Anísio Teixeira - e a escola pública brasileira (projeto de educação integral)

Anísio Teixeira - (Foto: Arquivo CPDOC/FGV)


"Só existirá democracia no Brasil no dia em que se montar no país a máquina que prepara as democracias. Essa máquina é a da escola pública."
- Anísio Teixeira


"Numa democracia, nenhuma obra supera a de educação. Haverá, talvez, outras aparentemente mais urgentes ou imediatas, mas estas mesmas pressupõem, se estivermos numa democracia, a educação. Todas as demais funções do estado democrático pressupõem a educação. Somente esta não é conseqüência da democracia, mas a sua base, o seu fundamento, a condição mesmo para a sua existência."
- Anísio Teixeira


Anísio Spínola Teixeira nasceu em Caetité, sertão da Bahia, em 12 de julho de 1900.
Anísio Teixeira na Escola Parque - Salvador/BA
(Foto: Arquivo CPDOC/FGV)
Após sólida formação adquirida em colégios jesuítas de Caetité e Salvador, bacharelou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro em 1922 e obteve o título de Master of Arts pelo Teachers College da Columbia University, em Nova York, em 1929. *Morreu na cidade do Rio de Janeiro, em março de 1971 (ver neste página *"Anísio Teixeira e a Ditadura militar - Uma morte misteriosa").
Considerado um dos maiores educadores brasileiros, Anísio Teixeira deixou uma obra pública excepcional que, ainda hoje, está à frente do nosso tempo. Sua formação educacional foi fortemente influenciada pelo pragmatismo do filósofo John Dewey, de quem foi aluno no Teachers College e cujas idéias divulgou no Brasil. Mas foi, sobretudo, nos embates entre a gestão cotidiana da educação e sua visão de futuro, em meio a aliados e adversários, que aprendeu a organizar homens e instituições.
Iniciou-se na vida pública em 1924, no governo Góes Calmon (1924-1928), como Inspetor Geral do Ensino da Bahia, passando logo depois a Diretor da Instrução Pública desse estado. Mais tarde, já no Rio de Janeiro, assumiu a Secretaria de Educação e Cultura do Distrito Federal, no governo do prefeito Pedro Ernesto (1931-1935). Nessa gestão conduziu importante reforma educacional que o projetou nacionalmente, foi signatário do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova (1932), teve participação ativa na Associação Brasileira de Educação (ABE), criou a Universidade do Distrito Federal (UDF). Demitiu-se em 1935, diante de pressões políticas que inviabilizaram sua permanência no cargo, refugiando-se no interior de seu estado natal. Entre 1937 e 1945, afastado da vida pública, permaneceu na Bahia, dedicando-se a atividades de mineração, comércio e tradução de livros.
Em 1946, a convite de Julien Huxley, assumiu o cargo de Conselheiro de Ensino Superior da UNESCO, retomando sua atividades na área educacional. De volta ao Brasil em 1947, aceitou o convite de Otávio Mangabeira, recém-eleito governador da Bahia, para ocupar a Secretaria de Educação e Saúde desse estado, posto no qual permaneceu até o final desse governo (1947-1951). Nessa administração fez construir em Salvador o Centro Popular de Educação Carneiro Ribeiro, mais conhecido como Escola Parque, uma experiência inovadora de educação integral, onde atividades artísticas, socializantes e de preparação para o trabalho e a cidadania, e mais alimentação, higiene e atendimento médico-odontológico, complementavam as práticas educativas tradicionais. Esta obra, pioneira no Brasil, projetou-o internacionalmente.
Anísio Teixeira
Na década de 50 teve atuação destacada na esfera federal, no Ministério da Educação. Em 1951 assumiu a Secretaria Geral da Campanha de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, que seria por ele transformada em órgão, a CAPES. Em 1952 assumiu também o cargo de diretor do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (INEP). Criou, então, o Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais (CBPE) e uma rede de 5 Centros Regionais, com o objetivo de elaborar estudos antropológicos e sociológicos sobre a realidade brasileira. Durante sua gestão na CAPES e no INEP, proferiu inúmeras conferências no Brasil e no exterior, incentivou a criação de bibliotecas no país, foi eleito por duas vezes presidente da SBPC, participou ativamente da discussão da LDB (1961). Nesses anos de árdua luta pela escola pública, editou o seu livro mais polêmico: Educação não é privilégio (1957). E foi ainda nessa época que se tornou professor universitário, assumindo a cadeira de Administração Escolar na Faculdade de Filosofia da Universidade do Brasil, hoje UFRJ.
No início dos anos 60, juntamente com Darcy Ribeiro, foi um dos mentores da Universidade de Brasília (1961), tornando-se seu 2º reitor em 1963. O golpe militar de 1964 o afasta, mais uma vez, das suas funções públicas. A convite de universidades americanas, viaja para os Estados Unidos para lecionar como “visiting scholar”. De volta ao Brasil, completou o seu mandato no Conselho Federal de Educação (1962-1968), tornou-se consultor da Fundação Getúlio Vargas e retomou suas atividades de tradutor e escritor na Editora Nacional, organizando coleções e reeditando alguns de seus livros.
A Estatueta que pertenceu a Anísio Teixeira - encontra-se em exposição
no Centro de Memória da Casa Anísio Teixeira - Desenho de Luciene Aguiar
A história da educação brasileira, no século XX, está marcada por suas idéias e ações em favor da democratização das oportunidades de acesso à educação pública, universal, gratuita, laica e de qualidade. Sua obra representa um patrimônio importante da cultura nacional. O que produziu e criou permanece vivo como mensagem inspiradora dos intelectuais e educadores brasileiros na virada do milênio.




“Democracia sem educação e educação sem liberdade são antinomias em teoria, que desfecham, na prática, em fracassos inevitáveis.”
- Anísio Teixeira, citação consta no livro Anísio Teixeira: educador singular, de Hermano Gouveia Neto, p. 82.


“Jamais fizemos da educação o serviço fundamental da República...”
- Anísio Teixeira, em trecho de discurso na Assembléia Constituinte Baiana, em 1947.


"… Anísio Teixeira é o pensador mais discutido, mais apoiado e mais combatido do Brasil. Ninguém como ele provoca a admiração de tantos. Ninguém é também tão negado e tem tantas vezes o seu pensamento deformado (…) Suas teses educacionais se identificam tanto com os interesses nacionais e com a luta pela democratização de nossa sociedade que dificilmente se admitiria pudessem provocar tamanha reação num país republicano."
- Darcy Ribeiro


Anísio Teixeira e o filósofo-pedagogo John Dewey
INFLUÊNCIA DA ESCOLA AMERICANA
Anísio Teixeira trouxe para o Brasil as idéias do pedagogo e filósofo americano John Dewey (1859 - 1952) e as introduziu em nossa educação a partir da década de 1930. Entre essas idéias, as duas principais eram a defesa da escola pública e gratuita e a necessidade da implantação de experiências práticas nas salas de aula.
A relação entre ensino e democracia também estava sendo discutida nos Estados Unidos. Dewey era um ferrenho defensor do direito de todas as classes sociais à educação.

Além disso, ele definia a aprendizagem como um processo ativo. Dewey criou a expressão "escola ativa" para denominar o ensino baseado em experiências práticas. "Todo conhecimento autêntico vem da experiências", dizia. Essa foi uma das bases do movimento da Escola Nova.



"Anísio Teixeira foi um profeta do saber, da cultura e da transformação social, sobretudo da transformação social. Foi um dos homens mais cultos deste país, mas ao mesmo tempo o menos exibicionista dos homens cultos deste país. Toda a produção intelectual de Anísio Teixeira é motivada por seu desejo de transformação social. O que ele foi, acima de tudo, foi um educador voltado para a prática da educação e da administração. E por causa dessa prática, que demandava conhecimento teórico, é que fez os seus livros. Ele não foi um teórico que se fez prático. Ele foi um homem que essa dialética do fazer e do conhecer acompanhou permanentemente. Lembrem-se de que, num momento de ostracismo, a prática que ele desenvolveu foi a de um minerador, de um exportador, de um comerciante e de um tradutor de obras que ele achava relevantes."
- Antônio Houaiss.


Anísio Teixeira na Escola Parque - Salvador/BA
(Foto: Arquivo CPDOC/FGV)

“A realidade, porém, é que nos acostumamos a viver em dois planos, o real com suas particularidades e originalidades e o oficial com seus reconhecimentos convencionais de padrões inexistentes. Continuamos a ser, com a autonomia, a nação de dupla personalidade, a oficial e a real.”
- Anísio Teixeira, trecho citado na revista Educação e Sociedade, ano 20, n. 68/Especial, dez.1999, p. 81.


OBRA DE ANÍSIO TEIXEIRA
Livros publicados
TEIXEIRA, Anísio. Aspectos americanos de educação. Salvador: Tip. De São Francisco, 1928. 166p.
TEIXEIRA, Anísio. A educação e a crise brasileira. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1956. 355p.
TEIXEIRA, Anísio e ROCHA e SILVA, Maurício. Diálogo sobre a lógica do conhecimento. São Paulo: Edart Editora. 116p.
TEIXEIRA, Anísio. Educação e o mundo moderno. 2ªed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1977. 245p.
Anísio Teixeira, pelo artista Enilson Meira.
TEIXEIRA, Anísio. Educação é um direito. 2ªed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1996. 221p.
TEIXEIRA, Anísio. Educação e universidade. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1998. 187p.
TEIXEIRA, Anísio. Educação no Brasil. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1969. 385p.
TEIXEIRA, Anísio. Educação não é privilégio. 5ª ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1994. 250p.
TEIXEIRA, Anísio. Educação para a democracia: introdução à administração educacional. 2ªed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997. 263p.
TEIXEIRA, Anísio. Educação progressiva: uma introdução à filosofia da educação. 2ªed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1934. 210p.
TEIXEIRA, Anísio. Em marcha para a democracia: à margem dos Estados Unidos. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, s.d. [1934 ?]. 195p.
TEIXEIRA, Anísio. Ensino superior no Brasil: análise e interpretação de sua evolução até 1969. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1989. 186p.
TEIXEIRA, Anísio. Pequena introdução à filosofia da educação: a escola progressiva ou a transformação da escola. 5ªed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1968. 150p.


Cartas (*) e Correspondências
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Abgar Renault, Rio de Janeiro, 19 maio 1964. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 54.05.11/2).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Alberto Venancio Filho, New York, 28 jun. 1960.
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Alceu de Amoroso Lima, Rio de Janeiro, 17 maio 1964. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 64.05.17).
Anísio Teixeira.
TEIXEIRAAnísio. Carta a Anna Spínola Teixeira e Deocleciano Pires Teixeira. Caetité, 25 mar. 1920. (Carta publicada sob o título "Carta aos Pais". In: ROCHA, João Augusto de Lima et alii. Anísio em movimento: a vida e as lutas de Anísio Teixeira pela escola pública e pela cultura no Brasil. Salvador: Fundação Anísio Teixeira, 1992. p.226).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Cândido Mota Filho. [Rio de Janeiro?], dez. 1954. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 54.12.00).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Deocleciano Pires Teixeira. Bahia, 18 nov. 1927. Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc22.03.06.
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Emília Ferreira Teixeira. Bahia, 31 jul. 1930. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 30.06.22).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Fernando de Azevedo. Rio de Janeiro, 18 jan.1971. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 31.12.27).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Fernando Azevedo. Rio de Janeiro, 4 fev. 1971. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 31.12.27).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a George S. Counts. S.l., 29 ago. 1963. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira -ATc 60.07.01. - Carta citada por Luís Viana Filho em Anísio Teixeira: a polêmica da educação. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990. p.176).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Gustavo Corção. Rio de Janeiro, 23 fev. 1958. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 58.02.23).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Maurício da Rocha e Silva. Rio de Janeiro, dez. 1965. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 65.12[25]).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Monteiro Lobato. Sl, [1936 (?)]. (Carta publicada no livro Conversa entre amigos: correspondência escolhida entre Anísio Teixeira e Monteiro Lobato. Salvador: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC, 1986).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Monteiro Lobato. Bahia, 06 jun. 1945. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 28.06.22 - Carta publicada no livro Conversa entre amigos: correspondência escolhida entre Anísio Teixeira e Monteiro Lobato. Salvador: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas / CPDOC, 1986. p.97-98).
Capa do livro Educação não
é privilégio
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Monteiro Lobato [a bordo do Queen Elizabeth], 29 jan.1947. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 28.06.22).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Monteiro Lobato. Nova York, 13 fev. 1947. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 28.06.22).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Paulo Duarte Guimarães. Rio de Janeiro, 13 ago. 1964. (Localização do documento: Arquivo privado - Paulo Duarte Guimarães).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Paulo Duarte Guimarães. Nova Iorque, 10 nov. 1964.(Localização do documento: Arquivo privado - Paulo Duarte Guimarães).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Paulo Duarte. S.l., 28 dez. 1964.
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Paulo Duarte Guimarães. Rio de Janeiro, 8 jun. 1969. (Localização do documento: Arquivo privado - Paulo Duarte Guimarães).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Paulo Duarte Guimarães. Rio de Janeiro, 5 set. 1969. (Localização do documento: Arquivo privado - Paulo Duarte Guimarães).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Pedro Ernesto Batista. Rio de Janeiro, dez.1935. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATC 32.03.15).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Péricles Madureira de Pinho. Rio de Janeiro, 4 out. 1954. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 49.00.00).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Rubem Braga. [Rio de Janeiro?], maio 57. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 57.05.00).

