Henfil - carta a Elis Regina


Elis Regina

Elis,
Tudo bem. Nenhuma pista sobre tua morte. Tipo crime perfeito. Precisa ver. Os perplexos seguem as pegadas duma tal fama assassina que devora seus filhos. Os nascidos nos anos 40 já acham que tá é passando um flautista, convocando a geração "da gente" (Ri! Ri! Ri!). Os legistas shibatam tuas vísceras à cata de comprimidos e tóxicos.
                      Tu despistou todo mundo.
                      Mas eu, eu encontrei a caixa-preta. E vou dormir:
                      Nós homens te matamos, mulher.
                      Você dobrou tua voz e venceu. Dobrou teus negócios e venceu. Dobrou tua consciência política e venceu.
                      Quis ser mulher livre e perdeu...
                      Nós homens te exigimos alta, linda e gostosa. Nós homens te espancamos a murros e pontapés uma, duas, de dez vezes. Nós homens te obrigamos a lavar roupa e cozinhar pra nos sustentar. Nós homens te forçamos a se humilhar diante do teu povo, cantando de joelhos o hino nacional. Aí, nós homens, sem perguntar, te enterramos no cemitério dos mortos-vivos do Caboco. Mamadô. Nós homens te exibimos em churrascarias. Nós homens te vestimos de azul, vermelho, branco, roxo, amarelo, preto e cortamos teu cabelo curtim feito Joana d"Arc.
                      E você só queria namorar nós homens.
                      Mas nós homens não conseguimos namorar uma mulher livre.
                      Perplexos, quarentões e médicos-legistas!
                      Podem suspender as diligências.
                      Tá na caixa-preta: fomos nós, homens.

Henfil Sreet

27.1.1982


Carta escrita por Henfil, publicada na revista Istoé, 27.1.1982



VISITE AQUI NO SITE: 
:: Elis Regina - entrevista: a equilibrista
:: Henfil - entrevista: o baixinho sou eu

© Direitos reservados aos seus herdeiros
____
Página atualizada em 19.4.2016.



Licença de uso: O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, poderá ser reproduzido desde que citada a fonte, excetuando os casos especificados em contrário. 
Direitos Reservados © 2016 Templo Cultural Delfos

4 comentários:

  1. ELIS UMA MULHER "menina" DE M GRANDE QUE NÃO CABE NESTE ESPAÇO, E NÃO COUBE NO SEU TEMPO, E POR ISSO FOI OBRIGADA A PARTIR CEDO DE MAIS.AINDA HOJE QUANDO TE OUÇO AS LÁGRIMAS ROLAM TEIMOSAMENTE NO MEU ROSTO!!!<3 <3

    ResponderExcluir
  2. Texto divino, que espanta pela atualidade...mas então não mudou muita coisa, né?! E a gente continua se enganando...

    ResponderExcluir
  3. carlos gomes mòr29 de julho de 2016 17:56

    ---...foi vítima da covardia e da preguiça,....quantos a sua volta estavam assistindo seu suicídio, lentamente,...é um processo em marcha que, por monstruoso, previsível...

    ResponderExcluir
  4. Elis é demais para meu coração......vazio

    ResponderExcluir

Agradecemos a visita. Deixe seu comentário!