João Guimarães Rosa: Fortuna Crítica VI – Tutaméia (Terceiras estórias)

João Guimarães Rosa, no Sertão de Minas Gerais em 1952.

"Tudo se finge, primeiro; germina autêntico é depois."
- João Guimarães Rosa, em "Tutaméia".


TUTAMÉIA (TERCEIRAS ESTÓRIAS), publicado em julho de 1967, poucos meses antes da morte de Guimarães Rosa, Tutaméia [Terceiras estórias] é a reunião de 40 histórias extremamente curtas, que haviam sido veiculadas anteriormente no jornal Pulso, uma publicação dedicada aos médicos.

1ª Edição de Tutaméia, de João Guimarães Rosa
Ilustrado, por Poty
A propósito do significado da palavra tutaméia, Paulo Rónai - em artigo publicado no jornal O Estado de São Paulo, em 16 de março de 1968, afirma: 'No Pequeno Dicionário da Língua Portuguesa encontramos tuta-e-meia definida por Mestre Aurélio como 'ninharia, quase nada, preço vil, pouco dinheiro'. Numa glosa da coletânea, o próprio contista, confirma a identidade dos dois termos, juntando-lhes outros equivalentes pitorescos, tais como 'nonada, baga, ninha, inânias, ossos de borboleta, quiquiriqui, mexinflório, chorumela, nica'.
Atribuiria ele tão pouco valor ao volume? Ou terá adotado a fórmula como antífrase carinhosa e, talvez, até supersticiosa? Inclinou-me para esta última suposição'.

"Esperar é reconhecer-se incompleto."
- em "Tutaméia".



“Tudo isso mostra um autor absolutamente inclassificável, a não ser nas categorias do gênio, isto é, dos grandes isolados.”
- Alceu Amoroso Lima, ao saudar o aparecimento de Tutaméia.


"A anedota, pela etimologia e para a finalidade, requer fechado ineditismo. Uma anedota é como um fósforo: riscado, deflagrada, foi-se a serventia. Mas sirva talvez ainda a outro emprego a já usada, qual mão de indução ou por exemplo instrumento de análise, nos tratos da poesia e da transcendência. Nem será sem razão que a palavra “graça” guarde os sentidos de gracejo, de dom sobrenatural, e de atrativo."
- João Guimarães Rosa, em "Tutaméia".



