Antonio Veronese – as faces do silêncio

Antonio Veronese, nov/2012
(Foto: Acervo Veronese)
Antonio Veronese, nasceu em 17 de outubro de 1953, em Brotas, pequena cidade no estado de São Paulo - Brasil, filho de pais de origem italiana. Ele desenvolveu a paixão desde a infância para o desenho e, mais particularmente, pelo figurativo. Começa desenhar cedo, em torno dos 10 anos.

O pintor brasileiro, radicado na França desde 2004, não gosta muito de falar, ou explicar seus rostos. Segundo ele, eles são uma busca exclusivamente estética, e não filosófica. Para Veronese a relação com a pintura é uma relação silenciosa que dispensa palavras. Por isso Veronese não nomeia seus quadros, ainda que muitas vezes os galeristas façam isso sem a sua autorização. Para ele pintar é um exercício espontâneo e o resultado final é sempre surpreendente. « É como fazer amor, nunca se sabe como vai acabar » .

Veronese é auto-didata com uma obra considerável. Já realizou 64 exposições individuais, tem obras expostas em numerosos museus, coleções públicas e privadas nos Estados Unidos, Suíça, França, Japão, Chile e Brasil...;

A sua luta no Brasil em favor das crianças
Antes de deixar o Rio – que o paulista de Brotas adotara por anos -, deu aulas de arte para menores infratores nos Institutos João Luiz Alves, Padre Severino e Santos Dumont , no Rio, e no Caje de Brasília, convidado por Cristovão Buarque. Utilizou a pintura como forma de reabilitação psico-pedagógica dos adolescentes entre 12 e 18 anos com a bandeira" estética é remédio!". 

Alguns dos trabalhos produzidos pelos jovens foram expostos em Genebra (Suíça), no Salão Negro do Congresso Nacional, em Brasília, e na Universidade de San Francisco, nos Estados Unidos.  

Em 1998, representando o Brasil no Encontro de Esposas de Chefes de Estado, no Chili, cobrou da então primeira-dama, Ruth Cardoso, medidas para tirar das ruas crianças abandonadas, tendo recebido o apoio de Hilary Clinton.

Pela denúncia da violência contra menores no Rio de Janeiro, que faz através de sua pintura e de engajamento constante deste 1986, Veronese foi convidado à Comissão de Direitos Humanos da ONU - em Genebra, para proferir palestra, la Veronese causou grande indignação ao apresentar fotografias de 160 crianças que trabalhavam com ele, marcadas por cicatrizes massivas decorrentes da violência urbana, doméstica e policial.

Antonio Veronese, mar/2016
(Foto: Acervo Veronese)
Depois de 16 anos trabalhando junto a menores infratores , Veronese deixou o Brasil para viver na França, onde sua pintura tem melhor aceitação que no Brasil. Mas o período passado nos presídios de menores deixou marcar profunda, e produziu obras como:
-Just Kids simbolo do UNICEF para os dez anos do Estatuto da Infância e da Adolescência (ECA).

"A arte de Antonio Veronese -rostos que são a expressão mesma da perplexidade, do medo e da impotência- é indissociável da vida e, por isso, ele fala da sua pintura como se fosse um manifesto, acrescentando que não  se importa se gostem  . O que importa para Veronese é seu "soco na mesa" não passar desapercebido. E ele não passa!"
___
Nota:
No Brasil, publicações e sites especializados não fazem qualquer referência ao artista e sua obra.  


"A arte precisa provocar o espanto, mas só os idiotas se espantam com o ordinário."
 - Antonio Veronese


RECONHECIMENTO PELA SUA LUTA EM FAVOR DAS CRIANÇAS
Menção Honrosa, do Supremo Tribunal Federal, Brasília, pela denúncia da violência contra menores no Rio de Janeiro, em (...);
Menção de Congratulações, da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, em 1993;
Prêmio Sócio – Educando, do Instituto Latino Americano das Nações Unidas, em (...);

“Ao recolher meninos infratores em seu atelier, Veronese os transforma simplesmente em meninos. Quando os ensina a pintar, transforma-os em artistas.”
- Antonio Callado
 
Antonio Vernese pintando o painel "Just Kids" (Apenas Crianças).