TEIXEIRA, Anísio. Carta a San Tiago Dantas. Rio de Janeiro, 21 jul. 1959. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 32.04.22/3).
TEIXEIRA, Anísio. Carta a Thiago de Mello. Rio de Janeiro, 19 maio 1964. (Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 64.05.08).
(*Cartas. Disponíveis online.
(**Cartas a Anísio Teixeira - de: Fernando de Azevedo, Pedro Ernesto Batista, Luiz Gonzaga Cabral, Paulo Duarte Guimarães, Terezinha Eboli, Julien Huxley, Monteiro Lobato, Manoel Bergström, Lourenço Filho, Péricles Madureira de Pinho, Thiago de Mello, Homero Pires, Darcy Ribeiro, Augusto Ricardo, Dom Augusto da Silva, Anna Spínola Teixeira, e Luiz Viana Filho – (disponível online.
(***Cartas entre terceiros – de: Jaime Abreu, Alceu Amoroso Lima, Afrânio Peixoto e Darcy Ribeiro. Disponível online


"Concretizar a revolução que não é o resultado de revoltas populares mas conseqüência do progresso do conhecimento humano e do despertar das aspirações que, a difusão, pelos novos meios de comunicação, gera inevitavelmente. Nesta situação é que já se encontra o Brasil, cuja necessidade maior é a da preparação do homem para os novos deveres de produção da sua conjuntura atual e os direitos que decorrem daqueles deveres."
- Anísio Teixeira


Anísio Teixeira
Artigos em Revistas e Jornais
TEIXEIRA, Anísio. 1963: ano da educação. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 122, jan. 1963. p. 1-2.
TEIXEIRA, Anísio. Administração pública brasileira e a educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.25, n. 63, 1956. p. 3-23.
TEIXEIRA, Anísio. O alto sertão da Bahia. Revista do Instituto Geographico e Historico da Bahia. Salvador, v.52, 1926. p. 295-309.
TEIXEIRA, Anísio. Análise de sistemas e educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.59, n. 129, jan./mar. 1973. p. 57-59.
TEIXEIRA, Anísio. Aspectos da reconstrução da Universidade Latino-Americana. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.47, n. 105, jan./mar. 1967. p. 55-67.
TEIXEIRA, Anísio. Autonomia para educação na Bahia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.11, n. 29, jul./ago. 1947. p. 89-104.
TEIXEIRA, Anísio. Bases da teoria lógica de Dewey. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.23, n. 57, jan./mar. 1955. p. 3-27.
TEIXEIRA, Anísio. Bases para uma programação de educação primária no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.27, n. 65, jan./mar. 1957. p. 28-46.
TEIXEIRA, Anísio. Bases preliminares para o plano de educação referente ao Fundo Nacional de Ensino Primário. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.38, n. 88, out./dez. 1962. p. 97-107.
TEIXEIRA, Anísio. Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.25, n. 61, jan./mar. 1956. p. 145-149.
TEIXEIRA, Anísio. Centro Educacional Carneiro Ribeiro. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.31, n. 73, jan./mar. 1959. p. 78-84.
TEIXEIRA, Anísio. Centro Regional de Pesquisas Educacionais de Recife. Boletim Mensal do CEPE. Rio de Janeiro, v.1, n. 1, nov. 1957. p. 5-10.
TEIXEIRA, Anísio. Ciência e arte de educar. Educação e Ciências Sociais. v.2, n. 5, ago. 1957. p. 5-22.
TEIXEIRA, Anísio. Ciência e Educação. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 50, 1957. p. 1-3.
TEIXEIRA, Anísio. Ciência e humanismo. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.24, n. 60, 1955. p. 30-44.
TEIXEIRA, Anísio. Condições para a reconstrução educacional brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.18, n. 49, 1953. p. 3-12.
TEIXEIRA, Anísio. Confronto entre a educação superior dos EUA e a do Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.33, n. 78, abr./jun. 1960. p. 63-74.
Celso Furtado e Anísio Teixeira - acervo CPDOC/FGV.
TEIXEIRA, Anísio. A crise educacional brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.19, n. 50, abr./jun. 1953. p. 20-43.
TEIXEIRA, Anísio. Cultura e tecnologia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.55, n. 121, jan./mar. 1971. p. 12-37.
TEIXEIRA, Anísio. Custo mínimo da educação primária por aluno. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.35, n. 82, abr./jun. 1961. p. 3-5.
TEIXEIRA, Anísio. O desafio da educação para o desenvolvimento. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 112, 1962. p. 1-3.
TEIXEIRA, Anísio. Dewey e a filosofia da educação. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 85, dez. 1959. p. 1-2.
TEIXEIRA, Anísio. Discurso de posse do Director Geral de Instrucção Pública. Boletim de Educação Pública. Rio de Janeiro, v.2, n. 1/2, jan./jun. 1932. p. 75-76.
TEIXEIRA, Anísio. Discurso de posse do Professor Anísio Teixeira no Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. v.17, n. 46, 1952. p. 69-79.
TEIXEIRA, Anísio. Editorial. Educação e Ciências Sociais. Rio de Janeiro, v.7, n. 3, fev. 1960. p. 3-13.
TEIXEIRA, Anísio. Editorial. Educação e Ciências Sociais. Rio de Janeiro, v.8, n. 15, set. 1960. p. 3-8.
TEIXEIRA, Anísio. Educação - problema da formação nacional. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.29, n. 70, abr./jun. 1958. p. 21-32.
TEIXEIRA, Anísio. Educação como experiência democrática para cooperação internacional. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.45, n. 102, abr./jun. 1966. p. 257-272.
TEIXEIRA, Anísio. A educação comum do homem moderno. Arte e Educação. Rio de Janeiro, v.1, n. 3, mar. 1971. p. 13.
TEIXEIRA, Anísio. A educação e a constituição de 1946. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.33, n. 77, jan./mar. 1960. p. 68-82.
TEIXEIRA, Anísio. Educação e cultura na Constituição do Estado da Bahia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.65, n. 151, set./dez. 1984. p. 685-696.
TEIXEIRA, Anísio. Educação e Desenvolvimento. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.35, n. 81, jan./mar. 1961. p. 71-92.
TEIXEIRA, Anísio. Educação e nacionalismo. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.34, n. 80, out./dez. 1960. p. 205-208.
TEIXEIRA, Anísio. Educação não é privilégio. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.70, n. 166, 1989. p. 435-462.
TEIXEIRA, Anísio. A educação que nos convém. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.21, n. 54, abr./jun. 1954. p. 16-33.
TEIXEIRA, Anísio. Educação, suas fases e seus problemas. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.56, n. 124, out./dez. 1971. p. 284-286.
TEIXEIRA, Anísio. Educar para o equilíbrio da sociedade. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.55, n. 122, abr./jun. 1971. p. 191-196.
TEIXEIRA, Anísio. O ensino brasileiro. Boletim da CBAI. v.7, n. 10, 1953. p. 1122-1124.
TEIXEIRA, Anísio. O ensino cabe à sociedade. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.31, n. 74, 1959. p. 290-298.
TEIXEIRA, Anísio. Ensino humanístico e ensino científico em nosso tempo. Temas. São Paulo, v.1, n. 1, maio 1971. p. 5-12.
TEIXEIRA, Anísio. O ensino secundário. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 66, maio 1958. p. 1-2.
TEIXEIRA, Anísio. Entrevista ao Correio da Manhã. Educação e Ciências Sociais. Rio de Janeiro, v.3, n. 8, 1958. p. 133-137.
TEIXEIRA, Anísio. A escola brasileira e a estabilidade social. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.28, n. 67, jul./set. 1957. p. 3-29.
Anísio Teixeira nas comemorações do centenário
do Land-Grant Colleges and Universities.
TEIXEIRA, Anísio. A Escola Parque da Bahia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.47, n. 106, abr./jun. 1967. p. 246-253.
TEIXEIRA, Anísio. A escola pública. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 48, 1956. p. 1-3.
TEIXEIRA, Anísio. Escola pública é o caminho para a integração social. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.52, n. 95, jul/set. 1964. p. 210-213.
TEIXEIRA, Anísio. A escola pública universal e gratuita. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.26, n. 64, out./dez. 1956. p. 3-27.
TEIXEIRA, Anísio. A escola secundária em transformação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.21, n. 53, abr./jun. 1954. p. 3-20.
TEIXEIRA, Anísio. Escolas de educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.51, n. 114, abr./jun. 1969. p. 239-259.
TEIXEIRA, Anísio. As escolinhas de arte de Augusto Rodrigues. Arte e Educação. Rio de Janeiro, v.1, n. 1, set. 1970. p. 3.
TEIXEIRA, Anísio. La escuela brasileña y la estabilidad social. La Educación. v.2, n. 8, Oct./Dic. 1957. p. 5-14.
TEIXEIRA, Anísio. O espírito científico e o mundo atual. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.23, n. 58, 1958. p. 3-25.
TEIXEIRA, Anísio. Estado atual da educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.39, n. 89, jan./mar. 1963. p. 8-16.
TEIXEIRA, Anísio. Estudo sobre o projeto de Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.18, n. 48, out./dez. 1952. p. 72-123.
TEIXEIRA, Anísio. A expansão do ensino superior no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.36, n. 83, jul./set. 1961. p. 3-4.
TEIXEIRA, Anísio. Extensão do ensino primário brasileiro. Boletim CBAI. Rio de Janeiro, v.10, n. 6, 1956. p. 1614-1618.
TEIXEIRA, Anísio. Falando francamente. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.30, n. 72, out./dez. 1958. p. 3-16.
TEIXEIRA, Anísio. Falsa elite. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 60, nov. 1957. p. 1-2.
TEIXEIRA, Anísio. Filosofia e educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.32, n. 75, jul./set. 1959. p. 14-27.
TEIXEIRA, Anísio. Fraude contra a educação popular. Leitura. Rio de Janeiro, v.16, n. 10, abr. 1958. p. 32-33.
TEIXEIRA, Anísio. Funções da universidade. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 135, Fev. 1964. p. 1-2.
TEIXEIRA, Anísio. Gilberto Freyre, mestre e criador da Sociologia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.40, n. 91, jul./set. 1963. p. 29-36.
TEIXEIRA, Anísio. Grave problema do livro didático. Leitura. Rio de Janeiro, v.17, n. 22, abr. 1959. p. 24-25.
TEIXEIRA, Anísio. O humanismo técnico. Boletim CBAI. Rio de Janeiro, v.8, n. 2, 1954. p. 1186-1187.
TEIXEIRA, Anísio. Interpretação do artigo 15 da Lei de Diretrizes e Bases. Documenta. Rio de Janeiro, n. 81, fev. 1968. p. 3-9.
TEIXEIRA, Anísio. A lei de diretrizes. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.18, n. 48, 1952. p. 280-283
TEIXEIRA, Anísio. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional; um inquérito. Comentário. v.3, n. 2, abr./jun. 1962. p. 125-127.
TEIXEIRA, Anísio. Lei e tradição. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 54, maio 1957. p. 1-3.
TEIXEIRA, Anísio. A longa revolução de nosso tempo. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.49, n. 109, jan./mar. 1968. p. 11-26.
TEIXEIRA, Anísio. Mais uma vez convocados. Educação e Ciências Sociais. Rio de Janeiro, v.4, n. 10, abr. 1959. p. 5-33.
TEIXEIRA, Anísio. O manifesto dos pioneiros da educação nova. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.65, n. 150, maio/ago. 1984. p. 407-425.
TEIXEIRA, Anísio. Meia vitória, mas vitória. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.37, n. 86, abr./jun. 1962. p. 222-223.
TEIXEIRA, Anísio. A mensagem de Rousseau. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.38, n. 88, out./dez. 1962. p. 3-5.
TEIXEIRA, Anísio. Mestres de amanhã. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.40, n. 92, out./dez. 1963. p. 10-19.
TEIXEIRA, Anísio. O mito da cultura geral no ensino superior. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 41, 1956. p. 1-2.
TEIXEIRA, Anísio. A municipalização do ensino primário. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.27, n. 66, abr./jun. 1957. p. 22-43.
TEIXEIRA, Anísio. Notas para a história da educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.37, n. 85, jan./mar. 1962. p. 181-188.
TEIXEIRA, Anísio. Notas sobre a educação e a unidade nacional. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.18, n. 47, jul./dez. 1952. p. 33-49.
TEIXEIRA, Anísio. A nova Lei de Diretrizes e Bases: um anacronismo educacional. Comentário. Rio de Janeiro, v.1, n. 1, jan./mar. 1960. p. 16-20.
TEIXEIRA, Anísio. Padrões brasileiros de educação [escolar] e cultura. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.22, n. 55, jul./set. 1954, p. 3-22.
TEIXEIRA, Anísio. O pensamento precursor de McLuhan. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.54, n. 119, jul./set. 1970. p. 242-248.
TEIXEIRA, Anísio. Plano de construções escolares de Brasília. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.35, n. 81, jan./mar. 1961. p. 195-199.
TEIXEIRA, Anísio. Plano e finanças da educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.41, n. 93, jan./mar. 1964. p. 6-16.
TEIXEIRA, Anísio. Plano Nacional de Educação. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 123, fev. 1963. p. 1-3.
TEIXEIRA, Anísio. Por uma escola primária organizada e séria para formação básica do povo brasileiro. Educação e Ciências Sociais. v.3, n. 8, 1958. p. 139-141.
Anísio Teixeira, com o reitor da Columbia University 
e a esposa Emília Teixeira, por ocasião do recebimento 
da Medalha por Serviços prestados.
TEIXEIRA, Anísio. Porque ‘Escola Nova’. Boletim da Associação Bahiana de Educação. Salvador, n. 1, 1930. p. 2-30.
TEIXEIRA, Anísio. Por que especialistas de educação? Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 62, 1958. p. 1-2.
TEIXEIRA, Anísio. O problema de formação do magistério. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.46, n. 104, out./dez. 1966. p. 278-287.
TEIXEIRA, Anísio. Os processos democráticos da educação nos diversos graus do ensino e na vida extra-escolar. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.25, n. 62, abr./jun. 1956. p. 3-16.
TEIXEIRA, Anísio. A propósito da ‘Escola Única’. Revista do Ensino. Salvador, v.1, n. 3, 1924.
TEIXEIRA, Anísio. Que é administração escolar? Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.36, n. 84, 1961. p. 84-89.
TEIXEIRA, Anísio. Reforma do selvagem humano? Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 120, nov. 1962, p. 1-2.
TEIXEIRA, Anísio. Reorganização do Ensino Normal e sua transposição para o plano universitário: creação. Boletim de Educação Pública. Rio de Janeiro, v.2, n. 1/2, jan./jun. 1932. p. 110-117.
TEIXEIRA, Anísio. Reorganização e não apenas expansão da escola brasileira. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 58, set. 1957. p. 1-2.
TEIXEIRA, Anísio. Resenha do livro ‘Uma escola diferente’. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.51, n. 113, jan./mar. 1969. p. 145-148.
TEIXEIRA, Anísio. Revolução e educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.39, n. 90, abr./jun. 1963, p. 3-7.
TEIXEIRA, Anísio. Romper com a simulação e a ineficiência do nosso ensino. Formação. Rio de Janeiro, v.16, n. 176, 1953. p. 11-16.
TEIXEIRA, Anísio. Sobre o problema de como financiar a educação do povo brasileiro. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.20, n. 52, 1953. p. 27-42.
TEIXEIRA, Anísio. Tecnologia e pensamento. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.51, n. 113, jan./mar. 1969. p. 157-159.
TEIXEIRA, Anísio. Um educador: Abílio Cesar Borges. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.18, n. 47, jul./dez. 1952. p. 150-155.
TEIXEIRA, Anísio. Um grande esforço de toda a vida. Boletim Informativo CAPES. Rio de Janeiro, n. 96, nov. 1960. p. 1-3.
TEIXEIRA, Anísio. Um presságio de progresso. Habitat. São Paulo, v.4, n. 2, 1951. p. 175-177.
TEIXEIRA, Anísio. Uma experiência de educação primária integral no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.38, n. 87, jul./set. 1962. p. 21-33.
TEIXEIRA, Anísio. Uma perspectiva da educação superior no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.50, n. 111, jul./set. 1968. p. 21-82.
TEIXEIRA, Anísio. União intelectual das três Américas. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.35, n. 82, abr./jun. 1961. p. 180-183.
TEIXEIRA, Anísio. Unidade do Brasil. Boletim Informativo CAPES. n. 132, nov.1963. p. 1-4.
TEIXEIRA, Anísio. A universidade americana em sua perspectiva. Revista Brasileira de Estudos Pedagógios. Rio de Janeiro, v.36, n. 84, out./dez. 1961. p. 48-60.
TEIXEIRA, Anísio. A universidade de ontem e de hoje. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.42, n. 95, jul./set. 1964. p. 27-47.
TEIXEIRA, Anísio. A universidade e a liberdade humana. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.20, n. 51, jul./set. 1953. p. 3-22.
TEIXEIRA, Anísio. Variações sobre o tema da liberdade humana. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.29, n. 69, jan./mar. 1958. p. 3-18.
TEIXEIRA, Anísio. Valores proclamados e valores reais nas instituições escolares brasileiras. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.37, n. 86, abr./jun. 1962. p. 59-79.
TEIXEIRA, Anísio. Villa-Lobos nas escolas. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.36, n. 84, out./dez. 1961. p. 186-187.
TEIXEIRA, Anísio e outros. Educação para o desenvolvimento e a democracia. Documenta. Rio de Janeiro, n. 4, jun. 1962. p. 136-142.
TEIXEIRA, Anísio; RIBEIRO, Darcy. The University of Brasília. The Educational Forum. Wisconsin, v.26, n. 3, Part 1, mar. 1962. p. 309-319.
TEIXEIRA, Anísio; RAMOS, Jairo; CARDOSO, Fernando Henrique. Universidade de Brasília. Anhembi. São Paulo, v.11, n. 128, jul. 1961. p. 259-267.


