Orlanda Amarílis - o universo cabo-verdiano

Orlanda Amarílis, por Fabiana Miraz de Freitas Grecco
"Quantos de nós, longe das nossas ilhas, sempre a querermos ir sem podermos e a ter de ficar sem querermos."
- Orlanda Amarílis, em "A casa dos mastros".

Orlanda Amarílis, escritora cabo-verdiana, Orlanda Amarílis Lopes Rodrigues Fernandes Ferreira nasceu em 1924 em Assomada, Santa Catarina, Cabo Verde - 1 Fevereiro 2014, em Lisboa, Portugal. Tem vindo a construir uma obra literária subordinada à problemática dos cabo-verdianos emigrados, vítimas, por um lado, de ações racistas e, por outro, da saudade da sua terra natal. 
A autora estudou na cidade de Mindelo, ilha de S. Vicente. Viveu, depois, seis anos em Goa, onde concluiu os estudos do Magistério Primário, após o que, em Lisboa, completou o curso de Ciências Pedagógicas. Visitou os quatro cantos do mundo, muitas das vezes para intervir em encontros culturais, e tornou-se membro do Movimento Português Contra o Apartheid, do Movimento Português para a Paz e da Associação Portuguesa de Escritores (APE). 
Começou por colaborar na revista Certeza, em 1944, e os seus contos foram sendo selecionados para várias antologias de literatura cabo-verdiana. 
Tem publicados os livros de contos: Cais do Sodré té Salamansa (1974), Ilhéu dos pássaros (1983) e A casa dos mastros (1989). Publicou ainda livros para crianças: Facécias e Peripécias, A tartaruguinha (1997), além de ter participado na criação de manuais escolares para o Ensino Básico. 
A sua obra de ficção conta, sobretudo, vidas de mulheres. Mulheres que trabalham, que sentem e que têm uma visão particular da sua vida, seja pela saudade de familiares distantes, seja pelas suas vivências particulares. Mas, mais do que meras histórias femininas, os contos de Orlanda Amarílis são o retrato da diáspora cabo-verdiana. Por isso, são muitos os contos que se desenrolam nas grandes metrópoles, em Lisboa ou em qualquer outra grande cidade europeia. Em todas elas, no entanto, o olhar e as recordações voltam-se incessantemente para o arquipélago atlântico, até como contraponto de uma vida que nem sempre corresponde às expectativas da partida. 
Nos contos de Orlanda Amarílis é visível um cuidado estilístico específico. O português é enriquecido por palavras crioulas e o discurso aproxima-se da fala de todos os dias dos emigrados cabo-verdianos ou dos cabo-verdianos que persistem em não abandonar a terra da sua infância.
----
Fonte: Infopedia: Dicionário Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2015. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).


OBRA DE ORLANDA AMARÍLIS
Capa do livro 'Cais-do-Sodré té Salamansa'
de Orlanda Amarílis
Contos
:: Cais-do-Sodré té SalamansaCoimbra: Centelha, 1974; 2ª ed., Lisboa: ALAC, 1991.
:: Ilhéu dos pássaros. Lisboa: Plátano Editora, 1982, 132p.
:: A casa dos Mastros – Contos Cabo-verdianos. [Prefácio de Pires Laranjeira]. Linda-a-Velha: Edições ALAC, 1989. 


Infanto-juvenil
:: Facécias e peripécias. [ilustrações Avelino Rocha]. Porto Editora, 1990, 33p.
:: A tartaruguinha. [ilustrações Felipe Alçada]. Instituto Camões / Centro Cultural Português Praia-Mindelo, 1997.


Antologia [participação]
:: Antologia da ficção cabo-verdiana: Claridosos. [organização Tomé Varela da Silva]. vol. II, Lisboa: AEC Editora, 2002.


"… Sabe que por vezes o indivíduo aliena-se sem se aperceber por que o faz. Então, os momentos inesperados são aproveitados, inconscientemente para resolver os seus hiatos íntimos. Numa terra sem incentivos culturais, onde as pessoas cantam, dançam e tocam mornas, todavia entregues a si mesmas, mas que também passam fome, quando surge uma situação nova, dramática ou não, picaresca ou insólita, surge como que um espectáculo. Há os passivos, outros que invectivam, outros atraídos pela empatia da situação e ainda os que se preocupam com a situação em si."
-  Orlanda Amarílis, em 'entrevista concedida a Michel Laban'. in: LABAN, Michel. Cabo Verde. Encontro com escritores. 2.vols. Porto: Fundação Eng. Antônio de Almeida, 1992, p. 274.