BIBLIOGRAFIA SOBRE O LIVRO TUTAMÉIA (TERCEIRAS ESTÓRIAS), DE JOÃO GUIMARÃES ROSA.
ALMEIDA, Alexandra Vieira de. Os processos literários na construção do prefácio “Aletria e Hermenêutica”. Anais, Congresso Nacional do Cinqüentenário de Grande Sertão: Veredas e Corpo de Baile. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras/UFRJ, 25-27 set./2006. Disponível no link. (acessado 9.12.2011)
ANDRADE, Ana Maria Bernardes de. A Velhacaria Nos Paratextos d Tutaméia – Terceiras Estórias. (Dissertação Mestrado Teoria e História Literária). Campinas: UNICAMP. Disponível no link. (acessado 17.12.2011).
ANDRADE, Ana Maria Bernardes de. O quem da astúcia em Tutaméia. (Tese Doutorado em Letras - Ciência da Literatura). Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, 2013.
ANDRADE, Ana Maria Bernardes de. A velhacaria nos paratextos de Tutaméia. In: II Seminário Internacional Guimarães Rosa, 2001, Belo Horizonte. Veredas de Rosa II. Belo Horizonte: PUC Minas, 2001. p. 36-41.
ANDRADE, Ana Maria Bernardes de. Anedotas de abstração: as estórias rosianas. In: VII Simpósio de Pós-Graduação em Ciência da Literatura: Literatura, História, Filosofia, 2010, Rio de Janeiro. Revista Garrafa. Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura - Letras - UFRJ, 2010. v. 22.
ANDRADE, Ana Maria Bernardes de. Tutaméia e Odisséia: rima ou solução?. In: Anais do IV Congresso Nacional de Estudos Clássicos, Ouro Preto - MG, 2001.
ANDRADE, Paulo. Retira a quem escreve sua caneta: Guimarães Rosa e a subtração da escrita. Belo Horizonte: Em Tese, V. 6 , p. 217-224, ago. 2003. Disponível no link. (acessado 12.12.2011).
ARAUJO, Heloisa Vilhena de.. As três graças: nova contribuição ao estudo de Guimarães Rosa. São Paulo: Mandarim, 2001.
AVELAR, Idelber. The Logic of Paradox in Guimarães Rosa's "Tutameia". Latin American Literary Review, Vol. 22, No. 43 (Jan. - Jun., 1994), pp. 67-80. Disponível no link. (acessado 13.5.2013).
BOLLE, Willi. Anedotas de abstração: Tutaméia. In: ______. Fórmula e fábula: teste de uma gramática narrativa, aplicada aos contos de Guimarães Rosa. São Paulo: Perspectiva, 1973, p. 111-133.
BRANCO, Ana Lúcia. "Do chiste à mimesis: a respeito da Família em Tutaméia". (Dissertação Mestrado Literatura). São Paulo: Universidade de São Paulo, USP, 2009. Disponível no link.(acessado 17.12.2011).
BRASIL, Assis. A chave da obra. In: ______. Guimarães Rosa. Rio de Janeiro: Organização Simões, 1969, p. 55-105.
BUENO, Giselle Madureira. Humor e alegria em Tutaméia: terceiras estórias de Guimarães Rosa. (Tese Doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada). Universidade de São Paulo, USP, 2012.
CAIXETA, Maryllu de Oliveira; LEONEL, Maria Célia de Moraes. O valor nas Terceiras estórias: Tutaméia. In: Anais do X Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários e IV Simpósio de Literatura: Diálogos com a crítica de Antonio Candido & Diálogos com a França. Araraquara: Programa de Pós-Graduação em Estudos Literário, 2009. p. 161-168.
CAIXETA, Maryllu de Oliveira. A estória em Tutaméia: invenção e autoavaliação. In: II Colóquio da Pós-Graduação em Letras, 2010, Assis. Literatura e vida social, 2010. p. 800-808. Disponível no link. (acessado 12.12.2011).
CAIXETA, Maryllu de Oliveira.O Paradoxo e o Mito em Tutaméia.(Dissertação mestrado). Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, UFU, 2008.
CAIXETA, Maryllu de Oliveira. A estória em Tutaméia como projeto político-literário. In: XII Congresso Internacional ABRALIC, 2011, Curitiba. Centro; centros: ética e estética, 2011. p. 1-11.
CAIXETA, Maryllu de Oliveira. A ironia em Tutaméia como inclusão do leitor. In: II ENALE Encontro Nacional de Leituras, 2011, Humaitá. Literatura: vereda interdisciplinar e multicultural, 2011.
CAIXETA, Maryllu de Oliveira. A ironia e o tragicômico em Tutaméia. In: XII Seminário de Pesquisa do Programa de Pósgraduação em Estudos Literários VII Semana de Estudos Teatrais da Unesp - Teatro, Cinema e Literatura: Confluências, Araraquara., 2011. p. 414-433.
CAMARGO, Jose Marcio. O narrador desdobrado, a encenação midiática e a vez do subalterno. Caderno de Resumos do III Seminario Internacional Guimaraes Rosa, Belo Horizonte - MG, v. 3, n. -, p. 85-85, 2004.
CAMARGO, Jose Marcio. Verdade e nomadismo: estudo de quatro contos de Tutaméia, de João Guimarães Rosa. Juiz de Fora - MG: Clio Edições Eletrônicas, 2004. v. 1. 81 p.
CAMARGO, Jose Marcio. O amor sem verdade em Desenredo, de Tutaméia, de João Guimarães Rosa. Veredas de Rosa. Belo Horizonte: PUC Minas, 2002., Belo Horizonte - MG, v. 2, p. 560 - 565, 01 ago. 2004.
CAMARGO, Jose Marcio. O amor sem verdade em Desenredo, de Tutaméia, de João Guimarães Rosa. In: II Seminário Internacional Guimarães Rosa, 2001, Belo Horizonte - MG. Veredas de Rosa. Belo Horizonte: PUC Minas, 2002.. Belo Horizonte - MG : Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2002. v. 2. p. 360-365.
CAMARGO, Jose Marcio. Verdade e nomadismo: estudo de quatro contos de Tutaméia, de João Guimarães Rosa. (Dissertação Mestrado Letras). Universidade Federal de Juiz de Fora, UFJF, Brasil., Juiz de Fora/MG, 2002.
CAMPELO, Wanúbia do Nascimento Moraes. Do periódico ao livro: originalidade da criação literária de Guimarães Rosa em Tutaméia. (Dissertação Mestrado em Letras) - Universidade Federal do Pará, Belém, 2011. Disponível no link. (acessado 15.5.2013).
CARPEAUX, Otto Maria. O artigo sobre os prefácios. In: ______. Vinte e cinco anos de literatura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968, p. 268-273. 
CARVALHO, Márcio Cezar. Tutaméia, A projeção do conceito através da poética. Disponível no link. (acessado 18.12.2011).
CEZAR, Adelaide Caramuru. Tutaméia: derradeira obra de João Guimarães Rosa. Revista Trama (Cascavel. Impresso), v. 3, p. 11-24, 2007.
COSTA LIMA, Luiz. Mito e provérbio em Tutaméia. In: A Metamorfose do silêncio: análise do discurso literário. Rio de Janeiro: Eldorado, 1974. p. 232.
COVIZZI, Lenira Marques. Prefácios travestidos — estudo sobre as funções dos prefácios de Tutaméia – Terceiras Estórias. In: —. O insólito em Guimarães Rosa e Borges. São Paulo: Ática, 1978, p. 88-102.  
CRUZ, Antonia Marly da Silva. Sob o signo do amor: uma leitura de seis contos de Tutaméia. (Dissertação Mestrado em Estudo Literários). Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, UNESP), Araraquara, São Paulo, 1996.
CRUZ, Antonia Marly Moura da Silva. A transferência metafórica nos nomes de personagens de Tutaméia de João Guimarães Rosa. (Teses Doutorado). São Paulo: Universidade de São Paulo, USP, 2001.
CRUZ, Renato de Araújo. O saber da espera. ângulo 115, out./dez., 2008, p. 127-135. Disponível no link. (acessado 18.12.2011).
CRUZ, Renato de Araújo.O teatro rosiano - o uso dos paradoxos nas narrativas de Tutaméia. (Tese Doutorado). São Paulo: Universidade de São Paulo, USP. 2003.
DALATE, Sergio. O Solfejo e o Modulejo para uma leitura de Tutaméia (Terceiras Estórias). Polifonia, Cuiabá, Ed. UFMT, n º 1, p. 91-108, 1994. Disponível no link. (acessado 26.12.2011).
DANIEL, Mary Lou. Post scriptum: Tutaméia. In: —. João Guimarães Rosa: travessia literária. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1968, p. 178-183. 
GALVÂO, Walnice Nogueira. Metáforas Náuticas. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. São Paulo, nº 41. 1996, p. 123-130.
GAMA, Monica Fernanda Rodrigues. Invenção do zero produção de indeterminação em Tutaméia de João Guimarães Rosa. In: Claudia Amigo Pino. (Org.). Criação em debate. São Paulo: Humanitas, 2007, v. , p. 161-170.
GAMA, Monica Fernanda Rodrigues. Sobre o que não deveu caber - Repetição e diferença na produção e recepção de Tutaméia. (Dissertação Mestrado Letras). São Paulo: Universidade de São Paulo, USP, 2008.