"Nós temos a obrigação da insolência. Afinal, quem manda na casa somos nós, o povo. A gente tem que ter brio e reagir contra a violência. A insolência é uma arma extraordinária para quebrar o iceberg da passividade. Insolência é o direito de desconfiar da solenidade caricata de um estado incompetente. Bertrand Russell [filósofo britânico] dizia que a solenidade é, muitas vezes, apenas um disfarce para a impostura."
- Antonio Veronese, em ‘entrevista’, concedida à Maria Carolina Maia (revista Veja 09/06/2009)


PRINCIPAIS OBRAS
. Visages de Veronese - Carrousel du Louvre-Paris 2012
. Visages de Veronese - UNESCO Paris“salas Miro 1 e 2” Unesco Paris, França, 2008
. Les Visages d'Antonio Veronese -  Musée Historique de St. Cloud, França, 2009;
. Painel Fome. [Famine] - painel instalado na FAO, Roma, Itália;
. Apenas crianças [Just Kids].. (símbolo mundial do UNICEF para os dez anos do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente) – UNICEF;
. Gamin - Musée Asago-Japan;
. Tensão no Campo [La Marche] – painel instalado no Congresso Nacional, em Brasília/DF, 1996;
. Dormindo na rua [A la Marge] - Universidade de Genebra/Suiça, 1997;
. Salvem os Pequenos[Save the Children].. (Escolhido pelas Nações Unidas como símbolo dos 50 anos da ONU), EUA, 1995;
. Painel Educacion. [Panel] Fundação Integra Santiago do Chile, Chile;
. Faces do medo [Faces of Fear] - World Childhood Foundation - Berlin;
. Brasileiros [Brazilians] - Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro (MNBA);
. D’après Angelus de Millet, Musée Rousseau- Barbizon;
. Maternidade [Maternity] - Foundation Païdos- Geneva;
. Estudo Tensão no campo [Etude pour La Marche] - Petit Palais- Geneva;
. Meninos do Rio [Boys of Rio]- Museum Italo-American of Fort Mason - San Francisco - USA;
. Faces of Veronese - Paul Madner Gallery-San Francisco, USA;
. Sem palavras [Sans Paroles]- Mairie de Saint Germain des Près à Paris, 2009, 2010, 2012;
. As faces do silêncio [Les Visages du Silence]- Centre Culturel Brèsil-France à Paris, 2003;
. Salve as crianças [Save the Children]- San Francisco State University - USA;
. Apenas crianças [Just Kids] - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC/Rio;
. 600 meninos [600 boys]- Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (MNBA), 1998;
. Veronese e as crianças prisioneiras [Antonio Veronese et les enfants prisonniers] - Museu da Cidade de São Paulo, Pátio do Colégio, São Paulo.


"Antonio Veronese é um artista completo, em que as preocupações estéticas se fundem com as qualidades humanistas. Ele concentra-se principalmente sobre o homem em seu sofrimento mais profundo ... Sua preferência para rostos denota que é somente através deles que pode domar o horror ... o horror da condição humana. Nos diálogos Timeu, Platão diz que o rosto humano é a imagem do mundo."
- Francisco Brennand, (escultor e pintor)

Desenho inicial do painel "Tensão no Campo" em 1996 instalado
 no Congresso Nacional - Brasilia/DF 
(Foto: Acervo Veronese)