"Somente a educação e a cultura poderão salvar o homem moderno e que a batalha educacional será a grande batalha do dia de amanhã."
- Anísio Teixeira


Entrevistas (*)
TEIXEIRA, Anísio. 1963: ano da educação. Entrevista. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 30 dez. 1962.
TEIXEIRA, Anísio. Anísio Teixeira: "Campanha contra o MCP é tudo fruto da mentira!". Entrevista. Tribuna da Imprensa. Fortaleza, 25 out. 1962.
TEIXEIRA, Anísio. Aptidões e inteligências diversificadas exigem variedade de cursos articulados. [Entrevista]. Diário de Notícias. Rio de Janeiro, 24 jun. 1956.
TEIXEIRA, Anísio. Curso, estágio e seminário para formação do professor. [Entrevista]. Jornal do Comércio. Rio de Janeiro, 20 abr. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Curso, estágio e seminário para formação do professor. [Entrevista]. Jornal do Comércio. Rio de Janeiro, 20 abr. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Em 100 alunos apenas 8 concluem o curso primário. [Entrevista]. A Notícia. Rio de Janeiro, (1952/1964).
TEIXEIRA, Anísio. As emoções do educador: tu pisavas os astros distraída. [Entrevista]. A Noite. Sessão Personalidade. Rio de Janeiro, 31 dez. 1955.
Anísio Teixeira, por Guima.
TEIXEIRA, Anísio. Desagrega-se a escola primária. [Entrevista]. Tribuna da Imprensa. Rio de Janeiro, 6 jan. 1953.
TEIXEIRA, Anísio. Descentralizar a educação, uma reforma que se impõe. [Entrevista]. O Globo. Rio de Janeiro, 7 dez. 1956.
TEIXEIRA, Anísio. O ensino cabe à sociedade. [Entrevista]. Diário de Notícias. Rio de Janeiro, 5 abr. 1959.
TEIXEIRA, Anísio. Entrevista. A Noite. Rio de Janeiro, 1961.
TEIXEIRA, Anísio. Entrevista. Correio da Manhã. Rio de Janeiro, 26 mar. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Entrevista. Jornal do Comércio. Rio de Janeiro, 16 nov. 1952.
TEIXEIRA, Anísio. Escola pública não é invenção do socialismo nem do comunismo. [Entrevista]. O Globo. Rio de Janeiro, 27 fev. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Fazer de Brasília um modêlo para a educação no País. [Entrevista]. Correio Braziliense. Brasília, 21 jun. 1963.
TEIXEIRA, Anísio. O ginásio de hoje corresponde ao grupo escolar anterior à revolução. [Entrevista]. Diário de Minas. Belo Horizonte, 7 nov. 1956.
TEIXEIRA, Anísio. Necessário reformar o ensino no Brasil. [Entrevista]. Notícias de Hoje. São Paulo, 28 dez. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Nenhuma hostilidade do INEP contra escolas particulares. Entrevista. Diário da Noite. Rio de Janeiro, 21 abr. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Novos métodos para o ensino primário. [Entrevista]. Diário Carioca. Rio de Janeiro, 12 jun. 1955.
TEIXEIRA, Anísio. Falando francamente. [Entrevista]. Programa de TV. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Paris é um filho espiritual de Roma. [Entrevista]. A Tarde. Salvador, 30 nov. 1925.
TEIXEIRA, Anísio. Precisamos reformar o nosso sistema educacional. [Entrevista]. A Tarde. Salvador, 12 abr. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Prof. Anísio Teixeira: ensino no Brasil está formando parasitas. [Entrevista]. Última Hora. Rio de Janeiro, 27 mar. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Querendo tudo ensinar, o curso secundário falha completamente em sua finalidade. [Entrevista]. Correio da Manhã. Rio de Janeiro, 26 mar. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Revolução social não se faz através de escola primária. [Entrevista]. Folha da Manhã. São Paulo, 9 maio 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Sete mil unidades escolares construídas pelo INEP. Entrevista. Correio do Povo. Porto Alegre, 3 mar. 1955.
TEIXEIRA, Anísio. Urgente uma reconstrução educacional. [Entrevista]. Diário Carioca. Rio de Janeiro, 13 jul. 1958.
TEIXEIRA, Anísio. Violenta fraude contra a educação. Entrevista. Última Hora. Rio de Janeiro, 12 mar. 1958.
(*) Disponível online.

"A educação para este período de nossa civilização ainda está para ser concebida e planejada e, depois disto, para executá-la, será preciso verdadeiramente um novo mestre, dotado de grau de cultura e de treino que apenas começamos a imaginar."
- Anísio Teixeira



"... A figura de Anísio é a própria imagem da inteligência brasileira, que o Brasil desperdiçou, porque parece ter medo das luzes que emanam das mentes esclarecidas. Que se pode esperar de uma nação que escorraça os representantes de sua cultura? ... "
- Afrânio Coutinho


Anísio Teixeira (centro) na Escola Parque/BA, 1956 - Foto: (...)

A ESCOLA PARQUE
Em 1932, Anísio Teixeira foi um dos signatários de um dos documentos mais importantes da história da educação no Brasil, o "Manifesto dos Pioneiros". O Manifesto defendia uma educação pública, gratuita, mista, laica e obrigatória, possibilitando a concretização do direito biológico à educação.

Anísio Teixeira apostava na educação para benefício e desenvolvimento de todos os indivíduos, voltada para a democracia e a liberdade de oportunidades. Criou o sistema educacional "Escola Parque" onde as escolas, além do currículo básico, propõem o acesso a aprendizagens sobre trabalho e à cultura ampla da humanidade, desenvolvendo o senso de responsabilidade, de ação prática e de criatividade.

A primeira unidade da "Escola Parque" de Anísio Teixeira foi instalada na Bahia, em Salvador, onde funciona até hoje com o nome de Centro Educacional Carneiro Ribeiro, reconhecida pela UNESCO como modelo educacional. Em 1957, Anísio Teixeira elaborou o plano de sistema escolar de Brasília, onde instalou várias outras unidades da Escola Parque, conhecidas como Escola Classe.

Em 1970, fundada a Escola Parque, no Rio de Janeiro, reiterando os ideais de educar para a vida e para a democracia. Tem por objetivo formar pessoas que se importem com o mundo onde vivem e que saibam viver no mundo e no tempo a que pertencem.

Escola Parque
ESCOLA PARQUE não é apenas um nome, mas um conceito complexo e profundo, uma filosofia de Educação. Neste início de século, certamente Anísio acompanharia com entusiasmo as modificações necessárias para a formação das novas gerações e conclamaria todos ao estudo, à discussão e às novas práticas, como sempre fez seu espírito inquieto.


"Não será espontaneamente que haveremos de sair da estrada do medo e da catástrofe para a da segurança e do razoável"... "os professores e a escola - cada vez mais importantes na civilização voluntária e inteligente que estamos criando, hão de ser os pioneiros nessa fronteira de progresso moral, que se terá de abrir de agora e por diante, na conquista do verdadeiro poder não só material mas humano sobre a vida neste planeta."
- Anísio Teixeira


COMPLEXO EDUCACIONAL CARNEIRO RIBEIRO - ESCOLA PARQUE



O Complexo Educacional Carneiro Ribeiro (Escola Parque) projeto arquitetônico de Diógenes Rebouças, localizado no bairro da Caixa D'Água, criada pelo educador Anísio Teixeira, possui um grande tesouro artístico, que reflete os ecos do modernismo na Bahia, reunindo murais dos principais artistas da cena baiana da época.
Os cinco murais do pavilhão de trabalho, assinados por Mário Cravo, Carybé, Jenner Augusto, Maria Célia Mendonça e Carlos Mangano, com temas como 'o homem e a máquina', 'a energia' ou 'a evolução humana', encomendados pelo próprio Anísio Teixeira. Os dois principais painéis, de 20 metros de largura por 12 de altura, foram feitos por Cravo e Carybé, que utilizaram a técnica de têmpera a ovo sobre compensado, os afrescos de Jenner Augusto e Carlos Mangano e uma pintura a óleo sobre madeira de Maria Célia Mendonça.


MURAIS E PAINÉIS DA ESCOLA PARQUE


Mario Cravo – “O homem e a máquina
(técnica têmpera sobre compensado)

Carybé - “A energia” (técnica têmpera sobre compensado).


Maria Célia Mendonça – “A transformação da matéria
(óleo sobre madeira compensada).


Carlos Mangano – “A evolução humana” (técnica afresco).

Núcleo de Artes do Centro Educacional Carneiro Ribeiro.
Foto: S.E Cultural Material Escolar


“[...] Meu ponto de vista, pois, é simples: se alguém deseja ser professor é que resolveu devotar sua vida a estudar e como estudante é que vai ensinar. Como sua luta por aprender fez-se a sua própria vida, não há problema relativo a como aprender de que não tenha experiência [...]”
- Anísio Teixeira, trecho de uma carta escrita ao Professor Edivaldo Boaventura, em 13 de dezembro de 1968.


 Anísio Teixeira (criador da UnB) e Edgard Santos (criador da Ufba)
 - dois grandes educadores - Foto: (...)


“A Escola que possuímos é a escola para o tipo de civilização urbana, só aplicável ao campo na medida em que ele se urbaniza, reurbaniza, como dizem hoje, os sociólogos. Como isto, de fato acabará por se dar, em todo país, a escola deverá organizar-se tão bem quanto possível nas cidades e ir se estendendo pelo campo na sua missão de lhes transformar também gradualmente a vida...”
- Anísio Teixeira, trecho de carta a Rubem Braga, [Rio de Janeiro], maio de 1957.


"…Eureca! Eureca! Você é o líder, Anísio! Você há de moldar o plano educacional brasileiro. Só você tem a inteligência bastante aguda para ver dentro do cipoal de coisas engolidas e não digeridas pelos nossos pedagogos reformadores… Eles não conhecem, senão de nomes, aqueles píncaros (Dewey & Co.) por cima dos quais você andou e donde pode descortinar a verdade moderna. Só você, que aperfeiçoou a visão e teve o supremo deslumbramento, pode neste País falar de educação!"
- Monteiro Lobato

No centro Anísio Teixeira e Monteiro Lobato.

"(...)busca pela busca. Mas um buscar consciente da felicidade que produz esse esforço por encontrar; com encontros que constituem tão somente novas plataformas para novas buscas (...)."
Anísio Teixeira, em carta ao amigo Monteiro Lobato.


“Caro Lobato, amar a Unesco é uma coisa e casar com ela, outra. Com sete meses de vida marital, ando triste e desconsolado, nada me faz crer na Unesco de nossos sonhos.”
- Anísio Teixeira, trecho de carta a Monteiro Lobato. Londres, 1947.


"Anísio Spínola Teixeira, flor na ponta de galho, de uma raça nobre e inteligente do meu sertão, honra a Bahia. O Brasil nos inveja por ele. (...)"
- Afrânio Peixoto

Anísio Teixeira - Foto: (...)

FRAGMENTOS E CITAÇÕES
“A vida não me deixou ser senão um homem de ação, ... de administração, escrevendo ao comando da circunstância, do dever imediato do meu cargo...”
- Anísio Teixeira, em trecho de carta a Alceu de Amoroso Lima, Rio de Janeiro, 17/5/1964.


“As coisas melhores que pude construir até hoje foram as minhas amizades. O nosso amor há de ser qualquer coisa de maior e de melhor. Ajude-me pois a construí-lo. Com o seu auxílio, ele há de ser tão alto, tão sólido, tão humano e tão bom que irá para além do nosso sonho...”
- Anísio Teixeira, em trecho de carta a Emília Telles Ferreira. Bahia, 31 julho de 1930.


“Caiu-me nas mãos um precioso livrinho francês, L’Idée réparatrice. Nenhum outro livro me soube fazer conhecer, tão a fundo, a essência mesma da doutrina de Jesus que este; (...) parece que Deus me esclarecia, para poder transpor com convicção a única barreira que encontrava para a Companhia de Jesus: o afastamento da família. Este ano não tive a consolação de obter o vosso consentimento...”
Anísio Teixeira, por Jefferson Nepomuceno.
- Anísio Teixeira, em trecho de carta aos pais, Caetité, 25 de março de 1920, sexta-feira santa.


“O passado é extremamente importante, mas como luz que ilumina o presente e nos ajuda a vê-lo melhor, e a evitar os erros e omissões da experiência anterior.”
- Anísio Teixeira, trecho da nota explicativa do livro "Educação e o mundo moderno".


“Guardei de minha formação religiosa o sentimento de que viver é servir e nada mais esperar que o conforto desse possível serviço. A isto juntei sempre um agudo senso de certa insignificância pessoal, que jamais me permitiu pedir ou pleitear reconhecimento de qualquer espécie.”
- Anísio Teixeira, trecho de carta a Fernando de Azevedo, Rio de Janeiro, 18 de janeiro de 19..?.


“A liberdade do administrador público é muito pouca...”
- Anísio Teixeira, trecho de sua fala na III Conferência Nacional de Educação, em Salvador-BA, 1967.


