como se
ela não fosse o único fenômeno absolutamente previsível.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Morte
Não há vivos; há os que morreram e os que esperam a vez.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mozart
Não se pode afirmar que a vida de Mozart foi curta,
se ela dura até hoje.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mulher
É próprio da mulher um sorriso que nada promete
e permite imaginar tudo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mulher
O olhar de uma mulher pode revelar tudo que ela esconde,
se o interpretarmos ao contrário.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mulher
De todas as mulheres do seu passado, o homem costuma
fazer uma síntese que não se parece com nenhuma delas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mulher
Todas as mulheres são iguais,
mas cada uma é diferente da outra.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mulher
A vida do homem pode resumir-se num passeio ao
longo das mulheres que ele amou ou que não entendeu.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mundo
Se o Inferno existir, o mundo deve ser o seu vestibular.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mundo
As receitas para salvar o mundo são bem recebidas
por um mundo que não pretende observá-las.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mundo
O mundo ainda não acabou de ser feito e vive desabando.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Mundo
Difícil compreender como no vasto mundo
falta espaço para os pequenos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Nação
A soberania das nações alcança o espaço aéreo e o marítimo;
só não alcança o coração dos homens.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Nádega
A nádega é uma forma de beleza que desperta riso,
quando deveria despertar admiração.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Nariz
Apêndice saliente que costuma
cheirar onde não é chamado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Natureza
A natureza tem uma voz de milhões de registros
manifestados ao mesmo tempo, o que nos impede de aprendê-los.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Natureza
Mesmo produzindo rugidos,
a natureza é a grande muda.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Noé
Andar aos pares: fórmula de Noé que raramente dá certo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Noivado
Vestibular que, mesmo com aprovação,
não garante o curso.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Nudez
O nu ideal independe do corpo; está na mente do observador.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Nudez
A nudez é sempre incompleta;
nunca se vê o corpo de todos os lados.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Obesidade
O obeso vacila entre o sentimento da
eminência física e o desconforto.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carlos Drummond de Andrade - foto: (...)
Ociosidade
A ociosidade, mãe de todos os vícios,
também gera alguns prazeres.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Opinião
Não ter opinião costuma ser a mais difícil das opiniões.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Oração
Oramos mais para pedir do que para agradecer.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Orgasmo
O grito do orgasmo é espontâneo,
mas o orgasmo é elaborado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Otimismo
O otimismo é um cheque em branco
a ser preenchido pelo pessimista.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paciência
Se precisamos de paciência para nos suportarmos,
quanto mais para suportar os outros.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paciência
Não é fácil ter paciência diante dos que a têm em excesso.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paixão
A paixão desenfreada é auto-suficiente,
até se extinguir.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paixão
A paixão extinta leva à reconstituição
da vida como material de suas cinzas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paladar
Fonte de sensualidade que torna voluptuosa
a fome como esperança de prazer.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paladar
Dizer a última palavra sobre o assunto é
menosprezar a potencialidade do assunto.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Palavra
As palavras fogem quando precisamos delas
e sobram quando não pretendemos usá-las.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Palhaço
O palhaço, crítico da sociedade,
apoia-se no riso para não ser denunciado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Palhaço
A consciência profissional do palhaço
impede-lhe achar graça no que faz.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paraíso
Ninguém sabe como seriam as férias no Paraíso.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Parecer
Opinião alheia que adotamos por ignorância do assunto.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Passado
Pagamos o débito do passado endividando o futuro.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Passado
Passado: caixa de guardados que
não convém esvaziar completamente.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paz
Finda a guerra, a paz fica na
dependência de negociações entre os vencedores.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paz
A paz é um estado ideal que tanto produz
insatisfação e guerra como tédio.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Paz
Façamos as pazes até a próxima guerra.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pecado
Há pecados elegantes e outros que aspiram a sê-lo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pecado
Encolheram-se os sete pecados capitais,
reduzindo-se a um, que não se sabe qual seja.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pecado
Há quem se arrependa dos pecados não cometidos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pecado
Todos os pecados são perdoáveis; portanto não há pecados.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pena de morte
Os condenados à vida aprovam ou repelem a pena de morte,
conforme o temperamento.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pênis
O pênis, caçador que às vezes nega fogo diante da caça.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pênis
O mérito do pênis é independente
do mérito de quem o porta.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pênis
Se o pênis contasse tudo que sabe,
a moral seria outra.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pensamento
Pensar duas vezes é anular o primeiro pensamento;
basta pensar realmente uma vez.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Perdão
Perdoa teus amigos se quiseres ser perdoado por eles.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Perdão
O perdão pode ser a maneira mais requintada de vingança.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Perdão
Perdoamos facilmente as faltas que cometemos contra os outros.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Perseverança
Perseverança não é virtude; tanto se orienta
para o bem como para o mal.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Piscina
A piscina é uma extensão da banheira
ou uma redução do mar, para fins de status.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Plágio
O plágio é o melhor certificado de mérito do plagiado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Planta
Resta saber se a planta, prisioneira no vaso,
com direito a água e fertilizante, está feliz.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pobreza
Os países ricos, mesmo sem querer,
ajudam os países pobres a ficar mais pobres.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Poder
O Poder está sempre explicando que não pode tanto assim.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Poder
Quem sobe ao Poder geralmente não sabe descer.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Poesia
A poesia é um jogo em que os poetas manejam
cartas desconhecidas deles próprios.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Poesia
A poesia força as palavras dizerem o contrário
do que elas pretendias.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Polícia
Que seria da polícia se não houvesse criminosos?
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Política
Em política, 2 e 2 podem ser 4, mas não é obrigatório.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Política
Por falta de opinião pessoal, o político invoca a opinião pública.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Política
Para cada tipo de situação política há um discurso pronto,
de que se trocam as vírgulas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Política
Às vezes, nada mais distante do conceito
de política do que um político.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Política
A ignorância, a cobiça e a má fé também
elegem seus representantes políticos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Ponte
Uma utilidade da ponte é dar abrigo
aos miseráveis junto aos pilares.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pornografia
A pornografia é uma segunda escrita do sexo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Povo
É fácil falar em nome do povo; ele não tem voz.
 - Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Povo
O povo está convencido de que os representantes
devem falar em seu nome, porém não sabe o quê.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Povo
O que se chama povo é tão abstrato que
ele próprio não reconhece a sua imagem.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Povo
O povo é um corpo à procura de cabeça, que,
ao parecer, não se ajusta ao corpo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Preconceito
O homem despido de preconceito devia andar nu,
para merecer crédito.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Preguiça
Cultivar a preguiça dá trabalho,
porque ela tem os aspectos mais variados.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Presente
O presente é uma ponte ilusória entre o que foi e o que virá a ser.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Prisão
Há os que buscam fugir da prisão
e os que sonham viver nela.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Psicanálise
O sofá, móvel psicanalítico, sabe de tudo e entedia-se.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Pudor
Há uma espécie de pudor tão refolhado que nos impede
de confessar a nós mesmos nossos desejos e intenções.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Racismo
Para suprimir o racismo seria necessário
suprimir a noção de raça.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Rato
Se não roesse, o rato seria um animal simpático,
mas não seria rato.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Razão
Se fazemos tanto esforço para achar nossas razões,
como aceitar facilmente as alheias?
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carlos e Dolores
Razão
Ter razão é tão perigoso que muitos acham
conveniente não ter nenhuma.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Reformas
As reformas sociais nascem com o destino de serem reformadas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Reforma
É inútil tentar reformar o que não tem forma,
como certas situações políticas e sociais.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Religião
Nem todas as coisas incompreensíveis são religiosas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Respeito
Dos inferiores exigimos respeito; dos superiores, nem sempre.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Revolução
As revoluções são periódicas, o que lhes tira a eficácia.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Rima
As rimas casam-se pela arte e divorciam-se pela trivialidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Riqueza
Para o avarento, a riqueza não traz felicidade;
é a própria felicidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Romance
O romance torna a realidade ainda mais irreal.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.
Rosa
A rosa não é rosa;
é projeto de rosa continuamente renovado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Saudade
Sentimos saudades de momentos da vida e momentos de pessoas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Saudades
Também temos saudades do que não existiu, e dói bastante.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sexo
Esse minúsculo ponto do sexo feminino,
em torno do qual gira a máquina do mundo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sexo
O sexo é prazer sentido e transmitido a outro sexo;
do contrário não vale o nome.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sexo
O sexo ensina-se a si mesmo e não esgota a lição.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sexo
Dois corpos inseridos um no outro – e a sensação
de que nada mais existe na Terra.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sociedade
A sociedade cria requintes de vestuário e de culinária
que dispensam os de espírito.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sociedade
Viver em sociedade requer instinto de formiga,
presas de leão e habilidade camaleônica.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sofrimento
Há quem se orgulhe de ter sofrido muito,
e por isso se julga superior aos demais.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sofrimento
A educação para o sofrimento evitaria senti-lo
com relação a casos que não o merecem.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sol
O Sol está a nosso serviço, porém não nos obedece.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sol
A arrogância do Sol torna insuportável contemplá-lo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Solidão
A solidão gera inúmeros companheiros em nós mesmo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sonho
Não interprete o sonho; viva-o ou esqueça-o.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sono
Não custa admitir que os criminosos
se tornam inocentes durante o sono.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Sono
O sono guarda nossas angústias e decepções
para devolvê-las no dia seguinte.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Tempestade
A tempestade pode ser cólera da natureza
contra os agravos que lhes infligimos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Tempo
Tempo disso, tempo daquilo;
falta o tempo de nada.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Tempo
Viver e morrer, duas formas de perder tempo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Tolstoi
Foi preciso que houvesse muita guerra para que Tolstoi
pudesse escrever Guerra e Paz.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Tradição
A maior ambição do inovador é
que sua inovação se torne tradicional.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Traição
O traidor não admite que trai,
ao obedecer a impulso natural.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Traição
Todos traímos um sonho, um ideal, uma ideia,
e não nos sentimos desconfortáveis por isso.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Unanimidade
A unanimidade comporta uma parcela de entusiasmo,
uma de conveniência e uma de desinformação.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