GARDELLARI, Sandra Chaves . Os Prefácios de Tutaméia e Sua Inter-Ligação. Disponível no link(acessado 26.12.2011).
GROSSMANN, Judith. João Guimarães Rosa: Tutaméia, fechate sésamo da obra. Cadernos Brasileiros, v. 11, 1969, p. 5-23.
HOLANDA, Sílvio Augusto de Oliveira. A poética narrativa de Tutaméia. In: IX JELL, 2007, Belém. Anais da IX Jornada de Estudos Literários e Lingüísticos. Belém: UFPA, 2006. v. 1. p. 212-221.
HOLANDA, Sílvio Augusto de Oliveira. A aragem dos acasos: sobre alguns temas trágicos em Guimarães Rosa. (Tese Doutorado). São Paulo: Universidade de São Paulo, USP, 2000.
LEONEL, Maria Célia de Moraes; SEIDINGER, Gilca Machado. A máquina de costura e a eletrola: a versão alemã de Tutaméia. In: Anais do IX Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-graduação em Estudos Literários. Araraquara: Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, 2007. v. 1. p. 183-189.
LEONEL, Maria Célia de Moraes; SEIDINGER, Gilca Machado. O discurso narrativo em Tutaméia, de João Guimarães Rosa, e sua versão alemã. In: Anais do VII Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-graduação em Estudos Literários - Grande sertão: veredas e Corpo de baile: 50 anos. Araraquara-SP: FCL/UNESP, 2006. p. 304-309.
LEONEL, Maria Célia de Moraes; SEIDINGER, Gilca Machado. Tutaméia e o mito como discurso. In: Anais do VII Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-graduação em Estudos Literários - Grande sertão: veredas e Corpo de baile: 50 anos. Araraquara-SP: FCL/UNESP, 2006. p. 50-57.
LIMA, Débora Domke Ribeiro. O Amor em quatro contos de Tutaméia. (Dissertação Mestrado em Letras). Universidade Estadual de Londrina, UEL, 2006.
LIMA, Marcelo Corrêa. Palavras paradoxais e imagens impossíveis: aproximações entre os prefácios de Tutaméia, de Guimarães Rosa e as gravuras de M.C.Escher. Disponível no link. (acessado em 15.12.2011).
MACHADO, Ana Maria. Recado do nome: leitura de Guimarães Rosa à luz do nome de seus personagens. Rio de Janeiro: Imago, 1976.
MARÇOLLA, Bernardo Andrade. Neblina em um dos prefácios de Tutaméia: desnudamento da ficcionalidade ou encobrimento do real?. Graphos - Revista da Pós Graduação em Letras/UFPB, João Pessoa, v. 8, n. 1, p. 123-130, 2006. Disponível no link. (acessado 15.12.2011).
MARTINS, Gisele Pimentel. As Sentenças Paremiológicas e a Construção do Poético em Tutaméia-Terceiras Estórias. Disponível no link(acessado 21.12.2011).
MARTINS, Gisele Pimentel. Os provérbios na construção do poético em Tutaméia-Terceiras Estórias. Disponível no link(acessado 21.12.2011).
MARTINS, Nilce Sant’Anna. O léxico de Guimarães Rosa. São Paulo: Edusp, 2001. 
MELO, Diana Oliveira de. Falas oblíquas: o engodo da palavra em Tutameia (terceiras estórias), de João Guimarães Rosa. (Dissertação Mestrado em Letras). Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil, 2011.
NOVIS, Vera. Tutaméia: engenho e arte. São Paulo: Perspectiva, 1989.
NUNES, Benedito. Interpretação de Tutaméia. Suplemento Literário do Estado de São Paulo, ano 11. capa, 2 set., nº 543, 1967.
NUNES, Benedito. Tutaméia. In: —. O dorso do tigre. 2ª ed., São Paulo: Perspectiva, 1976, p. 203-210. 
OLIVEIRA, Luiz Cláudio Vieira de. Com quantas palavras se faz um boi. Via Atlântica. São Paulo, nº 4 out. 2000, p. 107-17.
PARO, Sandra Regina. Crítica Textual em Tutaméia – Terceiras Estórias _O Prosseguir, A Travessia Rítmica. (Tese Doutorado). UGO. Disponível no link(acessado 21.12.2011).
PEREIRA, Rubens Alves. De Magna, Tutaméia e outros poemas: voz e alteridade em Guimarães Rosa. In: Seminário Internacional Guimarães Rosa: Veredas de Rosa (1998: Belo Horizonte). Belo Horizonte: PUC Minas, CESPUC, 2000, pp.619-623.
RAMOS, Jacqueline. Risada e Meia Comicidade em Tutaméia. (Tese Doutorado). São Paulo: Universidade de São Paulo, USP, 2007. Disponível no link. (acessado 21.12.2011).
RAMOS, Jacqueline. O estranho cômico em Tutaméia. Revista da ANPOLL, v. 24, p. 151-175, 2008. Disponível no link. (acessado 15.12.2011).
RAMOS, Jacqueline. Tutaméia: comicidade e representação. In: XI Congresso Internacional da Abralic, 2008, São Paulo. Anais do XI Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada, 2008. v. e-book.
RAMOS, Jacqueline . Risada e meia: comicidade em Tutaméia. 1ª ed., São Paulo: Annablume, 2009. v. 1. 188 p.
RAMOS, Jacqueline. A perspectiva cômica em Tutaméia. Ângulo (FATEA), v. n. 115, p. 89-95, 2008. Disponível no link. (acessado 21.12.2011).
RAMOS, Rita de Cássia. "A Poética Risível de Guimarães Rosa: um estudo de Aletria e Hermenêutica". (Especialização em Ciências Humanas - Centro de Extensão Universitária.), 2008.
RAMOS, Rita de Cássia. Texto e Intertexos em Tutaméia (Terceiras Estórias): uma leitura da linguagem poética de Guimarães Rosa. (Dissertação Mestrado Letras) São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), 2010.
RÓNAI, Paulo. “Os prefácios de Tutaméia” e “As estórias de Tutaméia”. In: ROSA, João Guimarães. Tutaméia (Terceiras Estórias). 6ª ed., Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985, p. 215-225. 
RODRIGUES, Camila. Mãos vazias e pássaros voando: Memória, Invenção e Não-História em Tutaméia de João Guimarães Rosa. (Dissertação Mestrado Historia social). São Paulo: Universidade de São Paulo, USP, 2009.
RODRIGUES, Camila. Mãos vazias e pássaros voando: Memória, Invenção e História em Tutaméia de João Guimarães Rosa. In: 1º Encontro de Pós-graduandos em Teoria Literária e Literatura Comparada e Italianística, 2005.
ROMANELLI, Katia Bueno. Álgebra mágica na construção dos textos de Tutaméia. (Tese Doutorado). São Paulo: Universidade de São Paulo, USP, 2007.
RÓNAI, Paulo. As estórias de Tutaméia. In: ROSA, J. G. Tutaméia. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976.
RÓNAI, Paulo. Os prefácios de Tutaméia. In: ROSA, J. G. Tutaméia. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976.
SANTA CRUZ, Maria de. Romeia e romenha de Rosa e Tutaméia. In: Seminário Internacional Guimarães Rosa, 2001, Belo Horizonte, MG. Veredas de Rosa II. (Org.) DUARTE, Lélia Parreira. et al. Belo Borizonte: PUC Minas:CESPUC-MG, 2003. p. 467-476.
SANTOS, Adilson dos. Duplos em Tutaméia (Terceiras Estórias). (Tese Doutorado em Letras). Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil, 2009.
SANTOS, Adilson dos.. A “despedidosa dose” de João Guimarães Rosa. Revista investigações, vol. 21, n° 1, Janeiro/2008. Disponível no link. (acessado em 15.6.2015).
SANTOS, Samantha Pires dos.. Ausência e transcendência: vazio, nonsense e criação em Tutaméia Terceiras estórias. (Dissertação Mestrado Letras) Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros. Fev./ 2011. Disponível no link. (acessado 23.12.2011).
SEIDINGER, Gilca Machado. Guimarães Rosa em tradução. São Paulo: Editora Unesp, 2011. Disponível no link. (acessado em 7.6.2015).
SEIDINGER, Gilca Machado. Traduzindo o intraduzível: Tutaméia em alemão. Estudos Lingüísticos (São Paulo), v. XXXV, p. 838-844, 2006. Disponível no link. (acessado 9.12.2011).
SEIDINGER, Gilca Machado. Tutaméia e sua tradução: para uma leitura crítica de Guimarães Rosa em alemão. In: VI Seminário do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários - FCL/UNESP - CAr, 2005, Araraquara. Caderno de Resumos, 2005.
SILVA, Alexandre Vilas Boas da.. Narradores autodiegéticos presentes em Tutaméia - Terceiras Estórias, de João Guimarães Rosa. (Dissertação Mestrado Letras). Londrina: Universidade Estadual de Londrina, UEL, 2005.
SILVA, Alexandre Vilas Boas da.. Violência X violência: análise do conto ''Esses Lopes'', de Guimarães Rosa. ContraPonto, v. 5, p. 12-23, 2015. Disponível no link. (acessado em 1.6.2016).
SILVA, Alexandre Vilas Boas da.. Felicidade Perturbada - evocação da lembrança em ''Rebimba, o bom'', de Guimarães Rosa. Revista Alere, v. 11, p. 343-360, 2015. Disponível no link. (acessado em 1.6.2016).