“Profissões se regulamentam, mas não se regulamenta a cultura. Um homem culto e um homem diplomado são duas coisas, infelizmente, bem diversas entre nós.”
- Anísio Teixeira, trecho retirado de discurso proferido quando reitor interino da Universidade do Distrito Federal, em 31 de julho de 1935.


Anísio Teixeira, 
ilustração UFRJ.
“O século XX ainda não descobriu que a verdadeira revolução é a Democracia, pois ela exige e impõe a transformação integral do ser humano e das sociedades”
- Citação extraída de “Anísio Teixeira: breve retrato de uma grande vida”, de Artur da Távola.


“Sou um homem a quem a vida dá e tira com a mesma grosseria e sinto que me vou desabituando à delicadeza”.
- Anísio Teixeira, trecho de carta a Abgar Renault, Rio de Janeiro, 19 de maio de 1964.


“No Brasil, a cultura isola, diferencia, separa. E isso por que? Porque os processos para adquiri-la são tão diversos, e os esforços para desenvolvê-la tão hostilizados e tão difíceis, que o homem culto, à medida que se cultiva, mais se desenraíza, mais se afasta do meio comum, e mais se afirma nos exclusivismos e particularismos da sua luta pessoal pelo saber.”
- Anísio Teixeira, trecho de discurso pronunciado como reitor interino da Universidade do Distrito Federal, Rio de Janeiro, 31 de julho 1935.



"A civilização moderna tem uma feição singular; ela é uma civilização em permanente mudança."
- Anísio Teixeira

Ao centro Anísio Teixeira, Carmem Teixeira e
Otávio Mangabeira (Governador). 21 Set. 1950, Salvador, BA.

"Todo o nosso passado, os nossos mais caros preconceitos, os nosso hábitos mais queridos, a nossa agradável vida paroquial, tudo isto se levanta contra o tumulto e a confusão de uma mudança profunda de cultura, como a que estamos sofrendo. Contudo, a mocidade, está a aceitar esta mudança, é verdade que um tanto passivamente, mas sem nada que lembre a nossa inconformidade. A mudança, todos sabemos, é irreversível. Só conseguiremos restaurar-lhe a harmonia, se conseguirmos construir uma educação que a aceite, a ilumine e a conduza no sentido humano."
- Anísio Teixeira


Gilberto Freyre, Anísio Teixeira e Jorge Amado, em 1961.

"Somos pela propaganda, condicionados para desejar o supérfluo, para atender necessidades inventadas, antes de haver atendido as nossas reais necessidades materiais e mais: uma sociedade cujo objetivo é o consumidor cada vez mais quantidades de bens materiais, inventando necessidades, lança o homem num delírio de busca ilimitada de excitação e falsos bens."
- Anísio Teixeira

Anísio Teixeira na Escola Parque - foto: (...)

ANÍSIO TEIXEIRA E A DITADURA MILITAR
Uma morte misteriosa
Diversas circunstâncias obscuras cercaram a morte de Anísio Teixeira. Dois meses antes de sua morte, ele escreveu: "Por mais que busquemos aceitar a morte, ela nos chega sempre como algo de imprevisto e terrível, talvez devido seu caráter definitivo: a vida é permanente transição, interrompida por estes sobressaltos bruscos de morte" (em uma carta a Fernando de Azevedo).
Por intercessão do amigo Hermes Lima, Anísio candidatou-se a uma vaga na Academia. Iniciou-se assim a série de visitas protocolares aos Imortais.
Depois da última visita, ao lexicógrafo Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, Anísio desapareceu. Preocupada, sua família investigou seu paradeiro, sendo informada pelos militares de que ele se encontrava detido.
Uma longa procura por informações teve início — repetindo um drama vivido por centenas de famílias brasileiras durante a ditadura militar. Mas, ao contrário das desencontradas informações e pistas falsas, seu corpo foi finalmente encontrado no fosso do elevador do prédio do imortal Aurélio, na Praia de Botafogo, no Rio. Dois dias haviam se passado de seu desaparecimento. Seu corpo não tinha sinais de queda, nem hematomas que a comprovassem. A versão oficial foi de "acidente".
Calava-se, para um Brasil mergulhado em sombras, uma voz em defesa da educação — portador da "subversiva" ideia de um país melhor. Era o dia 14 de março de 1971.
Em depoimento na UnB em 10 de agosto de 2012, o professor João Augusto de Lima Rocha afirmou: "Em dezembro de 1988, Luiz Viana Filho me confessou que Anísio Teixeira foi preso no dia que desapareceu (11/3/71) e levado para o quartel da Aeronáutica, em uma operação que teve como mentor o brigadeiro João Paulo Burnier, figura conhecida do regime militar e que tinha o plano de matar todos os intelectuais mais importantes do Brasil na época", disse João Augusto.
Fontes e referências para pesquisa
BELÉM, Euler de França. Ditadura militar pode ter assassinado criador da UnB. Jornal Opção, edição nº 1948, de 4 a 10 de novembro de 2012. Disponível no link. (acessado 6.8.2013).
DEPOIMENTOUnB instala Comissão da Verdade com depoimento inédito - [Professor baiano surpreendeu os presentes na cerimônia ao narrar depoimentos que reforçam a suspeita de que Anísio Teixeira, fundador da Universidade, foi assassinado pelo regime militar]. Agência UnB, por Paulo Castro, Memória e verdade, 10/8/2012. Disponível no link. (acessado 6.8.2013).
JOSÉ, Emiliano. O assassinato de Anísio Teixeira. in: Carta Capital, 13/1/2014. Disponível no link. (acessado em 15.9.2015).
NITAHARA, Akemi(*). Comissão da Verdade do Rio vai investigar mortes de Anísio Teixeira, Stuart Angel e Rubens Paiva. [Edição: Aécio Amado], Agência Brasil, 17/4/2013.  (*) Repórter da Agência Brasil. Disponível no link. (acessado 6.8.2013).
PASSOS, Najla. Brasil. Crimes da Ditadura 64: Anísio Teixeira. Kaos en la Red, Miércoles, 0 de Noviembre de 2012. Disponível no link. (acessado 10.9.2013).
UNB. InvasõesUniversidade de Brasília - UnB. Disponível no link. (acessado 6.8.2013).