União
A união faz a força, que, aplicada, faz a desunião.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Drummond na década de 80
Universidade
A Universidade enriquece o dicionário
com palavras que só ela sabe.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Universidade
Na Universidade aprende-se muita coisa,
inclusive a ciência de não saber.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Urgência
Aquilo que é exigido pelo nosso desejo,
mesmo passageiro.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vacina
Ainda não se descobriu vacina contra
os males de alma produzidos pelo amor.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vaidade
Temos vaidade dos méritos que não possuímos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Velhice
A velhice tem atitudes infantis, sem o encanto da infância.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Velhice
A mocidade prepara-se mal para a velhice,
que não toma conhecimento da preparação.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Velhice
Os outros enxergam a velhice que existe em nós.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Velhice
Não se sabe onde começa a velhice
nem onde acaba a mocidade.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Velhice
Todo velho é um moço que se recusa a envelhecer.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Velhice
A vida é breve, a velhice é longa.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Velhice
Suportar o peso da idade é a última prova de juventude.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Velhice
Tentamos consolar os velhos chamando-os de velhinhos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Velório
O frequentador de velórios procura certificar-se
que continua vivo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Verdade
Verdade e mentira, inimigas inconciliáveis,
moram juntas e abraçadas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Verdade
Até as pessoas verazes mentem sonhando.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Viagem
A passagem de ida e volta parece dizer:
“Estás condenado a viver aqui.”
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Viagem
Viajar é um prazer que nem sempre se saboreia na viagem.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vida
Vida, aprendizado sem conclusão de curso.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vida
Pode-se comparar a vida a um livro escrito
em língua que jamais aprendemos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vida
Quanto mais aprendo,
menos vivo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vida
Viver é aprender a esquecer o que aprendemos.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vida
Supomos estar vivos, mas quem nos garante,
a não ser os outros que supõem a mesma coisa?
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vida
Uma das injustiças da vida é
a responsabilidade por estar vivo.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vida
Viver e esforço, voluntário ou não,
para executar a tarefa que ninguém nos atribui.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vingança
Há indivíduos que só perdoam as ofensas
depois de se vingarem delas.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vinho
A mistura de vinhos e queijos prova que
o paladar tem horror à solidão.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Carlos Drummond de Andrade - foto: (...)
Virgindade
A virgindade interessa menos depois que deixou de ser dote.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Virtude
Excesso de virtude,
pecado contra a natureza.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Virtude
O tédio e a virtude andam mais unidos do que esta desejaria.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Visita
A visita é alegria ou aborrecimento,
conforme o visitante ou a hora.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Vontade
Minha vontade é forte,
porém minha disposição para obedecer-lhe é fraca.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Voto
O voto, arma do cidadão,
dispara contra ele.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Voz
Cala-te, mas que não seja demasiado,
para não perderes o uso da voz.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Xadrez
O xadrez permite ao belicoso dispensar
a guerra continuando a travá-la.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Xingamento
O xingamento deixa de ser ofensivo
se consegue ser engraçado.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Zen
Prática budista que faz falta a governantes e políticos:
exige meditação profunda.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Zero
Prova convincente da existência do nada.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.

