Um chamado João, de Carlos Drummond de Andrade

João Guimarães Rosa
Poema transcrito abaixo do manuscrito







Um chamado João


João era fabulista?


fabuloso?

fábula?
Sertão místico disparando
no exílio da linguagem comum?
Projetava na gravatinha
a quinta face das coisas,
inenarrável narrada?
Um estranho chamado João
para disfarçar, para farçar
o que não ousamos compreender?
Tinha pastos, buritis plantados
no apartamento?
no peito?
Vegetal ele era ou passarinho
sob a robusta ossatura com pinta
de boi risonho?

Era um teatro
e todos os artistas
no mesmo papel,
ciranda multívoca?
João era tudo?
tudo escondido, florindo
como flor é flor, mesmo não semeada?
Mapa com acidentes
deslizando para fora, falando?
Guardava rios no bolso,
cada qual com a cor de suas águas?
sem misturar, sem conflitar?
E de cada gota redigia nome,
curva, fim,
e no destinado geral
seu fado era saber
para contar sem desnudar
o que não deve ser desnudado
e por isso se veste de véus novos?

Mágico sem apetrechos,
civilmente mágico, apelador
e precipites prodígios acudindo
a chamado geral?
Embaixador do reino
que há por trás dos reinos,
dos poderes, dassupostas fórmulas
de abracadabra, sésamo?
Reino cercado
não de muros, chaves, códigos,
mas o reino-reino?
Por que João sorria
se lhe perguntavam
que mistério é esse?

E propondo desenhos figurava
menos a resposta que
outra questão ao perguntante?
Tinha parte com... (não sei
o nome) ou ele mesmo era
a parte de gente
servindo de ponte
entre o sub e o sobre
que se arcabuzeiam
de antes do princípio,
que se entrelaçam
para melhor guerra,
para maior festa?

Ficamos sem saber o que era João
e se João existiu
de se pegar.


***

Referências e fontes de pesquisa
Poema publicado no jornal Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 22 nov. 1967;
reproduzido, posteriormente, em PEREZ, Renard. Em Memória de João Guimarães Rosa. Rio de Janeiro, José Olympio, 1968; e em edições seguintes de Sagarana.
__________
Foto: Acervo família Tess



TEM MAIS JOÃO GUIMARÃES ROSA POR AQUI

© Direitos reservados ao autor/e ou ao seus herdeiros

© Pesquisa, seleção e organização: Elfi Kürten Fenske
____
Página atualizada em 11.3.2013.



Licença de uso: O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, poderá ser reproduzido desde que citada a fonte, excetuando os casos especificados em contrário. 
Direitos Reservados © 2016 Templo Cultural Delfos

2 comentários:

  1. Engraçado...como ficou semelhante à imagem que publiquei do manuscrito de Rosa, no meu Blogue, 2 meses e meio antes, a 19 de Novembro de 2010.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Peço perdão pela demora em responder-te, contudo, só agora descobrimos como fazê-lo de forma correta. Tentamos por diversas vezes, mas, sempre dava erro.
      Fui em seu Blog, mas confesso não ter encontrado o manuscrito que você se refere.
      Abraços, volte sempre!

      Excluir

Agradecemos a visita. Deixe seu comentário!