Anísio Teixeira - Foto: (...)
FORTUNA CRÍTICA DE ANÍSIO TEIXEIRA
[Estudos acadêmicos sobre a obra e vida de Anísio Teixeira: livros, teses, dissertações, monografias, artigos e ensaios]
ADÃES, Lucya. Bahia - Terra de Educadores. In: ADÃES, Lucya. Bahia de todos os cantos. Salvador: Bureau Gráfica, 1999. p. 11-14. Disponível no link. (acessado 23.12.2012). 
ALMEIDA FILHO, Naomar. Nunca fomos Flexnerianos: Anísio Teixeira e a educação superior em saúde no Brasil. Cad. Saúde Pública [online]. 2014, vol. 30, n.12, p. 2531-2553. Disponível no link. (acessado em 6.8.2016).
ALMEIDA, Stela Borges de. A Escola Parque da Liberdade, Bahia. In: Carlos Monarcha. (org.). Anísio Teixeira: A Obra de uma Vida. 1ª ed., Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2001, v. , p. 125-140.
ALMEIDA, Stela Borges de. Escola Parque: Paradigma Escolar (1947-1951). (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade Federal da Bahia, UFBA, 1989.
ARAÚJO, Marta Maria de. Homenagem ao educador Anísio Teixeira. In: III Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação, Coimbra, 24 fev. 2000.
ASSMAR, Sylvia Ganem. ‘Governo restaura casa onde nasceu’ Anísio Teixeira. Tema Livre. Salvador, Secretaria da Educação do Estado da Bahia/IAT-Centro de Aperfeiçoamento de Professores, v.3, n. 15, mar. 1998. p. 3. Disponível no link. (acessado 23.12.2012).
AYRES, Jayme Junqueira. Situação do ensino primário na Bahia. In: I Conferência Nacional de Educação, Curitiba, 1927. Brasília: MEC/SEDIAE/INEP/IPARDES, 1997. p. 222-244.
AZEVEDO, Fernando de e outros. Anísio Teixeira: pensamento e ação. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 1960. 326 p. Disponível no link.(10.2.2011).
BAHIA. Secretaria da Educação. Ação popular: qualidade, compromisso de todos. Salvador: IAT, 1998. 5p.
BARBOSA, Claudio Luis de Alvarenga. A herança da filosofia Deweyana: influência na vida e obra de Anísio Teixeira. Revista Educação e Filosofia – v. 17 – nº 34. Jul/Dez.2003. PP. 65-80. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
BADAJOZ, Delta Doreste. A influência de Anísio Teixeira na Formação de Professores da cidade do Rio de Janeiro. (Dissertação Mestrado em Ciências Pedagógicas). Instituto Superior de Estudos Pedagogicos, ISEP, 2004.
BARREIRA, Luiz Carlos. O dependentismo e o desenvolvimento na reflexão de Anísio Teixeira sobre a educação escolar brasileira. (Dissertação de Mestrado). São Paulo: PUC, 1989, 230 p.
Anísio Teixeira
BENATHAR, Roberto Levy. Lugar e posição de Anísio Spínola Teixeira na pedagogia brasileira. Ciência e Cultura. Rio de Janeiro, v.33, n. 12, dez. 1981. p.1662-1665. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
BOAVENTURA, Edivaldo M. “O Anísio Teixeira que eu conheci.” Revista da FAEEBA. Salvador, n. 5, Seção Depoimento, jan./jun. 1996. p.5-16. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
BOAVENTURA, Edivaldo M. Anísio Teixeira. In: BOAVENTURA, Edivaldo M. Gente da Bahia. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1990, p. 27-30.
BOAVENTURA, Edivaldo M. Anísio Teixeira e a autonomia da educação baiana. Revista da Bahia. Salvador, v.32, n.31, jul. 2000. p.70-83. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
BOMENY, Helena. Novos talentos, vícios antigos: os renovadores e a política educacional. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v.6, n. 11, 1993. p.24-39.
BORTOLOTI, Karen Fernanda da Silva. A Psicologia em Anísio Teixeira. (Tese Doutorado  em Educação Escolar). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, 2012.
BORTOLOTI, Karen Fernanda da Silva; CUNHA, Marcus Vinicius da. Anísio Teixeira e a Psicologia: o valor da mensuração. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (Impresso), v. 32, p. 32-52, 2013.
BORTOLOTI, Karen Fernanda da Silva. Anísio Teixeira e os testes psicológicos. In: Congresso Brasileiro de História da educação, 2011, Vitória. Invenção, Tradição e escritas da História da Educação no Brasil. Vitória: Editora UFES, 2011. v. 1. p. 423-438.
BRANDÃO, Zaia. Diálogo com Anísio Teixeira sobre a escola brasileira. Revista brasileira de estudos pedagógicos, Brasília, n. 194, v. 80, p. 95 – 101, 1999.
BRITTO, Jader de Medeiros. Anísio Teixeira: arquiteto da educação brasileira. Revista Brasileira de Comunicação, Arte e Educação, Brasília, v. 2, n. 7, p. 147-149, abr./jun. 2000.
BUFFA, Ester. Caracterização do conflito escola particular - escola pública, através da bibliografia no período 1956-1961. In: BUFFA, Ester. Ideologias em conflito: escola pública escola privada. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979. p.19-81.
BURKE, Maria Lucia Garcia Pallares. Anisio Teixeira: Formação e Primeiras Realizações. 1900.
CANDOTTI, Ennio. Propondo a criação do Fundo Anísio Teixeira de Divulgação Científica. Jornal da Ciência. Rio de Janeiro, v.14, n.442, ago. 2000. p.6. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
CARDOSO, Silmara de Fatima. Viajar é inventar o futuro: narrativas de formação e o ideário educacional brasileiro nos diários e relatório de Anísio Teixeira em viagem à Europa e aos Estados Unidos (l925-l927). (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade de São Paulo, USP, 2011.
CARDOSO, Silmara de Fatima. Representação de um projeto diferenciado de escola, professor e aluno no relatório de Anísio Teixeira em viagem aos Estados Unidos. Educação Unisinos (Online), v. 17, p. 48-56, 2013.
CARDOSO, Silmara de Fatima. Diários de viagem de Anísio Teixeira: razões e sentidos de uma escrita de si e do outro. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos RBEP-INEP, v. 94, p. 11-31, 2013.
CARDOSO, Silmara de Fatima. Realizações e conflitos na reforma do Distrito Federal: temas das cartas trocadas por Emilinha e Anísio Teixeira. In: II Seminário Interno Educação e Imagem, 2004, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos do evento, 2004. p. 1-30.
CARMO, Rachel Aguiar Estevam do. O pensamento de Anísio Texeira para o ensino superior brasileiro nos anos de 1930: uma revolução dentro ou contra a ordem?. (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade Federal Fluminense, UFF, 2011.
CARNEIRO, Newton. Comunicação do deputado Newton Carneiro. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, mar. 1958. (localização do DOC. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATj 61 ).
CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Anísio Teixeira: Itinerários. In: Seminário "Um olhar sobre Anísio". Mesa Redonda "Política Educacional", Rio de Janeiro, 3 set. 1999. Rio de Janeiro, UFRJ/CFCH/PACC, Fundação Anísio Teixeira, 1999. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Anísio Teixeira: itinerários. Contato: Revista Brasileira de Comunicação, Arte e Educação, Brasília, v. 2, n.7, p. 85-101, abr./jun. 2000.
Anísio Teixeira - Foto: (...)
CASTRO, Maria Helena Guimarães de. O INEP ontem e hoje. In: Um Olhar para o Mundo - Contemporaneidade de Anísio Teixeira. Rio de Janeiro, 2 set. 1999. Rio de Janeiro, UFRJ/CFCH/PACC, Fundação Anísio Teixeira, 1999. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
CHAVES, Miriam Waidenfeld. A escola anisiana dos anos 30: fragmentos de uma experiência - a trajetória pedagógica da Escola Argentina no antigo Distrito Federal (1931-1935). (Tese Doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, 2003.
CHAVES, Miriam Waidenfeld. Educação integral: uma proposta de inovação pedagógica na administração escolar de Anísio Teixeira no Rio de Janeiro dos anos 30. In: Lígia Martha Coimbra da Costa Coelho; Ana Maria Villela Cavaliere. (org.). Educação brasileira em tempo integral. 1 ed. Petrópolis: Vozes, 2002, v., p. 43-59.
CHAVES, Miriam Waidenfeld. O liberalismo de Anísio Teixeira. São Paulo, Cadernos de Pesquisa, nº 110, p. 203-211, julho/ 2000. Disponívelno link. (acessado 11.2.2011).
CORDEIRO, Célia Maria Ferreira. Anísio Teixeira, uma visão do futuro. 2002.
CORSETTI, B.; ECOTEN, Márcia Cristina Furtado. Anísio Teixeira e a Qualidade da Escola: uma análise sobre sua contribuição à questão do rendimento escolar no Brasil. História da Educação (UFPel), v. 16, p. 89-111, 2012.
CUNHA, Luiz Antônio. 1997 repete 1937? Unificação e Segmentação no Ensino Brasileiro.In: Seminário "Um olhar sobre Anísio". Mesa Redonda "Política Educacional", Rio de Janeiro, 3 set. 1999. Rio de Janeiro, UFRJ/CFCH/PACC, Fundação Anísio Teixeira, 1999. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
CUNHA, Luiz Antônio. A educação e a construção de uma sociedade aberta. In: CUNHA, Luiz Antônio. Educação e desenvolvimento social no Brasil. 10ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Francisco Alves, 1975. p. 25-63.
CUNHA, Luiz Antônio. O ensino superior na era de Vargas. In: CUNHA, Luiz Antônio. A universidade temporã. O ensino superior da Colônia à Era Vargas. 10ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980. p.204-295.
CURY, Carlos Roberto. Anisio Teixeira - (1900-1971). Perspectivas: Revista trimestral de educación comparada (París. UNESCO: Oficina Internacional de Educación), vol. XXX, n° 4, diciembre 2000, págs. 561-572. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
CYPRIANO, Margarete de Cássia Gomes. Influência de Anísio Teixeira na educação brasileira na década de 30. (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade Metodista de Piracicaba, UNIMEP, 2011.
DÓREA, Célia Rosângela Dantas. Anísio Teixeira e a arquitetura escolar: planejando escolas, construindo sonhos. (Tese Doutorado em Educação História Política Sociedade). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, 2003.
DÓREA, Célia Rosângela Dantas. Anísio Teixeira e a arquitetura escolar: planejando escolas, construindo sonhos. Revista da FAEEBA. Salvador, n.13, jan./jun. 2000, p.151-160. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
DÓREA, Célia Rosângela Dantas. Anísio Teixeira e as políticas de edificações escolares no Rio de Janeiro (1931-1935) e na Bahia (1947-1951) (UNEB). Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
EBOLI, Maria Terezinha de Melo. Uma escola diferente. São Paulo: Ed. Nacional, 1969. 236 p.
EBOLI, Maria Terezinha de Melo. Uma experiência de educação integral. Salvador: MEC/INEP/Centro Educacional Carneiro Ribeiro, 1969. 84 p.
ESQUINSANI, Rosimar Serena Siqueira. Educação e Ideologia: o caso Anísio Teixeira. 1. ed. Passo Fundo: EDIUPF, 2002. v. 1. 155 p.
ESQUINSANI, Rosimar Serena Siqueira. O público e o privado em educação: O caso Anísio Teixeira e a Igreja Católica no Rio Grande do Sul. (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade de Passo Fundo, UPF, 2000.
FAVERO, M. L. A. (Org.); BRITTO, J. M. (Org.). Anísio Teixeira. Educação e Universidade. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1998. v. 1. 188 p.
FÁVERO, Maria de Lourdes de A. Universidade & poder. Análise crítica/fundamentos históricos: 1930-45. Rio de Janeiro: Ed. Achiamé, 1980. 205 p.
FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque. Anísio Teixeira e a UDF: que lições nos oferecem?. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 87-101, jan./jun. 2001
FÁVERO, Maria de Lurdes. Anísio, o administrador. In: Seminário "Um olhar sobre Anísio". Mesa Redonda "Gestão da Educação", Rio de Janeiro, 3 set. 1999. Rio de Janeiro, UFRJ/CFCH/PACC, Fundação Anísio Teixeira, 1999. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
FAVORETO, Aparecida. Uma reflexão histórica sobre a concepção de progresso presente no projeto educacional de Anísio Teixeira. (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Maringá, UEM, 1998.
FERNANDES TÁVORA. Comunicação do deputado Fernandes Távora. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, jul. 1958. (localização do DOC. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATj 61 ).
FERNANDES, Florestan. Anísio Teixeira e sua geração. Jornal do professor de primeiro grau. Brasília, v.4, n. 16, 1989, p.4-5.
FERRO, Maria do Amparo Borges. Anísio Teixeira, democrata da educação. IN: PRÊMIO grandes educadores brasileiros: monografias premiadas 1984. Brasília: INEP, 1984. p.135-164. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
FIALHO, Nadia. Anísio Teixeira palavra e luz. Revista da Bahia. Salvador, v.32, n.31, jul. 2000. p.38-53. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
Anísio Teixeira - Foto: (...)
FONSECA E SILVA. Comunicação do deputado Fonseca e Silva. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, dez. 1956. (localização do DOC. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATj 61 ).
FONSECA E SILVA. Comunicação do deputado Fonseca e Silva. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, fev. 1957. (localização do DOC. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATj 61 ).
FONSECA E SILVA. Comunicação do deputado Fonseca e Silva. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, abr. 1957. (localização do DOC. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATj 61 ).
FONSECA E SILVA. Comunicação do deputado Fonseca e Silva. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, ago. 1957. (localização do DOC. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATj 61 ).
FONSECA E SILVA. Comunicação do deputado Fonseca e Silva. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, ago. 1958. (localização do DOC. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATj 61 ).
FONSECA E SILVA. Discurso do Deputado Fonseca e Silva. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, nov. 1957. (localização do DOC. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATj 61 ).
FONSECA, Maria Alice [Org.]. Anais do III Seminário Projeto Educação - Homenagem a Anísio Teixeira - Escola Pública no Brasil: uma visão política. Rio de Janeiro, Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ, 19 out. 1995. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1995. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
FONSECA, Sérgio César da. Da organicidade à rachadura: a interlocução de Paulo Freire com Anísio Teixeira (1959-1969). (Tese Doutorado em Educação). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, 2006.
FONSECA, Sérgio César da. Paulo Freire & Anísio Teixeira: Convergências e divergências (1959-1969). 1. ed. Jundiaí: Paco, 2011. 272 p.
FONSECA, Sérgio César da. A trajetória de Anísio Teixeira entre 1935 e 1946: uma história contada pela sua correspondência com Monteiro Lobato e Fernando de Azevedo. Patrimônio e Memória. UNESP – FCLAs – CEDAP, v.1, n.1, 2005 p. 1-22.
FREITAS, Kátia Siqueira de. Quem foi Anísio Teixeira? Revista da Bahia. Salvador, v.32, n.31, jul. 2000. p.84-90. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
FREITAS, Marcos Cezar de. As metáforas de Anísio Teixeira. Veredas. Rio de Janeiro, v.5, n.56, ago. 2000. p.26-28. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
FREITAS, Marcos Cezar de. História, interpretações e identidade nacional: os "encontros" de Anísio Teixeira. Revista Brasileira de Comunicação, Arte e Educação, Brasília, v. 2, n. 7, p. 63-74, abr./jun. 2000.
GALLO, Anita Adas.Introdução ao pensamento de Anísio Teixeira: uma perspectiva democrática em educação. (Dissertação Mestrado em Educação Escolar). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, 2003.
GANDINI, Raquel Pereira Chainho. Tecnocracia, Capitalismo e Educação em Anísio Teixeira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980. v. 1. 224 p.
GARCIA, Edília Coelho. Um século de mudanças. Editorial. Educação. Rio de Janeiro, v.32, n.101, abr./jul. 2000. p.4. f. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
GERIBELLO, Wanda Pompeu. Anísio Teixeira: análise e sistematização de sua obra. São Paulo: Ed. Atlas, 1977. 211 p.
GHIRALDELLI JR, Paulo. Anísio Teixeira: o nosso pragmatista do século XX fazendo filosofia no começo do século XXI. Teias: Revista da Faculdade de Educação/Uerj, Rio de Janeiro, v. 1 , n. 1, p. 119-123, jan./jun. 2000.
GHIRALDELLI JR., Paulo. A atualidade filosófica de Anísio Teixeira. Educação. Rio de Janeiro, v.32, n.101, abr./jul. 2000. p.23-27. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
GICELLO, Roberto. Anísio Teixeira: um educador e a história. Jornal do professor de primeiro grau. Brasília, v.4, n. 16, 1989. p.8.
GÓES, Moacyr de. Do pensamento de Anísio Teixeira à prática de De Pé no Chão também se Aprende a Ler. In: Seminário "Um olhar sobre Anísio". Mesa Redonda "Gestão da Educação", Rio de Janeiro, 3 set. 1999. Rio de Janeiro, UFRJ/CFCH/PACC, Fundação Anísio Teixeira, 1999. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
GOUVÊA, Fernando. “Dr. Anísio, ele pensava e executava”: A trajetória de Anísio Teixeira no campo da formação de professores no Brasil (1924-1950), PUC/Rio. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
GOUVÊA, Fernando. A Capes em tempos de Anísio Teixeira: entre impressos e impressões (1951-1964). Trabalho apresentado no XXV Simpósio Nacional de História. Fortaleza: Editora Littere, 2009.
GOUVEIA NETO, Hermano. Anísio Teixeira: educador singular. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1973. 150 p. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
GUIMARÃES, Luiza Angélica Paschoeto. Anísio Teixeira: situação educacional e propostas para a formação do magistério primário. (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade Católica de Petrópolis, UCP, 2008.
GUIMARÃES, Luiza Angélica Paschoeto. Escola Primária Pública e Democrática: concepções e desafios no pensamento educacional de Anísio Teixeira. Linguagem, Educação e Sociedade (UFPI), v. 18, p. 13-20, 2008.
GUIMARÃES, Manoel. Educação e modernidade: o projeto educacional de Anísio Teixeira. Rio de Janeiro: PUC/Departamento de Filosofia, 1982. (Dissertação de Mestrado). 152 p.
INTEGRAÇÃO. Reverência a Anísio Teixeira. Integração. Guanambi, v.8, n.55, jul./ago. 2000. p.12-13. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
JUSTINIANO, Leonildes. Sobre o perfil pedagógico de Anísio Teixeira: ensaio avaliatório de sua contribuição à educação do Brasil. (Dissertação de Mestrado). Rio de Janeiro: IESAE/FGV, 1976, 90 p.
LEAL, Francisco Juceildo. Anísio Teixeira e a revolução educacional do escolanovismo. (monografia conclusão do curso de pós-graduação em docência do ensino superior). Universidade Cândido Mendes, UCAM, 2004. Disponível no link. (acessado 6.8.2013).
LEMME, Paschoal. Memórias. Brasília: INEP, 1988. 3v.
LIMA, Haroldo. De Caetité a Anísio. Caetité, 2000. 4p. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
LIMA, Hermes. Anísio Teixeira: estadista da educação. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 1978. 212 p. Disponível no link. (10.2.2011).
LOBO NETO, Francisco José da Silveira. Homenagem. In: Semana do aniversário da Faculdade de Educação - UFF. Abertura do Ciclo de Palestras "O Centenário de Anísio Teixeira", Niterói, 23-26 maio 2000. Niterói, UFF/Faculdade de Educação, 2000.
LOBO, Yolanda Lima. A construção e definição de políticas de pós-graduação em educação no Brasil: a contribuição de Anísio Teixeira e de Newton Sucupira. (Tese de Doutorado). Rio de Janeiro: PUC, 1991, 214 p.
LOPES, Eraldo. Anísio Teixeira: um acadêmico sem cadeira. Revista ABEU, Belford Roxo, RJ, v. 1, n. 2, p. 19-24, jan./jun. 2001.
LOURENÇO FILHO, M. B. e outros. Manifesto de 529 educadores. Educação e Ciências Sociais. Rio de Janeiro, v.3, n. 8, 1958. p.143-145. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
LUSTOSA, Isabel. A descoberta da América. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1995. 28p.
LUSTOSA, Isabel. As trapaças da sorte: pequeno relato das circunstâncias que resultaram na prisão do prefeito Pedro Ernesto, à luz das experiências de Maquiavel e Tocqueville. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1994. 37p.
MACHADO, Denise de Almeida e WEYH, Cênio Back. Anísio Teixeira e o projeto de escola integral – Centro Educacional Carneiro Ribeiro (Escola parque). Rio Grande do Sul. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
MACHADO, Lourdes Marcelino. Evolução do conhecimento em Administração da Educação no Brasil: um recorte da obra de Anísio Teixeira. In: II Congresso Luso-Brasileiro de Política e Administração da Educação. Fórum Português de Administração da Educação, Universidade do Minho e ANPAE, Braga-Pt. 18-20 jan. 2001. Disponível no link. (acessado 9.2.2011).
MACHADO, Maria Cristina Gomes; SOUZA, Rodrigo Augusto de. Anísio Teixeira e a escola pública: um estudo sobre sua atuação político-pedagógica na educação brasileira. Cadernos de Pesquisa, 2010. Disponível no link. (acessado 6.8.2013).
MADUREIRA DE PINHO, Demosthenes. Anísio Teixeira, um homem livre. Arte & Educação. Rio de Janeiro, 1971. p.16. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
MADUREIRA DE PINHO, Péricles. Mestre Anísio: Homenagem a Anísio Teixeira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.55, n. 121, jan./mar. 1971. p.102-126.
MARINHO, Josaphat. Anísio e a educação para democracia. Palestra proferida na Fundação Anísio Teixeira. Salvador, 21 jul. 1998. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
MARINHO, Josaphat. Um formador de consciências livres. In: Um Olhar para o Mundo - Contemporaneidade de Anísio Teixeira, Rio de Janeiro, 2 set. 1999. Rio de Janeiro, UFRJ/CFCH/PACC, Fundação Anísio Teixeira, 1999. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
MARQUES, Zélia Malheiro. Entre viagens, leituras e leitores: a itinerância da Biblioteca Anísio Teixeira. (Dissertação Mestrado em Educação e Contemporaneidade). Universidade do Estado da Bahia, UNEB, 2009.
MARTINO, Luis Mauro. Escola para todos: centenário de Anísio Teixeira lança as bases para a democratização e o aperfeiçoamento do ensino brasileiro. Ensino Superior, São Paulo, v. 3, n. 25, p. 30-32, out. 2000.
MARTINS, Luciano. A revolução de trinta e seu significado político. In: Revolução de trinta: seminário internacional. Brasília: Editora da UnB, 1983.
MARTINS, Octavio. Anísio Teixeira: grande expoente da educação brasileira. Fórum Educacional. Rio de Janeiro, v.3, n. 2, abr./jun. 1979. p.69-80. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
MARTINS, Octavio. Os exames de admissão na UnB nos primeiros anos de seu funcionamento. Forum Educacional. Rio de Janeiro, v.4, n. 1, jan./mar. 1980. p.87-96. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
MATTA, Raymundo. Anísio Teixeira e a arte de identificar vocações para a educação. In: Conferência comemorativa do 9o aniversário do grande educador brasileiro. Salvador, 12 jun. 1990. Salvador: FUNDAT/Instituto de Estudos e Pesquisas em Educação e Mestrado da UFBa, 1994. 22p. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
MATTA, Raymundo. Anísio Teixeira e a arte de identificar vocações para a educação. Salvador: FUNDAT/Instituto de Estudos e Pesquisas em Educação e Mestrado da UFBa, 1994. 22p. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
MEDEIROS NETO. Discurso do deputado Medeiros Neto, proferido na sessão do dia 21 fev. 1957. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, fev. 1957. - (localização do DOC. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATj 61 ).
MENDES, Durmeval Trigueiro. Anotações sobre o pensamento educacional no Brasil. Rio de Janeiro, 1986. 7p.
MENDONÇA, Ana Waleska P. C. A Formação dos Mestres: a contribuição de Anísio Teixeira para a institucionalização da Pós-Graduação no Brasil. In: Seminário "Um olhar sobre Anísio". Mesa Redonda "Política Educacional", Rio de Janeiro, 3 set. 1999. Rio de Janeiro, UFRJ/CFCH/PACC/, Fundação Anísio Teixeira, 1999. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
MENDONÇA, Ana Waleska Pollo Campos. Anisio Spinola Teixeira. In: José Eustáquio Romão. (Org.). Educadores brasileiros do século XX. 1 ed. Brasília: Liber Livro, 2011, v. III, p. 15-44.
MENDONÇA, Ana Waleska Pollo Campos. Anísio Teixeira. In: Jean Houssaye. (Org.). Nouveaux Pedagogues: d'hier et de demain. Rouen: Editions Fabert, 2006, v., p. -.
MENDONÇA, Ana Waleska Pollo Campos. AnísioTeixeira e a Escola Nova. In: Maria do Carmo Xavier. (Org.). Manifesto dos pioneiros da educação: um legado educacional em debate. 1ª ed., Rio de Janeiro: Editora FGV/ Faculdade de Ciências Humanas-FUMEC, 2004, v. , p. 241-255.
MENDONÇA, Ana Waleska Pollo Campos. O CBPE: um projeto de Anísio Teixeira. In: Zaia Brandão; Ana Waleska Mendonça. (Org.). Uma tradição esquecida. Porque não lemos Anísio Teixeira?. 2ª ed. Rio de Janeiro: Forma & Ação, 2008, v. 1, p. 41-63.
Sebastião Sampaio e Anísio.