Zoológico
No zoológico os animais não vivem;
são vividos pelos olhos do visitante.
- Carlos Drummond de Andrade, In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.


Carlos Drummond de Andrade - foto: (...)
FONTES DE PESQUISA
Drummond - frente e verso (Fotobiografia), Edições Alumbramento, 1998.
Carlos Drummond de Andrade - O avesso das coisas [aforismos]



Drummond, auto-retrato
"...Sou apenas o sorriso na face de um homem calado.”

 Carlos Drummond de Andrade, em "O avesso das Coisas". São Paulo: Editora Record, 2007.


DRUMMOND AQUI NO SITE
:: Carlos Drummond de Andrade - um poeta de alma e ofício (Biografia, obra, vídeo-poesia, filmografia e outras referências)
:: Carlos Drummond de Andrade - fortuna crítica (estudos acadêmicos: teses, dissertações, ensaios, artigos e livros)
:: Carlos Drummond de Andrade - o avesso das coisas (aforismos)

© Direitos reservados ao autor/e ou ao seus herdeiros

© Pesquisa, seleção e organização: Gabriela Fenske Feldkircher

____
Página atualizada em 29.5.2015.



Licença de uso: O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, poderá ser reproduzido desde que citada a fonte, excetuando os casos especificados em contrário. 
Direitos Reservados © 2016 Templo Cultural Delfos

5 comentários:

  1. belíssimo blog
    com belos textos
    belas imagens
    belas artes

    parabéns!
    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Michèle,
      nos deixa muito contentes em saber que gostastes.
      Espero que voltes por aqui sempre!
      Abraços.

      Excluir
  2. Maravilhoso, meninas. Antídoto contra insonia. Um beijo do observador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Thiago!
      Muito bom saber que gostastes, voltes sempre!
      Abraços

      Excluir

Agradecemos a visita. Deixe seu comentário!