Orlanda Amarilis - foto: (...)

FORTUNA CRÍTICA DE ORLANDA AMARÍLIS
[Estudos acadêmicos - teses, dissertações, ensaios, artigos e livros]
ABDALA JÚNIOR, Benjamin. Orlanda Amarílis, literatura de migrante. Via Atlântica. Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – Universidade de São Paulo, FFLCH-USP. São Paulo, n. 2, jul. 1999, p. 76-89.
ABDALA JÚNIOR, Benjamin. Globalização, Cultura e Idealização em Orlanda Amarílis. In: ______. De vôos e ilhas – Literatura e Comunitarismos. Cotia: Ateliê Editorial, 2003, p. 287-302.
ABDALA JÚNIOR, Benjamin. Globalização, cultura e identidade em Orlanda Amarílis. Veredas. Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, v. 7, p. 145-160, 2006.
ABDALA JÚNIOR, Benjamin. Globalização, cultura e identidade em Orlanda Amarílis. Portuguese Literary & Cultural Studies, v. 8, p. 213-226, 2002.
ABDALA JÚNIOR, Benjamin. Globalização, cultura e identidade em Orlanda Amarílis. In: Anne Begenat-Neuschäfer; Flavio Quintale. (Org.). Vozes femininas de África. 1ª ed., Frankfurt am Nain: Peter Lang Edition, 2014, v. 1, p. 59-72.
ABDALA JUNIOR, Benjamim. Utopia e dualidade no contato de culturas: o nascimento da literatura caboverdiana. Revista USP, v. 469, p. 19, 1993.
BARROS, Maria Regina de. Emigrar é preciso, viver não é preciso. (Dissertação Mestrado em Letras). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, PUC. Belo Horizonte, 2005. 
BOTOSO, Altamir. Integração, exílio e solidão no conto “Cais-do-sodré”, de Orlanda Amarílis. Revista Ícone Revista de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Linguística e Literatura Volume 8 – Julho de 2011. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
BOTOSO, Altamir. Integração, exílio e solidão no conto Cais-do-Sodré, de Orlanda Amarílis. In: Altamir Botoso. (Org.). Metamorfoses Narrativas: estudos de textos de ficção. 1ª ed., Bauru: Canal 6, 2014, v. 1, p. 161-172. 
BOTOSO, Altamir; RODRIGUES, Camila. Palavras compartilhadas: figuras femininas em contos de Orlanda Amarílis e Maria Judite de Carvalho. 1ª ed., Bauru: Canal 6, 2011. v. 1. 1 
CARLOS, Suely Alves de. Orlanda Amarílis: identidade e gênero na diáspora. Interdisciplinar. Ano 5, v. 10, jan.-jun. de 2010, p. 197-207. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
CARLOS, Suely Alves de. Identidade, memória e gênero nas obras literárias de Orlanda Amarílis e Clarice Lispector. (Dissertação Mestrado em Letras). Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo – FFLCH-USP. São Paulo, 2009.  Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
TUTIKIAN, Jane Fraga(Org.); CARVALHAL, Tânia Franco (Org.). Literatura e história: três vozes de expressão portuguesa: Helder Macedo, José Saramago, Orlanda Amarílis. 1ª ed., Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 1999. 158p.
Capa do livro 'A casa dos mastros'
de Orlanda Amarílis
COSTA, Jaqueline Teodora Cardoso da. A ação pela palavra: diáspora e entre-lugar na escrita da intelectual Orlanda Amarílis. (Dissertação Mestrado em Letras). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, PUC Minas, 2010. Disponível no linklink. (acessado em 15.5.2015). 
COSTA, Jaqueline Teodora Cardoso da; CARDOSOJaqueline Teodora Alves. O tempo espiralar na narrativa de Orlanda Amarílis. Cadernos CESPUC de Pesquisa. Série Ensaios, v. 18, p. 79-87, 2009.
COSTA, Jaqueline Teodora Cardoso da. O tempo espiralar na narrativa de Orlanda Amarílis. In: Carmen Lúcia Tindó; Silvio Renato Jorge; Maria Teresa Salgado Guimarães da Silva. (Org.). Pensando África - III Encontro de Professores de Literaturas Africanas. Rio de Janeiro: , 2008, v. 1, p. -.
CURY, Maria Zilda Ferreira; SILVA, Elisa Maria Taborda da. Representações da diáspora na escrita de Orlanda Amarílis.. Revista do Centro de Estudos Portugueses (UFMG), v. 31, p. 161-189, 2012.
ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano: a essência das religiões. Lisboa: Livros do Brasil, s/d.
ELIADE, Mircea. Mito do eterno retorno. São Paulo: Mercuryo, 1992.
FELIX, Geiza Rafaeli Gomes. A representação do feminino no conto africano ”esmolas de merca” de Orlanda Amarílis. (Monografia Graduação em Letras). Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2012. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
GOMES, Simone Caputo. Cabo Verde: literatura em chão de cultura. São Paulo: Ateliê, 2008. 312p.
GONGORA, Anderson Possani. Dois contos africanos de expressão portuguesa: Cais-do-Sodré, de Orlanda Amarilis e “Mestre” Tamoda, de Uanhenga Xitu. In: XII Congresso Internacional Abralic - Centro, Centros: Ética e Estética, 2011, Curitiba. Centro, Centros; ética e estética, 2011. v. I. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
GRECCO, Fabiana Miraz de Freitas. Casa de Silêncio, Mar de Solidão: o espaço literário nos contos de Orlanda Amarílis e de Sophia de Mello Breyner Andresen. (Tese Doutorado em Letras). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, 2014.
GRECCO, Fabiana Miraz de Freitas. Viola Crioula - Modinhas, Lundus e Mornas: um conceito de amor na literatura colonial brasileira e cabo-verdiana. 1ª. ed., São Paulo: Editora Unesp, 2014.
GRECCO, Fabiana Miraz de Freitas. As Mulheres-Ilhas de Orlanda Amarílis: o conto Maira da Luz. In: Teresa Mendes e Luis Cardoso. (Org.). A Mulher na Literatura e Outras Artes. 1ª ed., Portalegre: Instituto Politécnico de Portalegre/ Portugal, 2013, v. 1, p. 346-350.
GRECCO, Fabiana Miraz de Freitas. As mulheres-ilhas de Orlanda Amarilis. Revista Pontos de Interrogação, v. nº 2, p. 75-90, 2012. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
GRECCO, Fabiana Miraz de Freitas. Aventura e Rotina: Gilberto Freyre e a língua portuguesa em Cabo Verde. SIMELP/Évora: 2010, p. 18-34.
GUTERRES, Maria. 1999. O exílio nos contos de Orlanda Amarílis. In: MARTINHO, Ana Maria Mão-de-Ferro (Org.). A mulher escritora em África e na América Latina. Évora: NUM, p. 9-17.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.
HALL, Stuart. Da Diáspora. Belo Horizonte: UFMG/Humanitas, 2003.
LABAN, Michel. Encontro com Orlanda Amarílis. In: Cabo Verde: Encontro com escritores. vol. I Fundação Eng. Antonio de Almeida. Porto/Portugal, (s.d.) p. 259-278.
LARANJEIRA, Pires. Mulheres, Ilhas Desafortunadas. A Casa dos Mastros. [Prefácio]. Linda-aVelha: ALAC, 1989, p.9-11. 
LOPES FILHO, João. Imigrantes em terra de emigrantes. Praia: Instituto da Biblioteca Nacional do Livro, 2007
MAIA, Maria Armandina. Orlanda Amarílis – os passos em volta do Ilhéu dos Pássaros. In: MATA, Inocência; PADILHA, Laura C. A Mulher em África – Vozes de uma margem sempre presente. Lisboa: Edições Colobri, 2007, p. 269-281.
MARIANO, Gabriel. Cultura caboverdeana: ensaios. Lisboa: Veja, 1991.
MEDAGLIA, Francesca. Orlanda Amarilis e il folklore capoverdiano. Palaver 3 n.s. (2014), n. 2, p. 83-100. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
MENDONÇA, Fernando. Orlanda Amarílis. Revista de Letras. São Paulo. 23: 63-70, 1983.
MONTEIRO, Pedro Manoel. Caminhos da ficção cabo-verdiana: Orlanda Amarílis, Ivone Aida e Fátima Bettencourt. (Tese Doutorado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa). Universidade de São Paulo, USP, 2014.
MONTEIRO, Pedro Manoel. A Noite Escura e Mais Eu, de Lygia Fagundes Telles e A Casa dos Mastros, de Orlanda Amarílis - Uma Análise Comparada. (Dissertação Mestrado em Letras). Universidade de São Paulo, USP, 2000.
MONTEIRO, Pedro Manoel. Rodrigo X Dolly - aproximações entre Orlanda Amarílis e Lygia Fagundes Telles. Revista do Centro de Estudos Portugueses (USP), São Paulo, v. 2, p. 87-88, 1999.