MENDONÇA, Ana Waleska Pollo Campos. O CBPE: um projeto de Anísio Teixeira. In: Ana Waleska Mendonça e Zaia Brandão (org.). (Org.). Porque não lemos Anísio Teixeira? Uma tradição esquecida. 1 ed. Rio de Janeiro: Ravil, 1997, v. , p. 27-46.
MENDONÇA, Ana Waleska Pollo Campos. Universidade e Formação de Professores: uma perspectiva integradora. A Universidade de Educação" de Anisio Teixeira (1935 - 1939). (Tese Doutorado em educação). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, 1993.
MENDONÇA, Ana Waleska Pollo Campos(Org.); BRANDÃO, Zaia (Org.). Por que não lemos Anísio Teixeira? Uma tradição esquecida. [Coleção da Escola de Professores]. Rio de Janeiro: Ravil, 1997. 216 p.
MENEZES, Patricia da Costa. Formação de Professores e Diversidade Cultural: Uma experiência atual e uma lição do Passado. (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, 2013.
MENEZES NETO, Paulo Elpídio. Ensino superior no Brasil: análise e interpretação de sua evolução até 1969. Educação Brasileira. Brasília, v.11, n. 23, 1989. p.117-121.
MEURER, Adriéle Cristina de Souza. O pensamento liberal e sua expressão na concepção educacional de Anísio Spínola Teixeira na década de 1930 no Brasil. (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade Estadual do Oeste do Paraná, UNIOESTE,  2012.
MONARCHA, Carlos Roberto da Silva (Org.). Anísio Teixeira: a obra de uma vida. 1. ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2001. v. 1. 287 p.
MOREIRA, Carlos Otávio Fiúza. Anísio Teixeira: Ciência, Progresso e Educação. (Dissertação Mestrado em Educação). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, 1995.
MOTA FILHO, Cândido e outros. In memoriam de Anísio Teixeira. Rio de Janeiro: FGV/IBGE, 1971. 48p. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na primeira república. 10ª ed. São Paulo: EPU/EDUSP, 1974. p.97-373.
NASCIMENTO, Angelina Bulcão. O educador Anísio Teixeira. In: I Congresso Nacional de Arte e Educação, Salvador, 14 a 18 nov. 1983. Salvador: CEPAMBRA, 1983. p.13-18. – Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
NEPOMUCENO, Maria de Araújo (Org.); TIBALLI, Elianda Figueiredo Arantes (Org.). Pensamento Educacional Brasileiro. 2ª ed., Goiânia: Ed. da UCG, 2009. 108 p.
NEPOMUCENO, Maria de Araújo; FERREIRA, Suely. Universidade, sociedade e cultura no pensamento de Anísio Teixeira. In: Maria de Araújo Nepomuceno; Suely Ferreira. (Org.). Pensamento Educacional Brasileiro. 2 ed. Goiânia: Ed. da UCG, 2009, v. , p. 41-61.
NOBRE, José Aguiar. Anísio Teixeira e os Desafios para a Educação Democrática e Pública de Qualidade no Brasil Atual. (Dissertação Mestrado em Educação). Pontifícia Universidade Católica de Campinas, PUC Campinas, 2012.
NOGUEIRA, Rubem. Depoimento sobre Anísio Teixeira. Revista da Fundação Pedro Calmon. Salvador, v.4, n. 4, 1999. p. 55-59. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
NUNES, Cassiano. Monteiro Lobato e Anísio Teixeira: o sonho da educação no Brasil. Leopoldianum. São Paulo, v.13, n. 36, 1986. p.101-128.
NUNES, Clarice. Cultura escolar, modernidade pedagógica e política educacional no espaço urbano carioca. In: HERSCHMANN, Micael; KROPF, Simone e NUNES, Clarice. Missionários do progresso: médicos, engenheiros e educadores no RJ-1870/1937. 10ª ed., Rio de Janeiro: Diadorim, 1996. p. 155-224. Disponível no link. (10.2.2011).
NUNES, João Roberto Oliveira. Administração Pedro Ernesto e a Questão Educacional (1931-1936). (Dissertação de Mestrado). Rio de Janeiro: UERJ/IFCH, 2001, 227p.
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Anísio Teixeira - a luta pela escola primária pública no país. In: Ana Luiza Bustamante Smolka; Maria Cristina Menezes. (Org.). Anísio Teixeira 1900-2000 - provocações em educação. 1 ed. Campinas / Bragança Paulista: Autores Associados / EDUSF, 2000, v. 1, p. 107-128.
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Anísio Teixeira - a universidade de ontem e de hoje. 1a.. ed. Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 1998. v. 1. 102 p.
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Anísio Teixeira e os desafios da educação contemporânea. 1. ed. Recife: Massangana, 2010. v. 1. 152 p.
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Anísio Teixeira entre nós: A defesa da educação como direito de todos. Educação & Sociedade, ano XXI, nº 73, Dezembro/00 Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Anísio Teixeira na América (1927-1929): democracia, diversidadade cultural e políticas públicas de educação. In: José Gonçalves Gondra; Ana Chrystina Venancio Mignot. (Org.). Viagens Pedagógicas. São Paulo: Cortez, 2007, v., p. 143-162.
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Anísio Teixeira: a poesia da ação. 1. ed. Bragança Paulista: Editora da Universidade São Francisco, 2000. v. 1. 644 p.
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Anísio Teixeira: a poesia da ação. (Tese de Doutorado Educação). Rio de Janeiro: PUC/Departamento de Educação, 1991. 2 v.
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Biblioteca Virtual Anísio Teixeira - reflexão sobre a experiência. In: Luciano Mendes de Faria Filho. (Org.). Arquivos, Fontes e Novas Tecnologias. 1 ed. São Paulo / Bragança Paulista: Autores Associados / EDUSF, 2000, v. 1, p. 19-30.
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. História da educação brasileira: novas abordagens de velhos objetos. Teoria & Educação. n. 6, 1992. p.151-182. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Um mestre pela escola pública. Veredas. Rio de Janeiro, v.5, n.56, ago. 2000. p.28-29. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
NUNES, Zilda Clarice Rosa Martins. Um Olhar Sobre Anísio. In: Seminário "Um olhar sobre Anísio". Mesa Redonda "Política Educacional", Rio de Janeiro, 3 set. 1999. Rio de Janeiro, UFRJ/CFCH /PACC, Fundação Anísio Teixiera, 1999. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
OLIVEIRA E SILVA, Arlette Pinto. A presença do educador na ABE. Educação. Rio de Janeiro, v.32, n.101, abr./jul. 2000. p.12-17. Disponível no link. (acessado 09.02.2011).
OLIVEIRA, Hildérico Pinheiro de. Anísio Teixeira cem anos e o direito à educação. Revista da Bahia. Salvador, v.32, n.31, abr/jul. 2000. pp. 92-104. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
OLIVEIRA, Maria Teresa C.; MENDONÇA, Ana Waleska Pollo Campos; GOUVÊA, Fernando César Ferreira; CHAVES, M.; FERNANDES, Ana Lúcia da Cunha. A Formação dos Mestres: a contribuição de Anísio Teixeira para a institucionalização da pós-graduação no Brasil. In: Gilson Porto Junior. (Org.). Anísio Teixeira e o Ensino Superior. 1a. ed. Brasília: Bárbara Bela, 2001, v. , p. 65-95.
PAGNI, Pedro Angelo. Anísio Teixeira: experiência reflexiva e projeto democrático: a atualidade de uma filosofia da educação. 1. ed. Petrópolis: Vozes, 2008. v. 1. 134 p.
PAGNI, Pedro Angelo. Do Manifesto de 1932" à construção de um saber pedagógico: ensaiando um diálogo entre Fernando de Azevedo e Anísio Teixeira. (Tese Doutorado em Educação). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Marília/SP, 1999.
PAGNI, Pedro Angelo. Do manifesto de 1932 à construção de um saber pedagógico: ensaiando um diálogo entre Fernando de Azevedo e Anísio Teixeira. [Coleção Fronteiras da Educação]. Ijuí: Ed. Inijuí, 2000. 344p.
PAGNI, Pedro Angelo. Educação: ciência ou arte? Educação. Rio de Janeiro, v.32, n.101, abr./jun. 2000. p.18-22. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
PAIVA, Vanilda. Educação popular e educação de adultos. São Paulo: Loyola Ed., 1973.
PARAGAUIO, José Carlo. O olhar pragmático de Anisio Teixeira sobre a educação brasileira. (Tese Doctorado en Ciências de la Educación). Universidad Politecnica Y Artística del Paraguay, UPAP, 2007.
PARAGAUIO, José Carlo. O processo histórico do ensino superior no pensamento de Anisio Teixeira. (Dissertação Mestrado Ciências de la Educación). Universidad Politecnica Y Artística del Paraguay, UPAP, 2005.
PEREIRA GUIMARÃES, Archimedes. Dois sertanejos baianos do século XX. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 1982. 91 p. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
PEREIRA, Eva Waisros; ROCHA, Lucia Maria da Franca. Anísio Texeira e o plano educacional de Brasília. In: Eva W. Pereira; Laura maria Coutinho; Maria Alexandra Rodrigues; Cinira Maria Nóbrega Henriques; Francisco Heitor de Magalhães Souza; Lucia Maria da franca Rocha. (Org.). Nas asas de Brasília mamorias de uma utopia educativa (1956-1964). Brasília: Editora UnB, 2011, v., p. 9-375.
Anísio Teixeira.
PEREIRA, Eva Waisros; ROCHA, Lucia Maria da Franca. Escola Parque de Brasília: uma experiência de educação integral. In: Eva W. Pereira; Laura Maria Coutinho; Maria Alexandra Rodrigues; Cinira M. Nóbrega Henriques; Francisco Heitor de Magalhães Souza; Lucia Maria da Franca Rocha. (Org.). Nas asas de Brasília memórias de uma utopia educativa (1956-1964). Brasília: Editora UnB, 2011, v., p. 9-375.
PEREIRA, Itan. Grandes Educadores: Anísio Teixeira. Educação e Cultura. João Pessoa, v.4, n. 13, abr./jun. 1984. p.56-57.
PEREIRA, Nestor. Comunicação do deputado Nestor Pereira. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, mar. 1958.
PESQUISA FAPESP. Educador com visão ampla. Pesquisa Fapesp. Seção: Memórias. São Paulo, jun. 2000. p.6.
PINTO, Diana Couto; LEAL, Maria Cristina; PIMENTEL, Marilia Araujo Lima (Org.). Trajetórias de liberais e radicais pela educação pública: Anísio Teixeira, Darcy Ribeiro, Fernando de Azevedo, Florestan Fernandes. São Paulo: Loyola, 2000. 150 p.
POMPERMAYER, Soraya Ferreira. A Educação Brasileira: ventos de hoje...Anísio Teixeira...ventos de ontem...Anísio Teixeira?. (Dissertação Mestrado em Ciências Pedagógicas). Instituto Superior de Estudos Pedagogicos, ISEP, 2003.
POMPERMAYER, Soraya Ferreira. Anísio Teixeira: o homem que ousou sonhar. Papyrum Sapientiae, v. II, p. 3-70, 2003.
PORTO JÚNIOR, Francisco Gilson Rebouças. Anísio Teixeira: vida, obras e movimento. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 10, n. 18, p. 127-143, jul./dez. 2001.
PORTO JUNIOR, Gilson. (org.). Anísio Teixeira e o Ensino Superior. 1a. ed. Brasília: Bárbara Bela, 2001.
PRADO, Ricardo. O guerreiro da sala de aula. Nova Escola. São Paulo, v.15, n.133, jun./jul. 2000. p.30-31. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
REUNIÃO ANUAL DA ANPEd, 23., 2000, Caxambu. Educação não é privilégio: (Centenário de Anísio Teixeira). Rio de Janeiro: ANPEd, 2000. 240 p.
RIBEIRO, Darcy. Anísio. In: RIBEIRO, Darcy. Confissões. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, p. 223-229.
RIBEIRO, Darcy. Dr. Anísio. Carta: falas, reflexões, memórias. Brasília, n. 14, 1995. p.33-36. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
RIBEIRO, Darcy. Universidade de Brasília. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. v.36, n. 83, jul./set. 1961. p.161-230. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
RIBEIRO, Maria Luísa Santos. Sexto período: 1920/37. Nova crise no modelo agrário-comercial-exportador dependente e início da estruturação do modelo nacional-desenvolvimentista, com base na industrialização. In: RIBEIRO, Maria Luísa Santos. História da educação brasileira: a organização escolar. 2ª ed. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.
RIBEIRO, Wanderley. Anísio Teixeira educador nacional. Revista da Bahia. Salvador, v.32, n.31, jul. 2000. p.26-37. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
ROCHA, João Augusto de Lima (Org.). Anísio em movimento: a vida e as lutas de Anísio Teixeira pela escola pública e pela cultura no Brasil. Salvador: Fundação Anísio Teixeira, 1992. 296 p. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
ROCHA, João Augusto de Lima. Anísio Teixeira e a ciência no país. Jornal da Ciência. Rio de Janeiro, v.14, n.439, jul. 2000. p.12. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
ROCHA, Lucia Maria da Franca. A instrução pública na Bahia 1924-1928: Anísio Teixeira. In: Maria Elisabeth Blanck Miguel; Diana Gonçalves Vidal; José carlos de Souza Araújo. (Org.). Reformas educacionais: as manifestações da Escola Nova no Brasil (1920-1946). Campinas SP Uberlãndia MG: EDUFU Autores Associados, 2011, v., p. 1-494.
ROCHA, Lucia Maria da Franca; ANTONIAZZI, Maria Regina Filgueiras. Anisio Teixeira: educação integral e formação para o trabalho. In: Eva W. Pereira; Laura Maria Coutinho Maria Alexandra Rodrigues; Cinira M. Nobrega Henriques; Francisco Heitor de Magalhães Souza; Lucia Maria da Franca Rocha. (Org.). Nas asas de Brasília memórias de uma utopia educativa (1956- 1964). Brasília: Editora da UnB, 2011, v., p. 9-375.
ROCHA, Marlos B. Mendes da. Paradigmas do moderno em educação: Francisco Campos e Anísio Teixeira. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 94, ago. 1995. p.34-42.
ROCHA, Marlos Bessa Mendes da. Tradição e modernidade na educação: o processo constituinte de 1933-34. In: Simpósio IESAE/FGV, Rio de Janeiro, nov. 1982. Rio de Janeiro: FGV, 1983. 10 p.
ROCHA, Marlos Bessa Mendes da. Tradição e modernidade na educação: o processo constituinte de 1933-34. In: FÁVERO, Osmar. A educação nas constituintes brasileiras 1823-1988. Campinas: Autores Associados, 1996. p.119-138.
ROCHA, Solange Maria da. "Prezado ministro, querido amigo. Do seu de sempre, Anísio": fragmentos de correspondências de Anísio Teixeira (1953-1964). In: Ana Waleska Mendonça; Libânia Xavier. (Org.). Por uma política de formação do magistério nacional: o INEP/MEC dos anos 1959/1960. 1 ed. Brasília: MEC/INEP, 2008, v. 1, p. 5-260.
ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil 1930/1973. Petrópolis: Ed. Vozes, 1978. p.127-259.
SAAVEDRA, Silvia Maria Galliac. Passos e descompassos de uma instituição de pesquisa educacional no Brasil: a realidade do INEP. Brasília: UnB/Faculdade de Educação, 1988. (Dissertação de Mestrado). 270 p.
SALGADO, Rosita. Mestre Anísio Teixeira. In: I Congresso Nacional de Arte e Educação, Salvador, 14-18 nov. 1983. Salvador: CEPAMBRA, 1983. p. 19-20. Disponível no link. (acessado 22.02.2011).
SALMERON, Roberto A. O batalhador Anísio Teixeira. Revista Brasileira de Comunicação, Arte e Educação, Brasília, v. 2, n. 7, p. 75-83, abr./jun. 2000.
SANTOS, Denise Tosta. Anísio Teixeira i l´educació democràtica al Brasil. (Dissertação Mestrado Educació i Democràcia). Universidade de Barcelona, UB, Espanha, 2007.
SANTOS, Flavia Freitas Fontany dos. Anísio Teixeira: uma concepção de educação integral em tempo integral. UNIRIO, Rio de Janeiro, 2004. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
SANTOS, Heloisa Occhiuze dos. Fundef, a municipalização do ensino e o ideário pedagógico de Anísio Teixeira. In: Gilson Porto. (Org.). Anisio Teixeira e a universidade. Brasília: Bela Vista, 2001, v. 1, p. 54-73.
SANTOS, Heloisa Occhiuze dos. Municipalização do Ensino em São Paulo: Vicissitudes do Ideário de Anísio Teixeira. (Tese Doutorado em Educação). Universidade de São Paulo, USP, 2000.
SANTOS, Heloisa Occhiuze dos. Ideário pedagógico municipalista de Anísio Teixeira. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 110, p. 105-124, jul. 2000.
SAVIANI, Demerval. A filosofia da educação e o problema da indução em educação. In: GARCIA, Walter E. Indução educacional no Brasil: problemas e perspectivas. 2ª ed. São Paulo: Cortez Autores Associados, 1989. p.15-29.
SCHAEFFER, Maria Lúcia Garcia Pallares. Anísio Teixeira: formação e primeiras realizações. São Paulo: USP/Faculdade de Educação, 1988. 112 p.
SCHAEFFER, Maria Lúcia Pallares. Anísio Teixeira: uma motivação regionalista. O Estado de São Paulo. 28/11/1976, pp. 7-8.
SCHERER, Vicente, Arcebispo. Memorial dos bispos gaúchos ao Presidente da República sobre a Escola Pública Única. Vozes. Petrópolis, v.52, maio 1958. p.362-364. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
SCHMIDT, Irineu Aloisio. A filosofia da educação de Anísio Teixeira e o pragmatismo. (Dissertação de Mestrado em Educação nas Ciências). Ijuí: Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, UNIJUI, 2003.146p
SCHNEIDER, Elizer. Progresso e história da educação: uma releitura de Anísio Teixeira e Paul Monroe. Forum Educacional. Rio de Janeiro, v.10, n. 3, jul./set. 1986. p.3-15. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
SILVA, André Luiz da Motta. Uma escola para a democracia: Estado, escola pública e estabilidade social em Anísio Teixeira (1930-1960). (Dissertação Mestrado em Educação). Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, 2011.
SILVA, André Luiz da Motta; MIRANDA, Daniel Estevão de. Sociedade e escola: aspectos da visão de Anísio Teixeira. Interfaces da Educação, v. 1, p. 48-57, 2010.
SILVA, Artur de Morais. Anísio Teixeira e Florestan Fernandes: Intelectuais Orgânicos em dois projetos de Educação Superior. (Tese Doutorado Educação). Universidade Federal Fluminense, UFF, 2010.
SILVA, Ernesto. Plano Educacional. In: SILVA, Ernesto. História de Brasília. 2ª ed. Brasília: Senado Federal, 1985. p.235-252. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
SILVA, Ernesto. Universidade de Brasília. In: SILVA, Ernesto. História de Brasília. 2ª ed. Brasília: Senado Federal, 1985. p.253-255. Disponível no link.(10.2.2011).
SILVA, Sabina Maura. Matrizes Filosóficas do Pensamento de Anísio Teixeira. (Tese Doutorado Educação). Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, 2010.
SILVEIRA, Éder da Silva. Pensando a universidade com Anísio Teixeira. Ciência e Conhecimento – Revista Eletrônica da Ulbra São Jerônimo – vol. 3, 2008, História, A.1. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
SIRCILLI, Fabíola. Arthur Ramos e Anísio Teixeira na década de 1930. Paidéia (Ribeirão Preto) v.15 n.31 Ribeirão Preto maio/ago. 2005. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
SMOLKA, Ana Luiza Bustamante; MENEZES, Maria Cristina (Org.). Anísio Teixeira, 1900 -2000: provocações em educação. [Coleção memória da educação]. Campinas: Autores Associados, 2000. 187 p.
SOUSA, Cynthia Pereira de. Anísio Teixeira, um educador polêmico e incansável, às voltas com a educação pública e democrática. Rev. Fac. Educ. vol. 23 n. 1-2 São Paulo Jan./Dez. 1997. Disponível no link. (10.2.2011).
SOUSA, Maria Isabel de Jesus. Espaço de práticas informacionais: a experiência da Biblioteca da Escola-Parque, projeto de Anísio Teixeira em Salvador, década de 60. (Dissertação Mestrado em Ciência da Informação). Universidade Federal da Paraíba, UFPB, 2001.
SOUSA, Maria Isabel de Jesus. Olhares entrecruzados: prática da leitura na escola e na biblioteca do Centro Educacional Carneiro Ribeiro. (Tese Doutorado em Educação). Universidade Federal da Bahia, UFBA, 2007.
SOUZA, Alírio Fernando Barbosa de. Anísio Teixeira e as dificuldades de renovação da educação superior no Brasil. Revista da Bahia. Salvador, v.32, n.31, jul. 2000. p. 54-69. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
SOUZA, Silvio Claudio; SILVA, Rosemaria; CHAGAS, Marcos . Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro: contribuições para o debate atual.. In: MOLL, Jaqueline (Org.). (Org.). Caminhos da Educação Integral no Brasil: direito a outros tempos e espaços educativos.. 1ª ed., Porto Alegre: Artmed/Penso, 2011, v. 1, p. 1-504.
SQUINSANI, Rosimar Siqueira. Anísio Teixeira: traços biográficos e uma entrevista com Isolda Holmer Paes. Espaço Pedagógico, Passo Fundo, RS, v. 7, n. 2, p. 87-99, dez.2000.
STENCEL, Renato. O Impacto das Idéias de John Dewey sobre o Pensamento de Anísio Teixeira e seus Reflexos na Educação Brasileira. Acta Científica. Ciências Humanas, v. 1, p. 28-35, 2004.
TAVARES, Luiz Henrique Dias. Evolução educacional baiana: súmula até 1930. Arquivos da Universidade da Bahia. Salvador, v.6, 1961. p.197-208.
TEDESCHI FILHO, Armando. Descentralização da educação no Brasil: uma abordagem histórica, com enfoque em Anísio Teixeira. (Dissertação de Mestrado). Bragança Paulista: Universidade São Francisco, 2002, 94p. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
TEIXEIRA, José Antonio. Anísio Teixeira: 100 anos de pensamento vivo. Educação. Rio de Janeiro, v.32, n.101, abr./jul. 2000. p.5-11. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
TEIXEIRA, José Antonio. O educador Anísio Teixeira: de John Dewey a Darcy Ribeiro. In: I Congresso Latino de Filosofia da Educação, Rio de Janeiro, 10-12 jul. 2000. Rio de Janeiro, ABE, 2000. p. 265-285. Disponível no link. (acessado 11.2.2011).
TEIXEIRA, Maria Cecília Sanchez. Discurso pedagógico, mito e ideologia: o imaginário de Paulo Freire e de Anísio Teixeira. [Educação e Sociedade]. Rio de Janeiro: Quartet, 2000. 96p.
TEIXEIRA, Mirene. O significado pedagógico da obra de Anísio Teixeira. São Paulo: Loyola Ed., 1985.
TENÓRIO, Aleir Ferraz; SCHELBAUER, Analete Regina. A defesa pela educação integral na obra de Anísio Teixeira. (UEM-PR). Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
TERNES, José. A noção de ciência e de educação em Anísio Teixeira. In: Elianda F. A Tiballi, Maria de Araújo Nepomuceno. (Org.). Pensamento Educacional Brasileiro. Goiânia: PUC-Goiás, 2010, v., p. 65-84.
TERNES, José. A Noção de Ciência e Educação em Anísio Teixeira. In: Elianda Tiballi. (Org.). Pensamento Educacional Brasileiro. Goiânia: Ed. da UCG, 2006, v., p. 60-81.
TEVES, Nilda. A atualidade do pensamento de Anísio Teixeira. In: I Congresso Latino de Filosofia da Educação, Rio de Janeiro, 10-12 jul. 2000. Rio de Janeiro, ABE, 2000. p.9-24. Disponível no link. (acessado 22.2.2011).
TOMAZETTI, Elisete M. Anísio Teixeira: alguns apontamentos em comemoração ao centenário de seu nascimento. Educação: Revista do Centro de Educação, Santa Maria, RS, v. 25, n. 2, p. 7-20, 2000.
TORLINI, Ignez Martins. In search of elementary education: the case of Brazil. London: Institute of Education/University of London, 1997. (Tese de Doutorado).
TRINDADE, Hélgio. Anísio Teixeira e os desafios atuais da educação superior. Disponível no link. (10.2.2011).
TURIBA, Luis. O homem que sonhou a UnB. UnB revista. Brasília, jul. 2000. Disponível no link(10.2.2011).
TV ESCOLA. Um mestre do progresso. TV Escola. Seção: Histórias da Educação. Brasília, n.19, maio/jun. 2000. p.38-39. Disponível no link(10.2.2011).
VENÂNCIO FILHO, Alberto. O Manifesto dos Pioneiros da Escola Nova: 1932. Rio de Janeiro: Companhia Brasileira de Artes Gráficas Ltda., 1989. 56p. Disponível no link(10.2.2011).
VERA E SILVA, Adriana. Anísio Teixeira: ele rimou ensino com democracia. Nova Escola. São Paulo, v.13, n. 114, ago. 1998. p.38-40. Disponível no link(10.2.2011).
VIANA FILHO, Luís. Anísio Teixeira: a polêmica da educação. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990. 210 p. Disponível no link(10.2.2011).
VIANA FILHO, Luís Viana. Anísio Teixeira: A Polêmica da Educação. São Paulo: Editora UNESP; Salvador: EDUFBA, 2008.
VIANNA, Aurélio e FRAIZ, Priscila (Org.). Conversa entre amigos: correspondência escolhida entre Anísio Teixeira e Monteiro Lobato. Rio de Janeiro: FGV/CPDOC, 1986. 117p.
VIANNA, Luiz. Comunicação do deputado Luiz Vianna. Diário do Congresso Nacional. Rio de Janeiro, 29 nov. 1956.
VIDAL, Diana Gonçalves (Org.). Na batalha da educação: correspondência entre Anísio Teixeira e Fernando de Azevedo (1929-1971). Bragança Paulista: Ed. Universidade São Francisco, 2000. 215 p
VINCENZI, Lectícia Josephina Braga de. A fundação da Universidade do Distrito Federal e seu significado para a educação no Brasil. Fórum Educacional. Rio de Janeiro, v.10, n. 3, jul./set. 1986. Disponível no link. (acessado 10.2.2011).
VIVEIROS DE CASTRO, Léa Maria Sussekind. Uma escola de professores: formação de docentes na reforma Anísio Teixeira. (Dissertação de Mestrado). Rio de Janeiro: PUC/ Departamento de Educação, 1986, 98 p.
WARDE, Mirian Jorge. John Dewey through Anísio Teixeira or Reenchantment of the World. In: POPKEWITZ, T.S.. (Org.). Inventing the Modern Self and John Dewey: Modernities and the Traveling of Pragmatism in Education. Chennia: Palgrave, 2005, v., p. 203-230.
XAVIER, Libânia Nacif. O Brasil como laboratório: Educação e Ciências Sociais no Projeto do Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais - CBPE/INEP/MEC (1950-1960). Rio de Janeiro: PUC/Departamento de Educação, 1999. (Tese de Doutorado). 238 p.
XAVIER, Libânia Nacif. O Brasil como laboratório: educação e ciências sociais no projeto dos centros brasileiros de pesquisas educacionais CBPE/INEP/MEC (1950-1960). Bragança Paulista: CDAPH, 1999. 281p.
XAVIER, Libânia Nacif. Para além do campo educacional: um estudo sobre o Manifesto dos Pioneiros da educação nova. (Dissertação de Mestrado). Rio de Janeiro: PUC/Departamento de Educação, 1993, 88p.