SILVA, Alexandre Vilas Boas da.. Discurso ardiloso em ''Antiperipleia'', de Guimarães Rosa. Boitatá, v. 20, p. 170-185, 2015. Disponível no link. (acessado em 1.6.2016).
SILVA, Maria Luiza de Castro da. Tutaméia: a autoria levada aos seus limites. Linguagem em (Re)vista, v. Ano 3, p. 131-138, 2006.
SILVA, Maria Luiza de Castro da. Guimarães Rosa e a máscara autoral em Tutaméia: a perspectiva anedótica do traço autobiográfico. In: Seminário Internacional Guimarães Rosa, 2000, Belo Horizonte. Veredas de Rosa. Belo Horizonte: Editora PUC MINAS, 1998. v. 1. p. 471-476.
SILVA, Maria Luiza de Castro da. Diferença e repetição: um jogo de simulacros em Tutaméia. In: IIICongresso da Abralic, 1995, Niterói. Limites. São Paulo: Edusp/Editora da Universidade de São Paulo, 1995. v. 2. p. 351-359.
SILVEIRA, Regina da Costa da. As malazartimanhas em Tutaméia da gênese dos causos à cultura científica.ANTARES, n° 1, jan-jun 2009. Disponível no link. (acessado 18.12.2011).
SPERA, Jeane Mari Sant’Ana. O mundo encantado de Tutaméia: Uma leitura de João Guimarães Rosa. (Dissertação Mestrado Letras). Instituto de Letras, História e Psicologia, Universidade Estadual Paulista, Assis, 1985.
SPERA, Jeane Mari Sant’Ana. A subversão da norma - um estudo das ousadias verbais em Tutaméia. (Tese Doutorado Letras). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, 1994.
SPERA, Jeane Mari Sant’Ana. As Ousadias Verbais em Tutaméia. 1. ed. São Paulo: Arte & Ciência, 1995. v. 1. 216 p.
SPERA, Jeane Mari Sant’Ana. O uso expressivo do pronome demonstrativo em Tutaméia, de João Guimarães Rosa. Estudos de Gramática Portuguesa, Frankfurt am Main, v. III, p. 211-216, 2000.
SPERA, Jeane Mari Sant’Ana. A som e o sentido em Tutaméia. In: Encontro de Estudos Lingüísticos de Assis (EELA), 1995, Assis. Revista Confluência. Assis: Arte e Ciência, 1994. v. 1. p. 240-244.
TELES, Gilberto Mendonça. O pequeno “sertão” de Tutaméia. Navegações, Porto Alegre, v. 2, n. 2, p. 109-115, jul./dez. 2009. Disponível no link. (acessado 15.5.2013).
TURRER, Daisy. O livro e a ausência de livro em Tutaméia, de Guimarães Rosa. (Dissertação Mestrado). Faculdade de Letras - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2000, p. 96.
VERRI, Valda Suely da silva. O narratário em alguns contos de 'Tutaméia (terceiras estórias)' de João Guimarães Rosa. (Tese Doutorado em Letras). Londrina: Universidade Estadual de Londrina, UEL, 2009.
VERRI, Valda Suely da Silva. Entre palavras e ações: o crime na linguagem de Guimarães Rosa. Aletria (UFMG), v. 20, p. 243-255, 2010.
VERRI, Valda Suely da Silva. O ato de narrar em 'tutaméia (terceiras estórias) de João Guimarães Rosa. In: II Conali Congresso Nacional de Linguagens em Interação, 2008, Maringá, p. 549-557.