MOREIRA, Terezinha Taborda. O tema do exílio na obra de Orlanda Amarílis. In: III Encontro de Professores de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, 2007, Rio de Janeiro. III Encontro de Professores de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: UFRJ, 2007. p. 41-42.
MOTTA, Camila Marcia Foganholi. Um retrato da figura masculina em contos de Orlanda Amarílis, Lygia Fagundes Telles e Maria Judite de Carvalho. (Dissertação Mestrado em Letras). Universidade de Marília, UNIMAR, 2014.
MOTTA, Camila Marcia Foganholi. Resenha do Livro Palavras compartilhadas: figuras femininas em contos de Orlanda Amarílis e Maria Judite de Carvalho. Revista Iluminart, v. 1, p. 181-182, 2014.
NASCIMENTO, Regina Aparecida do. A Mulher Cabo-Verdiana. Relacoes Raciais e de Genero na Obra de Orlanda Amarilis. (Dissertação Mestrado em Letras). Universidade de São Paulo, USP, 1997.
OLIVEIRA, Ana Ximenes Gomes de. Vozes femininas como registro literário e político no contexto africano de língua portuguesa. Cultura & Tradução. João Pessoa, v. 3, n. 1, 2014, p. 286-296. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
PAZOS-ALONSO, Claudia. Race and gender: Orlanda Amarílis‟ Cais do Sodré té Salamansa. Revue Lusotopie. XII (1-2): 45-53, 2005.
PERES, Phyllis. Border Writing, Postcoloniality, and Critical Diference in the works of Orlanda Amarílis. In: QUINLAN, Susan Canty. Lusosex - gender and sexuality in the Portuguese -speaking world. Minnesota: University of Minnesota Press, 2002.
PEREIRA, Prisca Rita Agustoni de Almeida. O Atlântico em movimento: travessia, trânsito e transferência de signos entre África e Brasil na poesia contemporânea de língua portuguesa. (Tese Doutorado em Letras e Linguística). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, PUC Minas, 2007.
PEREIRA, Prisca Rita Agustoni de Almeida. Os espelhos da alteridade em "Luisa, filha de Nica", de Orlanda Amarílis. Abril (Niterói), v. 2, p. 122-134, 2009. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
QUEIROZ, Sônia Maria Alves de. Breves reflexões sobre a representação social das mulheres cabo-verdianas: a hermenêutica do cotidiano. Revela. Periódico de divulgação
Científica da FALS. Ano IV – Nº IX – set./2010, p. 1-11. 
RAMOS, Isabel Maria Rondoni Martins Abranches Baptista. O realismo na obra de Orlanda Amarílis. (Tese Doutorado em Literatura Portuguesa). Universidade de Évora, 2002.
RODRIGUES, Camila. Vozes solitárias e solidárias: as personagens femininas em contos de Orlanda Amarílis e Maria Judite de Carvalho. (Dissertação Mestrado em Letras). Curso de Letras da Universidade Marília, Marília, 2011. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
RODRIGUES, Jussara Oliveira. Cabo Verde em perspectiva feminina: a produção literária em língua portuguesa de Ivone Aída Ramos e Orlanda Amarílis. (Dissertação Mestrado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa). Universidade de São Paulo, USP, 2012.
RODRIGUES, Jussara Oliveira. Cotidiano feminino descrito em obras de Orlanda Amarílis e Ivone Aída Ramos. In: X SEL - Seminário de estudos literários, 2010, Assis - SP. Cultura e Representação, 2010. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
SANGALETTI, L.; PORTO, Ana Paula Teixeira; PORTO, Luana Teixeira. Violência e exclusão: representação da marginalidade de Mia Couto e Orlanda Amarilis. Letrônica, v. 5, p. 355-371, 2012.
SANTILLI, Maria Aparecida. Estórias africanas: história e antologia. São Paulo: Ática, 1985. 
SANTILLI, Maria Aparecida. Orlanda Amarilis: A Casa dos Mastros. Colóquio. Letras, Lisboa, v. 115, 1990.
SANTILLI, Maria Aparecida. As mulheres-sós de Orlanda Amarilis. Cadernos de Literatura Instituto Nacional de Investigação Científica, Coimbra, v. 1, 1984.
SANTILLI, Maria Aparecida. Cais do Sodré, té salamansa, de Orlanda Amarilis. Gazeta Literária do Diário Popular, Lisboa, 15 set. 1977.