EXPOSIÇÕES
INDIVIDUAL
1991 - Galeria Bonino - Rio de Janeiro;
1992 - Museu da República - Rio de Janeiro – Brasil;
1993 - Contorno Art Galerie - Rio de Janeiro;
1993 - Italian Cultural Institut - San Francisco - USA;
1993 - Teatro dos Quatro - Rio de Janeiro;
1994 - Brazilian Mission to the United Nations - New York-USA;
1995 - Mont Alverno Conference Center- Nations Unies- Redwood City - USA;
1995 - San Francisco State University- San Francisco;
1996 - Museu da Cidade de São Paulo, Pátio do Colégio, São Paulo - Brasil;
1997 - Associação Brasileira de Imprensa (ABI) - Rio de Janeiro;
1997 - Fondation Paidos - Genève;
1997 - Petit Palais de Géneve;
1997 - Université de Génève - Suisse;
1998 - Fondation Integra - Santiago du Chili - Chili;
1998 - Fundation Integra - Chili;
1999 - Les Enfants en Marche- Lausanne - Suisse;
1999 - Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) - Rio de Janeiro;
Antonio Veronese em seu ateliê, nov/2012
(Foto: Acervo Veronese)
2000 - Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) - Rio de Janeiro;
2001 - A49 Gallery - New York;
2001 - Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) - Rio de Janeiro;
2001 - World Childhood Fondation;
2003 - Centre Cultural Brésil-France - Paris;
2008 - UNESCO - Paris - Sales Miro 1 et 2;
2009 - Antonio Veronese, l'Expressionnisme à Barbizon;
2009 - Musée Historique du Domaine National de Saint-Cloud;
2009 - Peintre de Barbizon - France;
2010 - Antonio Veronese, l'Expressionnisme à Barbizon;
2010 - Art-Paris - Grand Palais - Paris;
2010 - Asago Museun – Japan;
2010 - Galerie Celal - Paris;
2010 - Mairie de Saint-Germain des Près - Paris;
2010 - Musée Rousseau-Barbizon;
2010 - Paul Mahder Gallery- San Francisco - USA;
2010 - Peintre de Barbizon - France;
2011 - Antonio Veronese, l'Expressionnisme à Barbizon;
2011 - Mairie de Saint-Germain des Près - Paris;
2011 - Peintre de Barbizon - France;
2012 - Antonio Veronese, l'Expressionnisme à Barbizon;
2012 - Carrousel du Louvre - Paris;
2012 - Foire Européenne D'art Contemporaine à Lille;
2012 - Mairie de Saint-Germain des Près - Paris;
2012 - Peintre de Barbizon - France;
2012 - Salon du Vieux Colombier à Paris;
2013 - Antonio Veronese, l'Expressionnisme à Barbizon.
  
COLETIVA
(…)

Antonio Veronese em seu ateliê

“Os rostos de Veronese mostram um domínio absoluto da expressão humana; traços fortes do pincel de um grande pintor.”
- Edgard Azevedo- Galeria Contorno- Rio


PALESTRAS
Reçu par Alain Vaissade, ministre de la Culture du Canton de Genève,  Petit
Palais, à Genève (1998). Doação do estudo "Tensão no Campo", 
ao Petit Palais de Géneve - (Foto: Acervo Veronese)
. Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ;
. San Francisco State University - USA;
. Câmara Federal- Congresso Nacional Brasília;
. 50 Anos da ONU- Mont Alverno CC - USA - 1995;
. Comissão de Direitos Humanos - ONU -Geneva - Suíça;
. San Francisco State University, USA;


“Não advogo impunidade. Sei que parte desses meninos sofre de tal septicemía moral que tem que ser afastada da sociedade. O que dói é constatar que a imensa maioria deles poderia ser salva mas, apesar disso, está simplesmente sendo jogada no lixo”
- Antônio Veronese, em entrevista sobre os meninos infratores.


OUTROS EVENTOS
Artista convidado e personagem, do "Gente que Faz", Bamerindus (...);
Artista escolhido pela então primeira dama Ruth Cardoso à Cumbre das Esposas de chefes de Estado no Chile, em 1998;
Artista representante do Brasil no WE de People  5Oth Anniversary ONU - San Francisco, USA, (...);

“Uma cidade que sofre o medo cotidianamente é uma cidade derrotada…”
- Antonio Veronese