"A gente na vem-vinda – de casos de partos. A gente conversava constituidamente, para recuidar, razões brancas. Eu escutava e espiava só as sutilezas, nos estilos da conversação. Aquelas montanhas de idéias e o capim debaixo das vacas."
- João Guimarães Rosa, em "Tutaméia".


BIBLIOGRAFIA SOBRE OS CONTOS EM TUTAMÉIA(TERCEIRAS ESTÓRIAS)
PREFÁCIOS
ALETRIA E HERMENÊUTICA
“Movente importante símbolo, porém, exprimindo possivelmente – e de modo novo original – a busca de Deus (ou de algum Éden pré-prisco, ou da restituição de qualquer de nós à invulnerabilidade e plenitude primordiais) é o caso do garotinho, que, perdido na multidão, na praça, em festa de quermesse, se aproxima de um polícia e, choramingando, indaga: – “Seo guarda, o sr. não viu um homem e uma mulher sem um meninozinho assim como eu?!”
- João Guimarães Rosa, em "Aletria e hermenêutica".


AQUINO, Fernando. A multiplicidade da anedota na arte contemporânea: a produção de espaços e o enfrentamento do poder. Disponível no link. (acessado 26.12.2011).
CAIXETA, Maryllu de Oliveira. Aletria e hermenêutica: prefácio valioso. Revista Alpha, UNIPAM, v. 5, p. 73-93, 2004.

HIPOTRÉLICO
“E fique à conta dos tunantes da gíria e dos rústicos da roça – que palavrizam autônomos, seja por rigor de mostrar a vida ao vivo, inobstante o escasso pecúlio lexical de que dispõem, seja por gosto ou capricho de transmitirem com obscuridade coerente suas próprias e obscuras intuições.”
- João Guimarães Rosa, em "Hipotrélico".
[...]

NÓS, OS TEMULENTOS
GUIMARÃES, Sídnei Cursino. A polifonia em “Nós, os temulentos” de Guimarães Rosa. Disponível no link(acessado 26.12.2011).
[...]

SOBRE A ESCOVA E A DÚVIDA
Guimarães Rosa aborda a questão da rotina impensada que envolve a vida humana. O escritor debruça-se sobre o fato de, em sua infância, mandarem-no
escovar de jejum os dentes assim que acordasse: “Eu fazia e obedecia.” Mas uma luz lhe brotara do absurdo:
“De manhã, razoável não seria primeiro bochechar com água ou algo, para abolir o amargo da boca, o mingau-das-almas? E escovar, então, só depois do café com pão, renovador de detritos?”
- João Guimarães Rosa, em "Sobre a escova e a dúvida".

COUTINHO, Eduardo Faria. Da escoa à dúvida: a obra indagadora de Guimarães Rosa. In: Seminário Guimarães Rosa. Minas Gerais: SEBRAE, Anais, 2006.