SANTILLI, Maria Aparecida. As mulheres-sós de Orlanda Amarílis. In: SANTILLI, Maria Aparecida. Africanidade. São Paulo: Ática, 1985, p. 107-111.
SANTILLI, Maria Aparecida. Africanidade. São Paulo: Ática, 1985.
SANTILLI, Maria Aparecida; FLORY, Suely Fadul Villibor (org.). Literaturas de Língua Portuguesa: marcos e marcas - Cabo Verde: Ilhas do Atlântico em prosa e verso. São Paulo: Arte & Ciência, 2007, v. 3.
SANTOS, Luciane dos. Saudades da minha terra: Cais do Sodré da caboverdeana Orlanda Amarílis. In: Sérgio Paulo Adolfo e Silvio Ruiz Paradiso. (Org.). Letras Diásporicas: Tecituras literárias entre Brasil e África. 1ª ed., São Francisco MG: Virtual Books, 2014, v. 1, p. 28-39.
SANTOS, Sônia Maria. Experiências femininas no quotidiano crioulo. In: Críticas e Ensaios. Publicação da União dos Escritores Angolanos, 2009. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
SEPÚLVEDA, Maria do Carmo; SALGADO, Maria Tereza (Org.). África e Brasil: letras e laços. Rio de Janeiro: Atlântica, 2000.
SILVA, Maria Luiza Berwanger da. Notas de leitura a margem. Literatura e história: três vozes de expressão portuguesa: Helder Macedo, José Saramago, Orlanda Amarilis. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1999, v. , p. 33-36.
SOUZA, Maria Salete Daros de. Particularidades caboverdianas nos contos de Orlanda Amarilis: um encontro literário no Brasil. XI CONLAB - Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais - Diversidades e (Des)Igualdades, Salvador 7 a 10 agosto 2011. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
TUTIKIAN, Jane FragaInquietos Olhares: A construção do processo de identidade nacional nas obras de Lídia Jorge e Orlanda Amarílis. (Tese Doutorado em Letras). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, 1998.
TUTIKIAN, Jane Fraga. Inquietos olhares: a construção do processo de identidade nacional nas obras de Lídia Jorge e Orlanda Amarílis. São Paulo: Arte & Ciência, 1999.
TUTIKIAN, Jane FragaOrlanda Amarílis. Blau Contos e Poemas, Porto Alegre, n.28, p. 8-8, 1999.
TUTIKIAN, Jane FragaA montagem literária do discurso nacionalista em Lídia Jorge e Orlanda Amarílis. Organon (UFRGS), v. 8, n. 22, p. 269-281, 1994.
TUTIKIAN, Jane FragaInquietos Olhares: a construção do processo de identidade nacional nas obras de Lídia Jorge e Orlanda Amarílis. Via Atlântica (USP), v. 2, p. 90-97, 1999.
TUTIKIAN, Jane Fraga. Caboverdianidade: o passe e a senha. In: Congresso Internacional Pós-Colonialismo e Identidade, 1996, Porto. Pós-Colonialismo e Identidade. Porto: Universidade Fernando Pessoa, 1996. p. 55-63.
TUTIKIAN, Jane Fraga. Por uma Pasárgada caboverdeana. Letras de Hoje. Porto Alegre, v. 43, n. 4, p. 42-52, out./dez. 2008. 
TUTIKIAN, Jane Fraga. Orlanda Amarílis: a caboverdeanizada vida. In: SECCO, Carmen Tindó, SEPÚLVEDA, Maria do Carmo, SALGADO, Maria Teresa (org.). África & Brasil: letras em laços. São Caetano do Sul: Yendis Editora, 2010, p. 291-316. 
TUTIKIAN, Jane Fraga. Caboverdianamente Orlanda. In: Literatura e História: Três Vozes de Expressão Portuguesa: Helder Macedo, José Saramago, Orlanda Amarílis, 1997, Porto Alegre. Literatura e História:Três Vozes de Expressão Portuguesa: Helder Macedo, José Saramago e Orlanda Amarílis. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1997. p. 21-31.
ZANDONÁ, Jair; ZUCCO, Maise Caroline. Casas em exílio: fragmentos do feminino em personagens de Orlanda Amarílis. Revista Investigações - Vol. 24, nº 1, Janeiro/2011. Disponível no link. (acessado em 15.5.2015).
ZOLIN, Lúcia Osana. Literatura de autoria feminina. In: BONNICI, Thomas; ZOLIN, Lúcia Osana (Org.). Teoria Literária – Abordagens Históricas e Tendências Contemporâneas. 3ª ed., Maringá: UDUEM, 2009, p. 329-336. 