Antonio Veronese
(Foto: Acervo Veronese)
ENTREVISTAS E NOTÍCIAS
Antonio Veronese - Rio de Janeiro Patrimônio da Humanidade. Disponível no link.
Antonio veronese, [entrevista] à Radio France Internacional. Disponível no link.
Antonio Veronese, Pintura Roubada em Barbizon. Disponível no link
Antonio Veronese no Vernissage do Carrousel du Louvre [entrevista]. Disponível no link
Antonio Veronese's Suite Sixtine. Disponível no link
Antonio Veronese à Lille. Disponível no link
Antonio Veronese e a Bienal de São Paulo. Jornal da Tarde de 13 de abril de 2002. Disponível no link.
Antonio Veronese. Entrevista. [concedida à Maria Carolina], Veja, . Disponível no link. e link
Barbizon e a Bossa Nova-Antonio Veronese. Disponível no link
Antonio Veronese, Expressionisme à Barbizon. Disponível no link
Antonio Veronese's Main Works. Disponível no link
Les Tableaux de Barbizon- Antonio Veronese. Disponível no link
Antonio Veronese at Paul Mahder Gallery. Disponível no link
Painel no Rio vai lembrar direito da criança. Folha de São Paulo - cotidiano, 22/6/2000. Disponível no link
"Pintar é minha maneira de espernear” [entrevista]. Panorama Mercantil, 29 de maio de 2013. Disponível no link. (acessado em 23.8.2013).

"Dizem que o povo gosta de porcaria. Gosta nada!! O povo não tem é escolha, porque não tem acesso à cultura, porque não tem elementos de comparação, porque só conhece a canja-de-galinha-fria da nossa televisãozinha de merda."
- Antônio Veronese


"A busca, quase obsessiva, do rosto…Somente o rosto, porque nele está a concentração de tudo, o substrato… Mas o desafio não é o rosto acadêmico, submetido às regras da anatomia e da perspectiva…não!! O rosto de Veronese é de uma síntese provocadora, quase abstracionista. Nele não há o arcabouço ósseo nem, por vezes, a concepção correlata das duas metades da face. Mas atenção, porque esse falso simplismo vem impregnado de um comovente humanismo. Em 2003, ameaçado de morte no Rio em decorrência da denúncia que faz sua pintura, Veronese deixa o Brasil para viver na França. Deixa o país mas não seu engajamento. Em mostras nos Estados Unidos, Suíça, e França, continua a mostrar obsessivamente esses rostos, dando cara aos que não têm direito à uma imagem, uma forma de reagir à sua própria perplexidade Sua primeira exposição em Paris, Visages du Silence, abre surpreendente espaço na imprensa francesa de primeira linha. A mostra prevista para durar 15 dias, acaba prorrogada por três vezes, ficando em cartaz sessenta dias. Convidado pelo Jornal da Tarde, do Grupo Estado, para dar sua opinião sobre a Bienal de São Paulo 2002, resumiu com uma frase sua posição: “há mais emoção e história numa simples aquarela de Egon Schiele do que em todo o pavilhão da bienal paulistana”. Diferentemente da maioria dos artistas que se expressa exclusivamente através de sua arte, Veronese manifesta-se constantemente, publicando artigos e dando entrevistas… engajado e sem medo do clichê! Para ele o artista tem, especialmente no Brasil, “le devoir de l´insolénce”. Afastado fisicamente do Brasil, mas, jamais, emocionalmente dos problemas de seu país, o pintor continua a rugir das profundezas do seu atelier em meio à Floresta de Fontainebleu [...] Crítico feroz da passividade carioca diante da septicemía da violência, diz em entrevista à Rádio France que “… está na hora do Rio olhar-se no espelho pois, sentir vergonha, já é um bom começo!” Em 1990 Tom Jobim escreveu no convite da Exposição Tensão no Rio na Galeria IDEA: "…na pintura de Veronese estão os personagens do que ele chama de guerra civil carioca”. Seus rostos traçam um perfil angustiante desses nossos “tempos de cólera”".
- Paulo Gayarsy

PAINÉIS

600 enfants - MNBA, Rio-1998

Famine, by Veronese, Mission Brésilienne aux
Nations Unis -New York-1994

L’ Angélus de Millet, d’après Antonio Veronese
Maison Rousseau-Barbizon.