OS CONTOS
ANTIPERIPLÉIA
GIOVANNETTI, Tadeu Jordão Fernandes. O narrador em "Antiperipléia", de João Guimarães Rosa. Ao pé da letra,6.1:107‐114, 2004. Disponível no link. (acessado 27.12.2011).
VERRI, Valda Suely da silva. A quem justificar minha culpa? – uma leitura dos contos“Antiperipléia” e “-Uai, eu?” de Guimarães Rosa. Estudos Linguísticos XXXV, p. 1910-1917, 2006. Disponível em: (acessado 27.12.2011).
SILVA, Alexandre Vilas Boas da.. Discurso ardiloso em ''Antiperipleia'', de Guimarães Rosa. Boitatá, v. 20, p. 170-185, 2015. Disponível no link. (acessado em 1.6.2016).

ARROIO-DAS-ANTAS
SILVA, Antonia Marly Moura da. Apropriações metafóricas do mito no conto Arroio das Antas de Guimarães Rosa. In: II Seminário Nacional de Literatura e Cultura, 2010, São Cristovão. II Seminário Nacional de Literatura e Cultura. Cristovão: Editora da Universidade Federal de Sergipe, 2010.
[...]
A VELA AO DIABO
[...]
AZO DE ALMIRANTE
[...]
BARRA DA VACA
SILVA, Antonia Marly Moura da. A poeticidade dos nomes de personagens em "Barra da vaca", conto de João Guimarães Rosa. In: VI Semana de Estudos Lingüísticos e Literários de Pau dos Ferros - VI SELLP, 2008, Pau dos Ferros - RN. Tendências e abordagens em lingüística literatura e ensino. Mossoró - RN: Queima Bucha, 2008.
[...]
COMO ATACA A SUCURI
[...]
CURTAMÃO
LEONEL, Maria Célia de Moraes. De alvenel a arquiteto: o espaço em Curtamão de Guimarães Rosa. Revista da ANPOLL, Humanitas/ FFLCH-USP-São Paulo, v. 14, p. 105-123, 2003.
SEIDINGER, Gilca Machado. História, discurso, tradução: a versão alemã de “Curtamão”, de Guimarães Rosa. Encontro ESTUDOS LINGÜÍSTICOS, São Paulo, 37 (2): 163-168, maio-ago. 2008. Disponível no link. (acessado 18.12.2011).
VERRI, Valda Suely da Silva. O conto "Curtamão" de Guimarães Rosa e o destinatário da criação artística. Revista trama (UNIOESTE. Online), v. 7, p. 135-152, 2011.

DESENREDO
BOTOSO, Altemir. A Intertextualidade no conto - "Desenredo", de João Guimarães. Revista Multidisciplinar n° 1, Jun. 2006. Disponível no link. (acessado 15.12.2011).
SPERA, Jeane Mari Sant’Ana. A integração poético-textual dos componentes neológicos do conto Desenredo, de João Guimarães Rosa. In: Adenize Aparecida Franco; Níncia Cecília Ribas Borges Teixeira. (Org.). Leituras Plurais: diálogos entre Letras, Ciências e Artes. Guarapuava: UNICENTRO, 2006, v. 1, p. 33-44.

DROENHA
CEZAR, Adelaide Caramuru. O Duplo em “Droenha”, de João Guimarães Rosa. In: Anais ABRALIC, 2007.
SILVA, Antonia Marly Moura da. Figurações do Narciso Moderno em "Droenha", conto de Guimarães Rosa. In: I Colóquio de Estudos críticos da Literatura, 2009, Pau dos Ferros. I Colóquio de Estudos críticos da Literatura. Mossoró : Queima Bucha, 2009.

ESSES LOPES
ABRIATA, Vera Lúcia Rodella. A paixão da vingança e formas de vida em "Esses Lopes" de Guimarães Rosa. In: Marchezan, R; Cortina, A. Baquião, R. (Org.). A abordagem dos afetos na semiótica. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011, v. , p. -.
SILVA, Alexandre Vilas Boas da.. Violência X violência: análise do conto ''Esses Lopes'', de Guimarães Rosa. ContraPonto, v. 5, p. 12-23, 2015. Disponível no link. (acessado em 1.6.2016).
SILVA, Alexandre Vilas Boas da.. Discurso ardiloso em ''Antiperipleia'', de Guimarães Rosa. Boitatá, v. 20, p. 170-185, 2015. Disponível no link. (acessado em 1.6.2016).
SILVA, Antonia Marly Moura da. A palavra como ato de resistência: uma leitura de Esses Lopes. Itinerários (UNESP), Araraquara, v. 10, p. 63-74, 1996.
SPERA, Jeane Mari Sant’Ana; FRANGIOTTI, Graziele Altino . Estratégias argumentativas em Esses Lopes, de J.G. Rosa. In: Jeane Mari Sant'Ana Spera, Eunice Lopes Toledo. (Org.). Lingüística Textual: Literatura, Relações textuais, Ensino. 1ª ed. São Paulo: Arte & Ciência, 2007, v. 500, p. 22-31.
PACCA, Maria Beatriz. A Revitalização da Linguagem em "Esses Lopes". In: II Seminário Internacional Guimarães Rosa - Veredas de Rosa II, 2003, Belo Horizonte. II Seminário Internacional Guimarães Rosa - Veredas de Rosa II. Belo Horizonte: PUC Minas, 2002. p. 449-453.