"Tinha vontade de voar até à praia da Baía das Gatas. As minhas saudades do Mindelo, nunca extravasadas, fizeram-me estremecer. Quantos de nós, longe das nossas ilhas, sempre a querermos ir sem podermos e a ter de ficar sem querermos.
- Orlanda Amarílis, em "A casa dos mastros". Linda-a-Velha: Edições ALAC, 1989, p. 27-28.

Baía das Gatas - Ilha de São Vicente, Cabo Verde - foto:  Eric Tavares - Dani Maciel

"Aliás, para nós, você e eu, que temos vindo a assistir ao desmantelar de algumas vidas sem história, quais sombras para além da matéria, para nada contaria alguma surpresa. Pois eu e você também desmantelados fomos, as nossas sepulturas abertas, os nossos ossos transferidos para um canto guardados em saco de musselina roxo."
- Orlanda Amarílis, em "A casa dos mastros". Linda-a-Velha: Edições ALAC, 1989, p. 43.

Ilhéu dos Pássaros, Mindelo - Cabo Verde


ESCRITORES AFRICANOS NESTE SITE
:: Acesse AQUI!

© Direitos reservados ao autor

© Pesquisa, seleção e organização: Elfi Kürten Fenske

=== === ===
Trabalhos sobre o autor:
Caso, você tenha algum trabalho não citado e queira que ele seja incluído - exemplo: livro, tese, dissertação, ensaio, artigo - envie os dados para o nosso "e-mail de contato", para que possamos incluir as referências do seu trabalho nesta pagina. 


Como citar:
FENSKE, Elfi Kürten (pesquisa, seleção e organização). Orlanda Amarílis - o universo cabo-verdiano. Templo Cultural Delfos, maio/2015. Disponível no link. (acessado em .../.../...).
____
** Página atualizada em 25.5.2015.



Licença de uso: O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, poderá ser reproduzido desde que citada a fonte, excetuando os casos especificados em contrário. 
Direitos Reservados © 2016 Templo Cultural Delfos

3 comentários:

  1. Olá, muito bom o texto sobre Orlanda! A gravura é de autoria de Fabiana Miraz de Freitas Grecco. Agradeço se acrescentar os créditos! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Fabiana Miraz! créditos acrescentados. abraços, elfi

      Excluir
  2. Estou iniciando as leituras sobre Orlanda Amarílis, pretendo pesquisar suas obras, adorei poder contar com os conteúdos sugeridos pelo site. Obrigada!

    ResponderExcluir

Agradecemos a visita. Deixe seu comentário!