Tensão no Campo, Antonio Veronese (1996)
Congresso Nacional - Brasilia/DF

« Il garde une cicatrice invisible enfouie dans sa mémoire visuelle, qui se reflète à travers ses oeuvres… j’ ai  immédiatement été séduite par ces visages au regards intenses...»
“Ele guarda uma cicatriz invisível na sua memoria visual, que se reflete através de suas obras…eu imediatamente fui seduzida por esses rostos de olhares intensos..."
- GLINT MAGAZINE - Paris


OBRAS ESCOLHIDAS
FACES
© Antonio Veronese


© Antonio Veronese

© Antonio Veronese

© Antonio Veronese

© Antonio Veronese

© Antonio Veronese

Femme, Antonio Veronese © - (Avril /2012) 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese

Menino, Antonio Veronese © - (Barbizon/2009)

La nuit, Antonio Veronese ©

Gamin, Antonio Veronese ©

Solitude, Antonio Veronese ©

Tête de femme, Antonio Veronese © - (Barbizon/2011)

Tête de garçon,  Antonio Veronese © - (Barbizon/2008)

© Antonio Veronese

© Antonio Veronese 

Paysanne, Antonio Veronese © (2012)

Paysanne, Antonio Veronese © (2011)

© Antonio Veronese 


© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 


© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 


© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 


© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 


© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 


© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 
Visage, Antonio Veronese©  (Barbizon/2010)

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

Garçon, Antonio Veronese© (Barbizon/ 2011)

Visage d'homme, AntonioVeronese© (Avril/2012)

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 

D'homme, Antonio Veronese© 

© Antonio Veronese (Barbizon/2009)


© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese 
© Antonio Veronese

© Antonio Veronese

D'homme, Antonio Veronese © (Avril/2012)

Suite sixtina, Antonio Veronese © 

Suite sixtina, Antonio Veronese © 


© Antonio Veronese 


© Antonio Veronese 


© Antonio Veronese 


© Antonio Veronese 

“Nesses rostos de aparência torturada, inquietantes e quase repulsivos, Antonio Veronese pôde entrever a parcela luminosa, que ele nos revela. Esses rostos, esses olhares são um testemunho vibrante do humano que existe em cada um de nós.”
- Marinka Schillings


NU
Veronese no seu atelie pintando

© Antonio Veronese 

© Antonio Veronese

© Antonio Veronese

© Antonio Veronese

© Antonio Veronese

L'amour (variation 5), Antonio Veronese © 


ATELIER À BARBIZON 
Antonio Veronese no Atelier em Barbizon

Atelier de Antonio Veronese, em Barbizon

Atelier de Antonio Veronese, em Barbizon

Atelier de Antonio Veronese, em Barbizon

Atelier de Antonio Veronese, em Barbizon

Atelier de Antonio Veronese, em Barbizon

Atelier de Antonio Veronese, em Barbizon

Atelier de Antonio Veronese, em Barbizon


Veronese observando sua pintura


AMIGOS E DEPOIMENTOS
“A pintura de Antonio Veronese é um inventário definitivo desses nossos tempos de cólera.”
«La peinture de Véronèse est un inventaire définitif  de ces temps de choléra.»
- Jornal do Brasil/Rio de Janeiro

Augusto Boal e Antonio Veronese, Unesco Paris
(Foto: Acervo  Veronese)

“Pintura marcada pela delicadeza e sensibilidade. Qualquer coisa de pessoal, com um toque de espontaneidade nos rostos. Únicos, ainda que dentro de um processo de repetição buscado pelo artista. Um por todos, todos juntos. Rostos de um mundo hostil. Marginal…”
«Des tableaux marqués par la souplesse et la sensibilité. Quelque chose de personnel, une touche de spontanéité des visages. Uniques et pris aussi dans les processus voulu par l´artiste de la répétition. Un pour tous et tous ensembles. Des visages d´un monde âpre. A la marge…»
- Le Figaro-Paris

Veronese com Tom Jobim - Rio 1990
(Foto: Acervo  Veronese)


 ”Na pintura de Veronese estão os protagonistas da guerra civil carioca”
- Tom Jobim

Veronese e Chico na TVE/Rio,  em 1996
ao fundo o painel que o artista pintou
 para a TVE e que desapareceu

(Foto: Acervo  Veronese)

 “São extraordinárias a luta e obra de Antonio Veronese para diminuir a violência contra jovens no Rio de Janeiro.”
- Hillary Clinton, então primeira dama dos Estados Unidos- 1997.