"... Cidadão íntegro, puro, decente. Além de inteligentíssimo, dono de cultura invulgar, mestre inconteste no que se refere à educação, Anísio Teixeira foi um brasileiro raro. Tão extraordinário a ponto de ter sido alvo durante toda a vida de restrições, suspeitas, aleivosias, perseguições, misérias de todo o tipo com que os imundos o perseguiram - sobram imundos no Brasil. Tentaram de todas as maneiras impedir Anísio Teixeira de realizar sua missão civilizadora mas ele era irredutível e invencível. O que o Brasil de hoje possui de melhor e de maior deve-se em grande parte a este humanista baiano de grandeza universal. ..."
- Jorge Amado





Lourenço Filho, Anísio Teixeira e Almeida Jr.
no Instituto de Educação em 1932.
"...Anísio Teixeira
Frente ao outro
manso falava

e o que escuro
claro ficava 

muito sabia,
mas perguntava

é que tranquilo
se inquietava

e que com o certo
já duvidava..."
- Augusto Rodrigues



DOCUMENTÁRIOS
BRASIL. Ministério da Educação. Um olhar para o mundo: homenagem ao centenário do nascimento de Anísio Teixeira. [Brasília]: MEC, TV Executiva, 1999. Fita de Vídeo, 116 min. – color.
RIO DE JANEIRO (RJ). Secretaria Municipal de Educação. Especial Anísio Teixeira Rio de Janeiro: MULTI Rio, 1999. Fita de Vídeo, 30 min. - color.