ESTÓRIA Nº 3
CORVACHO, Suely. O duplo em “Estória Nº 3” de Guimarães Rosa. Disponível no link. (acessado 15.12.2011)
NASCIMENTO, Edna Maria F. S.; LEONEL, Maria Célia. La passion de la peur dans Estória n.º 3. Plural Pluriel - revue des cultures de langue portugaise, [En ligne] n° 4-5, automne-hiver 2009. Disponível no link.(acessado 15.12.2011)
SANTOS, Wellington de Almeida. Artimanhas do contar. Anais, Congresso Nacional do Cinqüentenário de Grande Sertão: Veredas e Corpo de Baile. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras/UFRJ, 25-27 set./2006. Disponível no link. (acessado 9.12.2011).
SILVA, Antonia Marly Moura da. Imagens do duplo na caracterização do personagem em Estória n. 3, conto de Tutaméia João Guimarães Rosa. In: I Colóquio Internacional de Estudos Lingüísticos e Literários, 2010, Maringá - PR. Anais do 1º CIELLI, 2010. p. 1-12.



ESTORINHA
SILVA, Antonia Marly Moura da. O mito da mulher fatal no conto Estorinha. In: XIII Seminário Nacional e IV Seminário Internacional Mulher e Literatura, 2009, Natal. Mulher e Literatura: memórias, representações, trajetórias. João Pessoa: Ideia, 2009.
[...]
FARAÓ E A ÁGUA DO RIO
[...]
HIATO
[...]
INTRUGE-SE
ALMEIDA, Ivana Ferrante Rebello e.; TAVARES, Maíra Pinheiro. O mal no conto Intruge-se, de Guimarães Rosa: uma experiência para o aprendizado. Línguas e Letras (Online), v. 14, p. 74-84, 2013. Disponível no link. (acessado em 10.5.2014).

JOÃO PORÉM, O CRIADOR DE PERUS
[...]
GRANDE GEDEÃO
[...]
REMINISÇÃO
SILVA, Antonia Marly Moura da. No princípio era o amor: uma leitura de Reminisção, conto de João Guimarães Rosa. Itinerários (UNESP), Araraquara, v. 12, p. 155-164, 1998.

LÁ, NAS CAMPINAS
PERRONE-MOISÉS, Leyla. Nenhures 2: Lá, nas campinas. In: Inútil Poesia e Outros Ensaios Breves. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

MECHÉU
[...]
MELIM-MELOSO
[...]
NO PROSSEGUIR
[...]
O OUTRO OU O OUTRO
CAMARGO, Jose Marcio. Ciganos em negociação cultural, nas margens: estudo do conto O outro ou o outro, de Tutaméia, de João Guimarães Rosa. In: Congresso da Abralic - Associação Brasileira de Literatura Comparada, 2002, Belo Horizonte - MG. Caderno de Resumos, 2002.
CÉZAR, Adelaide Caramuru; SILVA, Alexandre Vilas Boas da; LIMA, Débora Domke Ribeiro. O narrador presente em ``O outro ou o outro´´, de João Guimarães Rosa. Estudos Lingüísticos (São Paulo), UNICAMP - SP, v. 33º. p. 1-6, 2003.
LIMA, Débora Domke Ribeiro. O narrador presente em "O outro ou o outro", de João Guimarães Rosa. Estudos Lingüísticos (São Paulo), v. 34, 2004.
SANTOS, Adilson dos. Alteridade em “o outro ou o outro”, de João Guimarães Rosa. In:  X Congresso Internacional da ABRALIC 2006 - Lugares dos Discursos, Rio de Janeiro,2006. p. 1-10. Disponível no link(acessado 9.12.2011).

ORIENTAÇÃO
LIMA, Débora Domke Ribeiro. Estudo sobre alteridade no conto "Orientação" de João Guimarães Rosa. In: 10º Simpósio Nacional de Letras e Linguística, 2004, Uberlândia. 10º Simpósio Nacional de Letras e Linguística, 2004.
PACCA, Maria Beatriz. Orientando-se pela constelação do Cruzeiro do Sul - Uma Análise da tradução francesa do conto 'Orientação' de João Guimarães Rosa. (Dissertação Mestrado em Letras). Universidade Estadual de Londrina, UEL, 1997.
SANTOS, Adilson dos. A presença da alteridade em "Orientação", de João Guimarães Rosa. Nonada (Porto Alegre), v. 10, p. 25-41, 2007.

OS TRÊS HOMENS E O BOI
SANTOS, Adilson dos. Os três homens e o boi dos três homens que inventaram um boi: um conto metalingüístico. Estudos Lingüísticos XXXV, p. 218-223, 2006. Disponível no link. (acessado 15.12.2011).

PALHAÇO VERDE
PASSOS, Cleusa Rios Pinheiro. O amor essa “outra” e errada metade: (leitura de Palhaço da boca verde de João Guimarães Rosa). In: ______. Confluências, crítica literária e psicanálise. São Paulo: Nova Alexandria: EDUSP, 1995a. p. [25]-41. (O pensamento universitário).
PEREIRA, Maria Antonieta. Boca Verde: cena e silêncio. In: Seminário Internacional Guimarães Rosa, 2001, Belo Horizonte, MG. Veredas de Rosa II. (Org.) DUARTE, Lélia Parreira. et al. Belo Horizonte: PUC Minas: CESPUC-MG, 2003. p.404-408.