Veronese com Betinho, Mimina Roveda e Edgard Azevedo
- Primeira exposição do painel FAMINE - Rio de Janeiro 1994.

(Foto: Acervo  Veronese)

 "Dizem que os rostos de Veronese retratam meninos prisoneiros do Brasil... É uma simplificação. É certo que a convivência com esses infelizes marcou profundamente sua pintura...mas ela trata de algo mais profundo. Em realidade o que Veronese pinta é o retrato da nossa perplexidade, de nossa impotência diante da vida e do mundo contemporâneo. E, por isso, ele é definitivo; um clássico. Faltava, nesses tempos envenenados pelo abstracionismo galopante e pelo niilismo da arte conceitual, alguém que desenhasse o rosto da contemporaneidade: e é isso que Veronese está fazendo."
- Modesto Lanzone - Museo Italo-Americano de Fort Mason-San Francisco- USA.


Gilberto Gil e Veronese - Rio, 1998.
(Foto: Acervo  Veronese)

“Seus rostos traçam um perfil angustiante do país. Um inventário definitivo desses nossos tempos de cólera.”
- Jornal do Brasil

Danielle Mitterrand - Exposition Visages de Veronese
- Galerie Celal à Paris, 2008 - 
(Foto: Acervo  Veronese)

“O trabalho de Antonio Veronese é extremamente fascinante, uma experiência belíssima que nós precisamos comunicar ao país.”
- Francisco Weffort - então Ministro da Cultura
 
Veronese e Carlinhos Lyra, em Londres, 1998.
(Foto: Acervo  Veronese)

“Mais uma vez Antonio Veronese põe seu talento à serviço da luta pela redenção social do país.”
- Informe JB- Jornal do Brasil- 4-8-1996
  
Veronese e Marcos Valle, Londres, 2008.
(Foto: Acervo  Veronese)

“Por sua profunda identificação com seu tempo, o painel “Famine” de Antonio Veronese é uma obra definitiva na pintura brasileira.”
- Anita Schwartz- Galeria Anita Schwartz- Rio.


Herbert de Souza e Antonio Veronese nas Nações Unidas,
diante do painel Povos do Mundo-Nova York 1994.

(Foto: Acervo  Veronese)

“Veronese revive com garra a linguagem do expressionismo…e nos oferece um contundente registro plástico das ruas do Rio.”
« Véronèse revisite avec  audace le langage expressionniste et nous offre un confondant  inventaire plastique des rues du rio»
- Mário Margutti - Jornal do Comércio-Rio de Janeiro


A pintura do Veronese pega a gente pelos olhos e bate fundo no estômago.”
- Jô Soares, no programa Jô Onze e Meia.


Antonio Veronese - Barbizon, abril/ 2013
(Foto: Acervo Veronese)
“Há mais coisa entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã burguesia…”
- Antonio Veronese


MAIS SOBRE ANTONIO VERONESE
Obras de Veronese no Artslant San Francisco
Pagina Antonio Veronese

© Direitos reservados ao autor/e ou ao seus herdeiros

© Pesquisa, seleção e organização: Elfi Kürten Fenske


=== === ===
Trabalhos sobre o autor:
Caso, você tenha algum trabalho não citado e queira que ele seja incluído - exemplo: livro, tese, dissertação, ensaio, artigo - envie os dados para o nosso "e-mail de contato", para que possamos incluir as referências do seu trabalho nesta pagina. 

Como citar:
FENSKE, Elfi Kürten (pesquisa, seleção e organização). Antonio Veronese - as faces do silêncio. Templo Cultural Delfos, agosto/2013. Disponível no link. (acessado em .../.../...).
____
** Página atualizada em 7.3.2016.



Licença de uso: O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, poderá ser reproduzido desde que citada a fonte, excetuando os casos especificados em contrário. 
Direitos Reservados © 2016 Templo Cultural Delfos

2 comentários:

  1. Elfi,Antonio Veronese merece um trabalho como o seu,com sensibilidade,seriedade e esmero!Grata amiga!!

    ResponderExcluir
  2. Arte essencial de um artista que se revela ser especial e necessário !!!

    ResponderExcluir

Agradecemos a visita. Deixe seu comentário!