"Foi um gigante no pensamento e na ação. Sua presença se estende sobre o Brasil, é visível em todo nosso crescimento, não há setor da vida brasileira sobre o qual o trabalho silencioso de Anísio Teixeira pela educação e pela cultura não tenha exercido influência."
- Jorge Amado


Casa onde nasceu Anísio Teixeira, em Caitité/BA - hoje Centro Cultural


Carta do poeta Thiago de Mello a Anísio Teixeira



“A inteligência de Anísio Teixeira realizava-se esplendidamente no corpo-a-corpo com a folha de papel em branco, na reclusão de um gabinete de trabalho, era ainda mais viva, mais brilhante, mais luminosa, nas surpresas de um debate. Por isso, quem conheceu o escritor pelos livros, admirou-o como uma das figuras mais altas da cultura brasileira; mas só o conheceu verdadeiramente, na força impetuosa de sua inteligência, quem teve a sorte de o ouvir nos instantâneos de suas intervenções improvisadas..."
- Josué Mentello.


Sessão de recebimento do diploma de conselheiro vitalício da Associação Brasileira de Educação
Esq./dir.: (sentados) Raul Jobim Bittencourt, Anísio Teixeira, Antônio Carneiro Leão, Djalma Regis Bettencourt, Armando Alvaro Alberto, José Augusto Bezrra de Medeiros, Manoel Bandeira, Lourenço; (em pé), Marly Mascarenhas de Oliveira Bastos(3ª), Eny Caldeira(5ª), Darcy Ribeiro(7º), Adalberto Menezes de Oliveira, Arlette Pinto de Oliveira e Silva, Risoleta Ferreira Cardoso, Helena Moreira Guimarães, Ismael França Campos, Joaquina Daltro(de óculos), Lúcia Marques Pinheiro, Iracema França Campos, Marcos Almir Madeira, Paschoal Lenne, Demerval Trigueiro, Leia Sheinwar e Lais Alves. 
Foto: Acervo CPDOC/FGV




"Será imensa a tarefa do professor e grande deve ser o preparo, para que possa conduzir o jovem nessa tentativa de dar a sua cultura básica a largueza, a segurança e a perspectiva de uma visão global do esforço do homem sobre a terra."
- Anísio Teixeira


ANÍSIO TEIXEIRA E A ESCOLA NORMAL DE CAETITÉ/BAHIA
A Escola Normal de Caetité foi originalmente criada ainda no século XIX, no governo do também caetiteense Joaquim Manoel Rodrigues Lima (1892-1896) - primeiro governador eleito do estado da Bahia.

Escola Normal de Caetité/Bahia
Breve existência teve, contudo, a primeira Escola Normal (para a formação de professores) do interior baiano: por razões de baixa política, o estabelecimento fora fechado em 1903, tendo formado somente uma única turma.
Na década seguinte uma lei recriou a instituição, mas isto acabou não se concretizando. Foi somente em 1926 que Anísio Teixeira, nomeado pelo governador Goes Calmon diretor de ensino do estado, que a instituição - reformada e ampliada - foi nova e definitivamente instalada.
De inegável importância não apenas para Caetité, mas para todo o Estado da Bahia - e outras unidades da federação, que acolheram os mestres ali formados - para ficarmos em três exemplos, o Coronel Geogino Jorge de Souza, paladino na cultura montesclarense, o ex-governador de Minas Gerais Newton Cardoso e o ex-Presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, Desembargador Benito Figueiredo - são exemplos de ex-alunos formados nos seus bancos.

"Educar é crescer. E crescer é viver. Educação é, assim, vida no sentido mais autêntico da palavra."
- Anísio Teixeira

Anísio Teixeira e um grupo de professores visitando o curso
 profissionalizante da Escola Parque na Bahia, 1956. 
(Foto: Arquivo AT -CPDOC/FGV)

ACERVO ANÍSIO TEIXEIRA - CPDOC/FGV
O arquivo está organizado em 7 séries: Documentos Pessoais, Correspondência, Produção Intelectual, Legislação, Temática, Diversos e Recortes de Jornais.
O material possibilita a reconstituição das atividades públicas e privadas de Anísio Teixeira, especialmente no âmbito educacional. Inclui registros relativos à sua atuação à frente da Diretoria Geral de Instrução Pública da Bahia, no início da década de 1920, tratando basicamente de compra de material escolar no exterior e da política baiana. O arquivo contém documentos significativos abordando as questões religiosas e filosóficas que levaram o titular a abandonar a ideia de ingressar na Companhia de Jesus. Compreende ainda correspondência a respeito do curso de ciências da educação por ele concluído na Universidade de Colúmbia. O volume do material aumenta consideravelmente a partir da administração de Anísio Teixeira no Departamento de Educação do Distrito Federal, envolvendo principalmente discussões em torno do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, as atividades da Associação Brasileira de Educação, pedidos de emprego e questões administrativas. O afastamento do titular da Secretaria Geral de Educação e Cultura do Distrito Federal encontra-se pouco documentado, embora a correspondência de três de seus irmãos e de Nestor Duarte informe sobre o panorama político que resultou no golpe de 1937. Os documentos relativos ao período do Estado Novo referem-se aos empreendimentos privados de Anísio Teixeira e às traduções que realizou, existindo ainda farto material relativo a seu envolvimento na criação da UNESCO e na redemocratização do Brasil. 
Anísio Teixeira - Foto: (...)
Nos registros do período em que chefiou a Secretaria de Educação e Saúde da Bahia destacam-se as questões administrativas, grande número de pedidos de emprego, além de considerações sobre os problemas políticos e educacionais da época. O material referente à Capes e ao INEP revela continuidade e abrange todo o período em que Anísio Teixeira esteve à frente dessas instituições. Com relação à Capes, é constituído basicamente de pedidos de bolsas de estudo e de financiamento. Quanto ao INEP, envolve a totalidade das atividades desenvolvidas pelo titular, compreendendo desde a correspondência administrativa até os estudos e relatórios do Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais. Inclui ainda numerosos documentos sobre as campanhas movidas pelo então deputado Fonseca e Silva (1956) e pelos bispos gaúchos (1958) contra sua permanência na chefia do INEP. A partir da década de 1950, o arquivo fornece informações sobre os debates e a elaboração da Lei de Diretrizes e Bases, especialmente na correspondência de Anísio Teixeira com educadores e parlamentares e em registros de sua participação no CHEAR. Aproximadamente metade dos documentos textuais concentra-se nos anos 60. A correspondência e a produção intelectual do titular indicam sua ligação com a UNESCO através dos estudos relativos ao processo de admissão nas universidades, sua participação no CFE e os primeiros anos da UnB. As modificações políticas introduzidas pelo movimento de 1964 estão refletidas no inquérito policial-militar instaurado contra Anísio Teixeira, destacando-se a correspondência com o advogado Heleno Fragoso, bem como nos contatos do titular com exilados políticos e amigos do exterior. Sua permanência nos Estados Unidos como professor-visitante da Universidade de Colúmbia e da Universidade da Califórnia encontra-se largamente documentada. 
Anísio Teixeira na Escola Parque - Salvador/BA
(Foto: Arquivo CPDOC/FGV)
O material referente ao período posterior ao seu retorno ao Brasil diz respeito às atividades que desenvolveu na Companhia Editora Nacional e no Instituto de Estudos Avançados de Educação da Fundação Getúlio Vargas. Os Documentos Audiovisuais apresentam aspectos da trajetória pública e privada o titular. Entre os assuntos registrados encontram-se a atuação de Anísio Teixeira na Secretaria de Educação e Saúde da Bahia, na direção do INEP e em conferências e reuniões no exterior. Existem ainda registros posteriores à morte do titular relativos à inauguração do Centro Educacional Anísio Teixeira - CEAT, no Rio de Janeiro, em 1978. O material sonoro consiste na entrevista realizada por Murilo Antônio Alves com Monteiro Lobato na Rádio Record, em São Paulo, 1948. O material IMPRESSO compreende basicamente obras sobre educação. Inclui diversos trabalhos do titular, entre os quais: "O problema de como financiar a educação do povo brasileiro: bases para discussão" (1953), "Panorama educacional" (1957) e "Filosofia e educação" (s.d.).
Site Oficial: Acervo Anísio Teixeira 


BIBLIOTECA VIRTUAL ANÍSIO TEIXEIRA
Faça uma visita à  Biblioteca


Fotos e Imagens: Fundação Getúlio Vargas / CPDOC, arquivo Anísio Teixeira e Internet.


© Direitos reservados ao autor/e ou ao seus herdeiros

© Pesquisa, seleção e organização: Elfi Kürten Fenske


=== === ===
Trabalhos sobre o autor:
Caso, você tenha algum trabalho não citado e queira que ele seja incluído - exemplo: livro, tese, dissertação, ensaio, artigo - envie os dados para o nosso "e-mail de contato", para que possamos incluir as referências do seu trabalho nesta pagina. 

Como citar:
FENSKE, Elfi Kürten (pesquisa, seleção e organização). Anísio Teixeira - e a escola pública brasileira (projeto de educação integral). Templo Cultural Delfos, fevereiro/2011. Disponível no link. (acessado em .../.../...).
____
Página atualizada em 6.8.2016.



Licença de uso: O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, poderá ser reproduzido desde que citada a fonte, excetuando os casos especificados em contrário. 
Direitos Reservados © 2016 Templo Cultural Delfos

13 comentários:

  1. Elfi, cada postagem sua é um acervo completo. Isso é mais que fazer um blog: isso é militância da melhor qualidade. Consciência se faz com literatura, sem dúvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Nilza,
      Que bom que gostastes!
      Abraços.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Obrigada,
      Que bom que gostastes!
      Peço perdão pela demora em responder-te, contudo, só agora descobrimos como fazê-lo de forma correta. Tentamos por diversas vezes, mas, sempre dava erro.
      Espero que retorne por aqui mais vezes para saber das novidades.
      Abraços.

      Excluir
  3. Elfi, parabéns por sua generosidade em compartilhar odo esse saber conosco. Realmente, coo disse a Nilza, cada post seu é um acervo completo! Fiquei toda assanhada para conhecer mais de perto Anisio Teixeira. Por sua causa! rsrsrs
    Obrigada, querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Yonne,
      Li seu comentário para minha mãe, ficamos muito felizes em saber que gostastes e que contribuímos de alguma forma para que surgisse um interesse em conhecer mais sobre a vida e obra de Anísio Teixeira.
      Gostaria de pedir perdão pela demora em responder-te, contudo, só agora descobrimos como fazê-lo de forma correta. Tentamos por diversas vezes, mas, sempre dava erro.
      Aguardamos mais visitas suas para saborear outras páginas sobre outras personalidades.
      Abraços

      Excluir
  4. Excelente pesquisa. Já guardei em minha pasta de favoritos. Também compartilhei no face...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Luiz,
      Fico feliz que tenha gostado. E agradeço, desde já, por compartilhar com seus amigos.
      É sempre gratificante ver que o trabalho realizado está sendo bem recebido pelas pessoas que o conhecem.
      Abraços, volte sempre!

      Excluir
  5. Amei esse Blog ajudou muito no meu trabalho valeu ....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada,
      Que bom que gostastes!
      Espero que retorne por aqui mais vezes para saber das novidades.
      Abraços.

      Excluir
  6. com as recentes investigações sobre os acontecimentos que resultaram na morte deste magnifico pensador da educação, se inicia um novo capítulo na história. Tenho certeza de que encontrarei novas e renovadas postagens quando retornar a este blog, em retribuição às imagens que copiei para um trabalho do curso Profuncionario fica a dica de link para pesquisa: http://www.unb.br/noticias/unbagencia/unbagencia.php?id=6931#

    ResponderExcluir
  7. Parabéns! Excelente trabalho. Trabalhei muitos anos na Escola Parque/ Classes. Sou apaixonada pela filosofia da educação de Anísio. è para mim muito triste saber que os inimigos do Povo conseguiram mata-lo e acabar com a Escola Parque como foi idealizada; Muito agradecida por trazer este grande homem Baiano ao conhecimento de muitas pessoas. compartilhei no face beijinhos marina trindade

    ResponderExcluir
  8. Parabéns Elfi. Não podemos esquecer que vários professores que tentaram educar o povo brasileiro foram perseguidos, presos, torturados, banidos, cassados e exilados: Graciliano Ramos, Josué de Castro, Anísio Teixeira, Paulo Freire, Darcy Ribeiro, Florestan Fernandes, Milton Santos, Manoel Maurício de Albuquerque, Joel Rufino, Maria Yeda Linhares, Décio Freitas e tantos outros.

    ResponderExcluir

Agradecemos a visita. Deixe seu comentário!