Ada Ciocci Curado - poeta e prosadora

Ada Ciocci Curado
Ada Ciocci Curado. poeta e prosadora. (nasceu em Jardinópolis-SP, em 2 de setembro de 1916 e faleceu em Goiânia-GO, em 6 de Julho de 1999). Seus pais eram italianos: Nazareno Ciocci e Josefina Paiuchini Ciocci. E tiveram dez filhos: quatro homens e seis mulheres. Ada era a oitava, seguindo-lhe um casal de irmãos. Na infância e adolescência ouvia as histórias da mãe sobre a vida na Itália (Roma), as façanhas da família na luta pelo amor e pela sobrevivência. Dona Josefina queria sabê-la cantora ou artista – desde tenra idade declamava, inclusive em italiano, e cantava nas festinhas os sucessos da época, acompanhada pelo irmão (músico). Em Pedregulhos, São Paulo, onde fez o primário no “grupo escolar” vivia alegre e feliz. Brincava de roda, de pique etc., até conhecer o Cel. Gentil Curado que vinha da Revolução de 30 e procurou a Casa de Calçados de seu Nazareno para consertar uma bota. A cidade fugiu. A família de Ada não... e vendeu botas para o regimento inteiro. Aos dezessete anos já estava casada com o Coronel Gentil de Amorim Curado, trinta anos mais velho que ela, “autoridade, manda-chuva”, que a trouxe para o Estado de Goiás. Morou em Goiás Velha, Anápolis, Ipameri e, finalmente, em Goiânia, no início da década de 50. Nessa época fez o ginásio, ao tempo em que dava assistência às duas filhas. Nos últimos dias de vida, seu marido ficará totalmente cego e dependente dela. Enviuvou-se em 1980.
Leu, na adolescência, Eça de Queirós e “os primeiros suspiros para o nascimento” de seus livros seriam: a Revolução de 30, a Segunda Guerra Mundial, o “curto período de quinze anos” de Getúlio Vargas, o pesadelo de o marido ir para a guerra e o sonho com um mundo perfeito., a viuvez da cunhada Alcides (Morena) aos trinta anos e que criou seis filhos sozinha na fazenda, em Estreito; as festas religiosas do interior de Goiás, as crendices e as superstições de nossa gente; os preconceitos de cor e de classe social; a mulher em suas “paredes agressivas”, marginalizada, “à procura de voz plena em suas próprias academias – ainda chegará lá...” (1). Diz a autora “contar isso e aquilo dos que arrotam grosso: presidente, governador, − os donos do mundo”. – Também é estímulo o que brota do cotidiano, da recordação, da angústia e da saudade; da natureza, da poeta e da palavra: “Porque poeta é o senhor da palavra, faz o jogo do sentido, e o bom poema é aquele que faz a ligação entre o poeta e o leitor. E ninguém impede a criação ou o progresso literário. O escritor convicto não aceita impedimento; guarda o texto para publicá-lo mais tarde ou camufla a censura.”
Para Ada Curado o tempo é “um gozador” e deve estar no presente do poeta que, insatisfeito, enxerga adiante do homem comum Ada-poeta é a Ada que sente, à flor da pele, que encanta e desencanta. Ada-mulher-social é um ser intelectual, ligada aos problemas de sua “aldeia”; que raciocina, participa de tudo e aponta aos erros, as falhas: “Quando o assunto é político muita gente levanta problemas de sua “aldeia”; que raciocina, participa de tudo e aponta aos erros, as falhas: “Quando o assunto é político muita gente tem medo... eu mesma tenho, às vezes”. Mas ser intelectual é um bom oficio, não só para subsistência. Também para mostrar a verdade, o que viu e a impressionou, de bom ou de ruim. Que é ser escritor? É ser técnico, mas também criativo. É vencer os preconceitos, o casamento que oprime, os senta-levanta da vida. Ser escritor é viver de sonho em seu castelo, em sua “casa” (corpo). E, ainda, preenche o tempo e educa”.
Deixou obras importantes como 'O sonho do pracinha', 'Morena', 'Paredes agressivas', 'Figurões', 'Nego rei' e 'Acalanto' que foram bem recebidas pela crítica e a fizeram conquistar uma cadeira na Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás e a filiação em entidades como a União Brasileira de Escritores, seção de Goiás e Associação Goiana de Imprensa.
Fontes e outras dados biográficos em: FLEURY, Bento Alves Araújo Jayme. O centenário da escritora Ada Curado. in: DM, 8.3.2016. Disponível no link. (acessado em 6.6.2016).
:: MACEDO-ECKEL. Ercilia. Os estímulos literários em Ada Curado (Sociologia e historicidade da Autora) in: site 'erciliamacedoescritora'. Disponível no link. (acessado em 6.6.2016).
:: (1A autora (Ada Ciocci Curado). Entrevista concedida a Ercilia Macedo, Goiânia: 17 nov. 1991.