PRESEPE
SANTOS, Adilson dos. A reatualização de um quadro da fé cristã em “Presepe”. Plural Pluriel - revue des cultures de langue portugaise, [En ligne] n° 4-5, automne-hiver 2009. Disponível no link(acessado 15.12.2011).
SILVEIRA, Regina da Costa da. Veredinhas da infância em “Presepe”, de João Guimarães Rosa. Disponível no link(acessado 15.12.2011).

QUADRINHO DE ESTÓRIA
[...]

REBIMBA, O BOM
SILVA, Alexandre Vilas Boas da.. Felicidade Perturbada - evocação da lembrança em ''Rebimba, o bom'', de Guimarães Rosa. Revista Alere, v. 11, p. 343-360, 2015. Disponível no link. (acessado em 1.6.2016).

RETRATO DE CAVALO
SOLEDADE, Juliana. A Manufatura Dionisíaca das Palavras – Guimarães Rosa em Retrato de Cavalo. Acta Universitatis Palackianae Olomucensis - Facultas Philosophica, Philologica 74. Disponível no link.(acessado 10.12.2011).
SILVA, Antonia Marly Moura da. Retrato de cavalo: o campo da metáfora amorosa. Estudos Lingüísticos (São Paulo), Ribeirão Preto, v. XLIII, p. 446-451, 1996.

RIPUÁRIA
[...]

SE EU SERIA PERSONAGEM
SILVA, Amanda Teixeira da. Andorinhas do abstrato: amor, tempo e destino no conto "Se eu seria personagem", de Guimarães Rosa. In: XIX Encontro Estadual de História - História, Memória e Comemoração, 2010, João Pessoa - PB. XIV Encontro Estadual de História: História, memória e comemorações, 2010.

SINHÁ SECADA
SILVA, Antonia Marly Moura da. Identidade e alteridade em "Sinhá Secada", conto de Guimarães Rosa. In: Encontro Internacional de Texto e Cultura, 2009, Fortaleza. Anais do Encontro Internacional de Texto e Cultura. Fortaleza: Edições UFC, 2008. p. 553-565.
[...]

SOTA E BARIA
CEZAR, Adelaide Caramuru. Narradores presentes em Sota e Barla, de João Guimarães Rosa. Boletim - Centro de Letras e Ciências Humanas (UEL), Universidade Estadual Londrina, v. 50, p. 45-53, 2006.
FORTE, Rita Felix. Entre a virgem e a prostituta uma leitura de Sota e Barla. Línguas e Letras (UNIOESTE), v. 21, p. 53-68, 2008.


TAPIIRAIAUARA...
[...]

- UAI, EU?
[...]

UMAS FORMAS...
[...]

VIDA ENSINADA
[...]

ZINGARESCA
PIRES, Iris Cristina N. O. O Grotesco em “Zingarêsca”, de João Guimarães Rosa. Estudos Lingüísticos XXXV, p. 950-958, 2006. Disponível mo link(acessado 10.12.2011).
PIRES, Iris Cristina Nischitani de Oliveira. O Grotesco em Zingarêsca. (Dissertação Mestrado Letras) Universidade Estadual de Londrina, UEL, 2006.
PIRES, Iris Cristina Nischitani de Oliveira. O Grotesco em "Zingarêsca", de João Guimarães Rosa. In: 53º Seminário do GEL, 2006, São Carlos. XXXV Estudos Lingüísticos. São Carlos: UFSC, 2005.


ADAPTAÇÕES DA OBRA DE GUIMARÃES ROSA PARA O CINEMA E A TELEVISÃO
Filme: Desenredo
Sinopse: Jó Joaquim era quieto, respeitado... e quando se envolveu com Irlivia, mulher bela e enigmática, não imaginava as surpresas que esta relação lhe reservava. “Desenredo" faz parte da coletânea Tutaméia, onde João Guimarães Rosa exercita com maestria toda a sua capacidade de experimentalismo poético.
Gênero: Ficção
Diretora: Raquel de Almeida Prado
Elenco: Bertinho, Cristina Prado, Luiz Pinho, Marco Gonçalves
Ano: 2001
Duração: 10 min
Cor: Colorido
País: Brasil
Fotografia: José Braz Mania
Som Direto: André Pagnossim, Ana Luiza F. Salles
Direção de Arte: Josette Monzani


ADAPTAÇÕES DA OBRA DE JOÃO GUIMARÃES ROSA PARA O TEATRO

[...]


"A lógica, prezado amigo, é a força com a qual o homem algum dia haverá de se matar. Apenas superando a lógica é que se pode pensar com justiça."
- João Guimarães Rosa, em entrevista a Günter Lorenz - "Dialogo com Guimarães Rosa".



REFERÊNCIAS E OUTRAS FONTES DE PESQUISA
:: UNESP – Banco de Teses e Dissertações


© Direitos reservados ao autor/e ou ao seus herdeiros

© Pesquisa, seleção e organização: Elfi Kürten Fenske


=== === ===
Trabalhos sobre o autor:
Caso, você tenha algum trabalho não citado e queira que ele seja incluído - exemplo: livro, tese, dissertação, ensaio, artigo - envie os dados para o nosso "e-mail de contato", para que possamos incluir as referências do seu trabalho nesta pagina. 

____
Página atualizada em 16.6.2015.



Licença de uso: O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, poderá ser reproduzido desde que citada a fonte, excetuando os casos especificados em contrário. 
Direitos Reservados © 2016 Templo Cultural Delfos

2 comentários:

  1. sofrimento, consciencia e proximidade da morte.
    obra de um soldado na arte da palavra.

    ResponderExcluir

Agradecemos a visita. Deixe seu comentário!