2016 - CENTENÁRIO DA POETA E PROSADORA ADA CIOCCI CURADO


OBRA DE ADA CIOCCI CURADO
Poema
:: Acalanto. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1991.
O sonho dos pracinhas e outros contos

Romance
:: Morena. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1958.
:: Paredes agressivas. Goiânia: Oriente, 1977.

Contos e crônicas
:: O sonho do pracinha e outros contos (contos). São Paulo: Revista dos Tribunais, 1954.
:: Nego rei (contos). Goiânia: Brasil Central, 1966.
:: Figurões (contos e crônicas). Goiânia: O popular, 1985.

Teatro
:: Sob o tormento da espera. [apresentação Bernardo Élis Fleury de Campos Curado]. Gráfica Oriente, 1975. premiado pela Caixego.

Antologia (participação)
:: A poesia em Goiás: estudo, antologia[organização Gilberto Mendonça Teles]. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1964.
:: A literatura oral em Goiás. Goiânia: Imprensa Universitária da Universidade de Goiás, 1964.
:: Antologia do conto goiano. [organização e seleção Anatole Ramos, Luiz Fernando Valladares, Miguel Jorge]. Goiânia: Departamento Estadual de Cultura; L. R. Livros distribuidora, 1969.
:: O conto brasileiro em Goiás. [organização Gilberto Mendonça Teles]. Goiânia: Departamento Estadual de Cultura, 1969.
:: Súmula da literatura goiana. [organização e seleção Augusto Goyano e Álvaro Catelan]. Goiânia: Livraria Brasil Central Editora, 1970.
:: Letras anapolinas: poesia e prosa (antologia).. [organização Mário Ribeiro Martins]. Anápolis GO: Academia Anapolina de Filosofia, Ciências e Letras, 1984.
:: Antologia do conto goiano. [organização Vera Maria Tietzmann Silva e Darcy França Denófrio]. vol. 1. Goiânia: CEGRAF, UFG, 1992.

Entrevista
:: A autora (Ada Ciocci Curado). Entrevista concedida a Ercilia Macedo, Goiânia: 17 nov. 1991.



SELETA DE POEMAS DA POETA ADA CIOCCI CURADO
Ilustração © Loui Jover

Acalanto
Vai amado. 
Busca por onde quiseres, 
com quem quiseres, 
como quiseres, 
o prazer. 
Até mesmo, 
aquele prazer que um dia alguém apelidou de amor. 
E, 
se por acaso te cansares 
e, 
do compromisso que um dia nos uniu te lembrares, 
se desejares, 
volta. 
Serei a que conforta. 
Não saberás da dor, 
da saudade, 
das lágrimas sentidas que tua ausência causou. 
- Ada Ciocci Curado, no livro "Acalanto". Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1991.

§

Ao amor
.................................................
Muito amo as criaturas, porém,
sobretudo eu amo o poeta, por ser ele
o senhor da sensibilidade, da emoção
e do sonho.
 ..........................................................
Enfim,
eu amo a palavra por permitir-me dizer ela o

quanto eu amo
- Ada Ciocci Curado, no livro "Acalanto". Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1991.

§

Consciência
.........................................................
Neste exato momento, porém,
sei e sinto também,
que apesar de ter sido simples criatura,
das que cuidam bem da casa, dos filhos,
das amizades e do marido, e de contar
estórias para outros lerem, nada fiz de
especial, assim, como, por exemplo, um
feito patriótico. Isso, porém, no
momento, pouco importa.
O que está mesmo pra valer incomodando é não
saber eu, quando é que nossos políticos,
deputados, senadores e ministros irão descobrir a
maneira certa, para libertarem a nossa gentil Pátria

amada Brasil do julgo norte-americano
- Ada Ciocci Curado, no livro "Acalanto". Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1991.

§

Lírico
A morte levou a poeta, porém os verbos
e os ensinamentos de amor por ela

deixados na História ficaram
- Ada Ciocci Curado, no livro "Acalanto". Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1991, p. 52.

§

Minha casa
Minha casa hoje, tem janelas abertas
para o nascente, para o poente,
e,
também para a larga estrada,
aquela que conduz ao limite, pela
frente.
Minha casa solitária, Branca e alta, embora
esteja plantada em estéril campo, é toda
circundada de verde, paz e silêncio. Nova e
antiga casa, onde o Amor e a Esperança,

ainda são uma constante.
- Ada Ciocci Curado, no livro "Acalanto". Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1991.

§

Ode à palavra
O tempo jamais conseguirá desfazer a
essência de tua fortaleza, já que
és do cosmo absoluto

e da troca de idéias entre os homens,
o fundamento.
               E, ainda que,
                  bastando-se,
e,
                  infinitamente sendo tu,
                    realidade,
verdade,           ciência,
alma,
corpo,
dogma,
mito,      e,
         não tendo infinito,
ocupas    lugar primeiro, 
na VIDA
- Ada Ciocci Curado, no livro "Acalanto". Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1991.

§

Prognóstico
Poeta,
Creia,
Nem tudo está perdido,
Porque,
Felizmente,
Sobretudo o mais,
O seu ideal,
A muitos outros ainda comove, Demove
e

Predomina
- Ada Ciocci Curado, no livro "Acalanto". Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1991.

§
© Joanna Concejo
FORTUNA CRÍTICA DE ADA CIOCCI CURADO
CATÁLOGO bibliográfico da Estante do Escritor Goiano. Goiânia: SESC, 2013.
COUTINHO, Afrânio; SOUSA, J. Galante de (org). Enciclopédia de literatura brasileira. Rio de Janeiro: MEC/FAE, 1990.
ESTUDOS literários de autores goianos. Anápolis GO: Federação das Instituições Culturais de Anápolis, 1995.
FLEURY, Bento Alves Araújo Jayme. O centenário da escritora Ada Curado. in: DM, 8.3.2016. Disponível no link. (acessado em 6.6.2016).
MACEDO-ECKEL. Ercilia. Os estímulos literários em Ada Curado (Sociologia e historicidade da Autora) in: site 'erciliamacedoescritora'. Disponível no link. (acessado em 6.6.2016).
MARTINS, Mário Ribeiro. Jornalistas, poetas e escritores de Anápolis. Goiânia: Editora O Popular, 1986. 
MARTINS, Mário Ribeiro. Estudos literários de autores goianos. Anápolis: Editora FICA, 1995.
MARTINS, Mário Ribeiro. Dicionário biobibliográfico de Goiás. Rio de Janeiro: Master, 1999.
RAMOS, Victor de Carvalho. Letras goianas: esboço histórico. Goiânia: Departamento Estadual e Cultura, 1968.
TELES, Gilberto Mendonça. A crítica e o princípio do prazer. Goiânia: Editora UFG, 1995.
TELES, José Mendonça. Dicionário do escritor goiano. Goiania: Editora Kelps, 2006.



© Direitos reservados aos herdeiros

© Pesquisa, seleção e organização: Elfi Kürten Fenske

=== === ===

Trabalhos sobre o autor:
Caso, você tenha algum trabalho não citado e queira que ele seja incluído - exemplo: livro, tese, dissertação, ensaio, artigo - envie os dados para o nosso "e-mail de contato", para que possamos incluir as referências do seu trabalho nesta pagina. 

Como citar:
FENSKE, Elfi Kürten (pesquisa, seleção e organização). Ada Ciocci Curado - poeta e prosadora. Templo Cultural Delfos, junho/2016. Disponível no link. (acessado em .../.../...).
____
Página atualizada em 6.6.2016.


Licença de uso: O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, poderá ser reproduzido desde que citada a fonte, excetuando os casos especificados em contrário. 
Direitos Reservados © 2016 Templo Cultural Delfos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos a visita. Deixe seu comentário!